Vale a pena lutar: trabalhadores e reformados do Banco de Portugal recuperam subsídios não pagos!

Depois de o Banco de Portugal e da Sociedade Gestora de Pensões se ter recusado, com a conivência do Governo, a pagar o subsídio de férias e de natal aos reformados e pensionistas do Banco de Portugal  , o SINTAF – Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira (CGTP-IN) e os trabalhadores lutaram em defesa dos seus direitos e ganharam. No passado dia 10 de Fevereiro, em audiência de julgamento final, comprovou-se que o SINTAF e os reformados tinham razão e o Banco de Portugal está obrigado ao pagamento dos subsídios roubados com juros de 4%. Vale sempre a pena lutar!

Trabalhadores da CARES (Grupo CGD) em luta em defesa dos postos de trabalho

mini-usar2012ago cares

Os trabalhadores da CARES, Companhia de Seguros, S.A. (empresa de assistência da área seguradora do Grupo CGD) estão em luta, com greves de uma hora por turno. Esta greve tem como objectivo garantir que os serviços prestados pela CARES não sejam deslocalizados, que não sejam colocados em causa os postos de trabalho existentes, que se realize a passagem a efectivos de todos os trabalhadores que ocupam postos de trabalho permanentes e o preenchimento, conveniente, do quadro de pessoal, garantido assim a qualidade dos serviços prestados por esta empresa. A adesão foi superior a 95%, com forte impacto operacional apesar das viuolações da lei cometidas pela administração.

O PCP saúda a luta dos trabalhadores do Grupo Caixa Geral dos Depósitos

mini-20120121 cgd

Contra o corte dos subsídios de Férias e de Natal e pelo segundo ano consecutivo extorquidos de uma parte do seu salário, mais de 1200 trabalhadores do Grupo Caixa Geral de Depósitos concentraram-se hoje entre as 16 e as 18 horas à porta da sede da empresa e da agência central, respectivamente em Lisboa e no Porto. Também os trabalhadores do Grupo Caixa Geral de Depósitos estão a ser alvo de uma política, que obedecendo aos ditames do Pacto de Agressão negociado com o FMI, UE e BCE, retira direitos e reduz os rendimentos dos trabalhadores, reformados e pensionistas, em nome de uma falsa promessa de maior crescimento e mais emprego.

Agora CDU: igualmente o apelo aos trabalhadores do sector financeiro

bancarios160.jpg"Os trabalhadores da Banca e dos Seguros têm todas as razões para votarem CDU", é apresentação de um documento que está em distribuição junto dos trabalhadores do sector financeiro. Um documento onde se recordam as propostas e análises da CDU sobre esta matéria, e onde se apresentam os candidatos da CDU do sector financeiro,

Ler Comunicado em PDF

PCP denuncia realidade laboral do sector financeiro: Longos Horários de Trabalho e precariedade

financ.jpgEnquanto o sector financeiro vai amealhando crescentes lucros, a realidade para os trabalhadores do sector é a desvalorização real dos salários, a desregulamentação dos horários e o crescimento da precariedade. Em suma, o aumento brutal da exploração. Uma realidade que só a luta poderá transformar!

Ler comunicado em PDF

CDU dirige-se aos trabalhadores do Sector Financeiro

mini-sectorfinanceiro.jpgEste dia 10 de Setembro, no âmbito da campanha eleitoral decorreu uma visita ao BES por parte de uma delegação da CDU na qual participaram Bernardino Soares e os candidatos do Sector Financeiro Palmira Areal e Jorge Martins. Na mesma data, iniciou-se a distribuição de um Comunicado aos trabalhadores do Sector, onde se sublinha que também para os trabalhadores do sector financeiro é o voto na CDU que mais interessa.

Jerónimo de Sousa intervêm sobre a Nacionalização da Banca e Seguros

bancarios.jpg

O Secretário Geral do PCP fez hoje uma intervenção, no Centro de Trabalho Vitória, anunciando que o partido defende a nacionalização de todo o sector bancário e dos seguros, referindo que na actual situação de crise profunda, estas nacionalizações são imperativas para o desenvolvimento e soberania nacionais.

Ler intervenção de Jerónimo de Sousa 

Os SAMS são dos Beneficiários, não são do SBSI…

O conhecimento do Protocolo de entendimento entre os HPP e o SBSI (documento de intenções) e as declarações produzidas por dirigentes deste sindicato da UGT – que, tal como no pacote laboral, também aqui se constata estar ao serviço dos banqueiros e do Governo PS – demonstram que o verdadeiro objectivo aqui perseguido é a venda de um património que não lhe pertence, e que termos e expressões como “parceria”, “controlo operacional” ou “gestão mais profissional” não passam de eufemismos para tentar “embrulhar em papel vistoso” esse inconfessado objectivo.

Continuar...

Os Serviços de Assistência Médico-Social (SAMS) são de todos os beneficiários

O Organismo de Direcção do Sector dos Bancários de Lisboa do PCP, numa primeira análise às movimentações e eventuais acordos que deram origem ao anúncio público da alienação da gestão de 51% dos Serviços de Assistência Médico-Social (SAMS) dos bancários da área do Sul e Ilhas à “Hospitais Privados de Portugal” (HPP), do grupo CGD, e sendo ainda desconhecidos os exactos termos e condições em que tal ocorreria, assume desde já e torna públicas as suas posições.

Continuar...

Bancários comunistas sobre a situação na Banca

O Boletim dos Bancários Comunistas de Lisboa, no seu número de Fevereiro, começa por tratar "A Banca, Hoje...", para logo abordar temas mais concretos como "Montepio, Está chegando a hora dos «donos» do Banco exercerem os seus poderes", "Responsabilidade Social: A «nova» anedota dos banqueiros", "BBPI, o que custam os milionários lucros", "Governo Britânico nacionaliza Banco e "Assim vai o BES...", terminando com a informação do reatar das comemorações do Aniversário da Nacionalização da Banca.

Ler Boletim em PDF

I Assembleia dos Bancários Reformados

No passado dia 31 de Outubro de 2007, realizou-se a 1ª Assembleia da Organização de
Bancários Reformados, cujas conclusões aqui divulgamos.
 

Ler Conclusões da Assembleia