PCP questiona Governo sobre encerramento nocturno do serviço de ginecologia e obstetrícia do Hospital Amadora-Sintra

obstetriciaComo é público, foi tomada a decisão de encerrar, a partir de 21 de Setembro, o Serviço de Urgência de Ginecologia-Obstetrícia do  Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, EPE durante o período noturno. Uma decisão motivada, segundo comunicado, pela escassez de recursos humanos que possam assegurar um eficaz atendimento às grávidas".
Esta situação é tão mais grave quanto considerarmos que este Hospital serve dois dos maiores concelhos de Portugal, já estando subdimensionada, e que nele se realizam um elevado número de consultas e partos. Acresce que o encerramento deste serviço sobrecarrega ainda mais os serviços dos outros hospitais, como do Hospital de Santa Maria, da Maternidade Dr. Alfredo da Costa, do Hospital São Francisco Xavier e ainda do Hospital de Cascais, num contexto já de si difícil.Para o PCP, cada dia em que este serviço está encerrado representa um retrocesso na saúdematerno-infantil e uma grave afronta à saúde das mulheres servidas por este Hospital.

Ver pergunta em PDF

Hospital de Proximidade de Sintra – crónica de uma traição do Governo do PS

Declaração política de Pedro Ventura, Vereador do PCP na CM de Sintra

 

A Câmara Municipal de Sintra deliberou por maioria (votos favoráveis do PS, PSD e Independentes, e voto contra da CDU) aprovar o projecto de construção do Hospital de Proximidade de Sintra.
A CDU foi ao longo dos anos no concelho de Sintra a força política que mais se bateu, ao lado das populações, pela construção de um hospital público, denunciando os graves problemas que existiam, prosseguem e se agravam no Hospital Amadora-Sintra ou nos diversos centros de saúde do concelho que foram abandonados pela tutela.

Abertura do ano lectivo: Mais trabalhadores, mais meios. CM Sintra aprova moção proposta pelo PCP

Moção
Sobre a abertura do ano escolar


Após um longo período de tempo com as escolas encerradas para a esmagadora maioria dos alunos, é necessário o quanto antes o regresso ao ensino presencial, ensino este que tem uma centralidade e uma importância no processo de ensino/aprendizagem que não é substituível por experiências à distância. O papel dos professores na sala de aula é imprescindível no acompanhamento dos alunos.

Célula da CM e SMAS de Sintra: repudia chumbo do Suplemento de Insalubridade, Penosidade e Risco

Suplemento de Insalubridade FacebookA célula dos trabalhadores comunistas da Câmara Municipal  e dos SMAS de Sintra repudia que depois de  meses de palavras calorosas e de palmas a estes trabalhadores por estarem na linha da frente no combate ao surto, na altura de traduzir essa saudação numa valorização concreta e reconhecer as condições de risco, de penosidade e de insalubridade a que estão sujeitos, bem como garantir as devidas compensações, o PS dá passos atrás e especialmente o PSD ampara esse recuo.

Ver comunicado em PDF

Sobre o Covid-19 no município de Sintra, declaração do Vereador do PCP na reunião de Câmara Municipal de Sintra

1. Tentando colocar alguma cronologia nos dados a mencionar gostaria de começar por referir o dia 31 de Maio, data em que a senhora Ministra da Saúde, Marta Temido, esteve em Sintra em reunião com o senhor Presidente. Depois da reunião disse a ministra serem “os jovens o novo grupo de infectados na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde têm surgido o maior número de casos a nível nacional.” Afirmou então o senhor Presidente a necessidade de “actuar com ainda maior proximidade” e negou a existência de “um foco na região, mas sim de um conjunto de situações a que temos de responder”. De acordo com o relatório da DGS actualizado nesse dia Sintra tinha 1173 infectados.

PCP faz aprovar moção para Remoção do Amianto dos Estabelecimentos de Educação e Habitação do Município de Sintra

PCP apresentou moção, na reunião de CÂmara Municipal de SIntra, para Remoção do Amianto dos Estabelecimentos de Educação e Habitação do Município de Sintra. A moção foi aprovada por unânimidade.

Voto de Pesar pelo Falecimento de Madalena Pestana

Nascida no concelho de Sintra, em Novembro de 1949, Maria Madalena Batalha Pestana foi uma das protagonistas do teatro independente em Portugal, na década de 1970. 

A estreia de Madalena Pestana remonta a Julho de 1969, como protagonista de Antígona, do dramaturgo francês Jean Anouilh, a partir da tragédia de Sófocles, espectáculo inaugural do Primeiro Acto, uma encenação de Armando Caldas, com música de cena de Jorge Peixinho.