Nota de Imprensa: Sobre as inundações de 20 de Fevereiro, em Cascais

NOTA DE IMPRENSA

SOBRE AS INUNDAÇÕES DE 20 DE FEVEREIRO, EM CASCAIS

 

As fortes chuvas provocadas pela passagem da depressão Karim, por Cascais, originaram inundações, queda de árvores e elevados prejuízos a alguns comerciantes e residentes do Concelho. A Comissão Concelhia de Cascais do Partido Comunista Português (PCP) defende a necessidade de garantir, desde já, um apoio efectivo aos residentes e comerciantes afectados por esta intempérie, numa altura em que as restrições impostas ao funcionamento da economia provocam falências e despedimentos em catadupa.

 

 

O PCP não pode deixar de repudiar as declarações demagógicas do actual Presidente da Câmara de Cascais ao comparar estas inundações com as ocorridas na década de oitenta, numa clara tentativa de branqueamento das suas responsabilidades e ofendendo a memória colectiva de um povo que viveu e sofreu as duras consequências desse temporal de 19 de Novembro de 1983.

 

 

As políticas levadas a cabo pelo executivo PSD/CDS na Câmara de Cascais em nada têm contribuído para minorar os riscos de inundações no Concelho, onde uma total ausência de planeamento no que respeita à prevenção das consequências destes fenómenos naturais, aliada à impermeabilização indiscriminada dos solos, ao encanamento e falta de limpeza das ribeiras, à destruição crescente de espaços verdes e à falta de manutenção e limpeza da rede de drenagem de água pluvial, têm levado, inevitavelmente, ao agravamento e aumento das zonas de risco de inundação, no Concelho de Cascais.

 

As alterações ao PDM de Cascais, concretizadas por este executivo, promovem a eliminação de corredores verdes e a impermeabilização dos solos, em particular, em zonas de Reserva Ecológica Nacional correspondentes a leito de cheias, e muitos dos planos de urbanização aprovados, ou em vias de aprovação, por esta maioria PSD/CDS, acarretam graves consequências ao nível do aumento do risco de inundações, além de serem claros atentados ambientais.

 

O PCP alerta, uma vez mais, para os riscos do prosseguimento destas políticas de direita onde a especulação imobiliária se sobrepõe à defesa das populações e afirma a necessidade de lutar por uma mudança de esquerda, em Cascais, que ponha termo a este rumo de destruição ambiental e coloque, definitivamente, os interesses das populações no centro da sua intervenção.

 

22 de Fevereiro de 2021

 

Comissão Concelhia de Cascais do PCP