A CDU visita a Associação Desportiva e Cultural da Encarnação e Olivais

 
Olivais visita associaçãoO candidato da CDU à presidência da Câmara Municipal de Lisboa, João Ferreira, acompanhado pelos eleitos da CDU na freguesia dos Olivais, visitou a Associação Desportiva e Cultural da Encarnação e Olivais (ADCEO), onde foi recebida pelo presidente da direcção da colectividade, António Manuel Moura Felizardo.
 
O encontro faz parte das muitas dezenas de reuniões que a CDU tem promovido em Lisboa para ouvir organizações e pessoas, visando a elaboração do seu programa.
 
A CDU defende que o direito à cidade implica o direito à cultura e ao desporto, que só é possível de ser concretizado com a colaboração das milhares de colectividades culturais e desportivas existentes no concelho.
 
A sede da associação é imponente, conta com ginásios, um cineteatro, junto a campos construídos, com esforço e dedicação, pelos sócios da Associação Desportiva e Cultural da Encarnação e Olivais (ADCEO). Mas as instalações já têm as marcas do tempo, rachas na fachada, e o cineteatro, com 700 lugares, está fechado há dois anos por motivos de segurança.
 
A ADCEO foi criada em 1990, mas uma das três associações que fundou, o Centro de Recreio Popular Nº5, já ocupa as instalações desde perto dos anos 50 do século passado. As outras duas são o Centro de Cultura e Desporto da Quinta do Morgado e o Clube Atlético e Recreativo da Encarnação.
 
Para além das actividades culturais e de ocupação de tempos livres dos jovens, a colectividade conta com centenas de atletas num vasto rol de modalidades e actividades (futebol, basquetebol, ginástica, judo, karaté, ginástica terapeuta, ballet, kickboxing, krav maga, fitness e musculação).
 
O edifício é propriedade do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), que propôs à associação a compra do prédio. A colectividade aceitou o negócio, não o podendo fazer, porque a Junta de Freguesia dos Olivais pretende exercer direito de preferência.
 
Em diálogo com a CDU, o presidente da direcção da associação manifestou-se desagradado por declarações de autarcas da freguesia que “parece não se lembrarem que existe gente a trabalhar dentro destas instalações, e que elas não estão vazias”.
 
A ADCEO pretende que as instalações sejam reabilitadas, que para possam contribuir mais para o desporto e a cultura da população da freguesia. A associação cedeu espaço de ensaios à companhia do The Lisbon Players, que manifestou disposição de investir mais de 170 mil euros na recuperação da sala do cineteatro, mas a falta de definição sobre a propriedade do edifício impede a concretização dessa reabilitação.
 
Foi na impressionante sala de troféus da ADCEO, entre dezenas de taças, que estão os galardões que assinalam terem sido campeões nacionais de juniores de andebol e campeões de ténis de mesa, que João Ferreira sublinhou o papel impar de colectividades como a ADCEO, e a necessidade de a autarquia de Lisboa ter políticas de apoio às colectividades desportivas, de cultura e de recreio.
 
O candidato da CDU relembrou as dificuldades acrescidas que o movimento associativo viveu com a pandemia e com a lei das rendas que dificultaram muito a sua sobrevivência, e relembrou o papel dos eleitos do PCP em conseguir que os apoios autárquicos às empresas e IPSS fossem estendidos às colectividades e associações.