Sobre a testagem à COVID-19 no Concelho de Odivelas

DSC01097Quando era visível a aproximação da terceira vaga da epidemia da COVID-19, os Vereadores da CDU de Odivelas apresentaram em reunião de Câmara uma proposta para a realização de testes rápidos no Município. A testagem, com testes de antigénio, podia realizar-se por amostragem, mas deveria incidir sobre os grupos de risco, nomeadamente os utentes e trabalhadores de lares de idosos, os bombeiros das equipas de intervenção direta, os profissionais da proteção civil, entre outros.

É fundamental relembramo-nos que nessa altura era absolutamente desconhecida a situação epidemiológica numa parte significativa dos lares ilegais, que mais tarde se revelou catastrófica, na medida em que ainda nem sequer tinham sido contactados pelas autoridades.

Observava-se uma evidente incapacidade da Saúde Pública (ACES Loures e Odivelas) no controlo da acelerada expansão da epidemia de COVID-19 no Concelho de Odivelas, devido a substantivos atrasos no acompanhamento dos links epidemiológicos. Essa situação veio a ser confirmada em absoluto, quando num só dia foram registados cerca de 3.500 novos casos de COVID-19 no Concelho.

A proposta apresentada pelos vereadores da CDU não teve qualquer acolhimento pela maioria PS que governa a CMO, reprovando, igualmente, a moção da CDU a exigir o reforço dos meios de Saúde Pública do ACES.

A sugestão de testagem, por testes de antigénio, foi recusada pelo PS em outubro de 2020, com argumentos que os testes eram inúteis e em nada contribuiriam para o controlo da epidemia. A nosso ver uma atitude arrogante e de enorme irresponsabilidade.

É hoje evidente que a concretização da proposta da CDU teria contribuído para que não se viesse a registar o elevado número de casos de COVID-19 e a consequente situação caótica de acesso ao Hospital Beatriz Ângelo por centenas de residentes.

Vem agora o Executivo Socialista apresentar publicamente o compromisso de custear a testagem generalizada da população. Vem tarde e sem rumo, parecendo ignorar uma vez mais que uma atuação consequente no domínio da Saúde Pública implica a hierarquia de ações de intervenção/prevenção, tendo presente, em cada momento, os grupos de maior risco.

Por outras palavras, não se vislumbram critérios de realização dos testes na população. Serão os que chegam primeiro? Os que têm informação privilegiada?

Seria desejável que existissem critérios claros para a realização dos testes rápidos na população. Deviam ser, em primeiro lugar, as pessoas que no seu local de trabalho estão mais expostos, têm contato com outros, prestam serviços fundamentais.

Qualquer estratégia de prevenção deve ser alicerçada em sistemas de gestão do risco e o Partido socialista na CMO não consegue aplicar uma única medida de prevenção em tempo e minimamente fundamentada.

A CDU, em reunião de Câmara, defendeu que devia ser assumida a testagem a alguns grupos de trabalhadores mais expostos, mas que acima de tudo, considerámos que esta testagem massiva deve ser realizada pelo governo de forma articulada com todos os municípios do país.

Neste sentido, a CDU, entende denunciar esta atuação do Executivo do PS, não podendo deixar de chamar a atenção para que a mesma se reveste de uma indesmentível manobra de propaganda eleitoral.

23 de Abril de2021

O Gabinete de Imprensa da CDU Odivelas

Ver Declaração de Voto apresentada na reunião da CMO em PDF