Trabalhadores do Metro com razões para votar na CDU!

doc cdu metro 2A célula dos trabalhadores do Metro do PCP editou um documento onde lembra as razões para os trabalhadores votarem na CDU no dia 30 de Janeiro. Por influência e pressão do PCP e da CDU foi possível nestes últimos 6 anos: pôr fim ao processo de privatização do Metro que estava em curso e até já tinha a Avanza como empresa privada que iria assumir a gestão da Empresa; pôr fim ao processo de fusão das empresas: Metro, Carris, Transtejo e Soflusa, através da Transportes de Lisboa; pôr fim ao processo de despedimento em curso no Metro, desenvolvido através da pressão feita aos trabalhadores que as direcções consideravam dispensáveis; pôr fim ao processo de disponíveis que manteve sem actividade profissional, durante muitos anos, vários trabalhadores; pôr fim ao corte dos complementos de reforma; pôr fim aos cortes de salários, subsídios de natal e férias; pôr fim ao congelamento do sistema de avaliação e progressão de carreiras; repor os instrumentos de contratação colectiva na Empresa; a reposição dos feriados roubados; alargar o Passe Social Intermodal, com a redução do seu preço, garantindo um significativo alargamento do direito à mobilidade.

Ler aqui documento completo

Contra a renegociação e prolongamento da Concessão do Terminal de Alcântra

porto lisboa 1Foi publicado o Decreto-Lei n.º 117/2021 de 16 de Dezembro, que altera as bases para a concessão do Terminal de Alcântra à multinacional Yldirim, com o governo a anunciar ter o mesmo resultado da negociação desenvolvida com o concessionário.

A concessão - então à Mota Engil - do Terminal de Alcântra, realizada em 1984 por um período de 20 anos, foi uma das muitas opções contrárias ao interesse nacional tomadas no processo contra-revolucionário, então por um governo PS/PSD.

 A opção revelou-se um erro absoluto, do qual apenas beneficiaram os capitalistas detentores da concessão. Além de um longo processo conflitivo, incluindo contra o Estado português, a Liscont lançou diversas vezes o Porto de Lisboa no caos nas múltiplas ofensivas que desenvolveu para tentar liquidar a organização dos trabalhadores portuários e aumentar a taxa de exploração sobre estes.

O Governo decretou agora o prolongamento deste contrato até 2038, anunciando, como de costume, maravilhosas benesses para o erário público da renegociação do contrato entre o Estado e a multinacional turca que agora detém a Liscont.

Continuar...

PCP volta a intervir sobre despedimento colectivo na White Airways

foto avioO PCP continua a acompanhar a situação dos trabalhadores da White Airways que estão confrontados com um processo de despedimento colectivo. Dos 49 trabalhadores confrontados com o despedimento, cerca de 35 são tripulantes de cabine, em muitos casos com 20 ou mais anos de companhia e que voavam ao serviço da Guiné Equatorial. Foram referidos cerca de oito milhões de dívida do Estado da Guiné Equatorial, e os tripulantes estão sem receber ajudas de custo há seis meses e com o salário sistemáticamente atrasado há um ano e meio. O PCP questionou o Governo sobre se tomou alguma medida sobre esta situação, nomeadamente de contacto, no quadro das relações de Estado, com a Guiné Equatorial.

Ler aqui a pergunta completa.

PCP saúda a luta dos trabalhadores da Rodoviária de Lisboa

ConcentraçãoRL3DezOs trabalhadores da Rodoviária de Lisboa demonstram a sua firmeza na luta por aumentos salariais e melhores condições de trabalho. Realizaram várias greves nos últimos tempos e, na última sexta-feira, uma concentração junto da sede da empresa, no Campo Grande. Esteve presente, prestando solidariedade aos trabalhadores, uma delegação do PCP com o deputado Duarte Alves. Na intervenção realizada, Duarte Alves reiterou a justiça desta luta e a necessidade emergente do aumento geral dos salários para a dignificação da vida dos trabalhadores e para o desenvolvimento económico, reafirmando que o PCP estará ao lado dos trabalhadores todos os dias nesta luta.

PCP solidário coma luta dos trabalhadores das Rodoviárias

Vimeca1Os trabalhadores das rodoviárias privadas de passageiros tiveram hoje mais um dia de greve nacional, continuando uma firme luta por aumentos salariais, aumento do subsídio de refeição e regulação de horários. Estes trabalhadores auferem pouco mais que o salário mínimo nacional. Uma delegação do PCP, que incluía a deputada Alma Rivera, esteve presente no piquete dos trabalhadores da Vimeca, onde prestou solidariedade e ouviu as suas preocupações e reivindicações.

Trabalhadores do Metro foram ao Ministério exigir condições de trabalho

fotoMetro1Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, reunidos em plenário, deslocaram-se ontem ao Ministério do Trabalho, onde decorria uma reunião de conciliação do processo negocial. Os trabalhadores continuam a luta por melhores condições de trabalho e aumentos salariais, num contexto em que o Conselho de Administração e o Governo procuram arrastar esta negociação referente a 2021. Esteve presente uma delegação do PCP, com o deputado Bruno Dias, que demonstrou a sua solidariedade com a luta dos trabalhadores.

PCP solidário com a luta dos trabalhadores do Metropolitano

Luta MetroDecorre hoje uma greve de 24 horas dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, uma luta que persiste por não haver respostas por parte do Conselho de Administração e do Ministério. O PCP está solidário com a luta destes trabalhadores e esteve presente com uma delegação no arranque da greve, que incluiu o deputado Bruno Dias. Os trabalhadores do Metro exigem aumento salarial, a contratação de mais trabalhadores, a valorização das carreiras e melhores condições laborais.

Trabalhadores do Metropolitano firmes na luta

luta MetroO PCP está solidário com a luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, que hoje realizaram mais uma greve parcial com adesão massiva, por não verem resposta por parte do Concelho de Administração e do Ministério aos seus problemas. Uma luta contra o congelamento salarial, pela aplicação de todas os compromissos assumidos pelo Ministro do Ambiente e Acção Climática, onde se inclui a prorrogação do AE, pelo direito ao transporte e pela reposição imediata de todos os efectivos necessários nas várias áreas.

Trabalhadores da CarrisTur continuam em luta

fotolutaCarrisTur12O PCP está solidário com os trabalhadores da CarrisTur que continuam em luta pelos seus direitos. No plenário realizado hoje na Praça do Município esteve presente uma delegação do PCP com João Ferreira, vereador na Câmara Municipal de Lisboa, que contactou com os trabalhadores. A luta persistente destes trabalhadores já levou ao recuo da empresa em algumas questões. No entanto, mantêm-se outras por resolver, respeitantes ao incumprimento do AE em vigor, relacionadas com o horário de trabalho, questões pecuniárias e definição de funções, assim como com melhores condições de trabalho. Assim, os trabalhadores decidiram continuar a luta, nomeadamente com a colocação de um pré-aviso de greve de 24 horas para o dia 2 de Novembro e um pré-aviso de greve a todo o trabalho extraordinário.

Ferroviários em luta por melhores salários!

luta ferroviários8Hoje os trabalhadores da CP e da IP estão em luta, exigindo aumentos salariais, a contratação de mais trabalhadores e melhores condições de trabalho. Uma delegação do PCP com o deputado Bruno Dias esteve presente no arranque da greve de 24 horas, em contacto com as organizaçãoes sindicais, prestando a sua solidariedade. O PCP já confrontou a Governo com a falta de resposta aos trabalhadores e ainda sobre a falta de respeito da CP pelos utentes, pela falta de informação e outras acções provocatórias.

Ler aqui a pergunta