Continua a persistente luta no Metro

fotoMetro22No dia 22 de Abril realizou-se uma nova greve parcial dos trabalhadores da área da direcção de operação do Metropolitano de Lisboa. Uma delegação do PCP que incluía a deputada Paula Santos, esteve presente no piquete de greve na Sidónio Pais a expressar solidariedade com a justa luta dos trabalhadores. A luta destes trabalhadores continua pela reposição do quadro de efectivos desta área, contra ataques aos horários e às férias e contra a perseguição de que são alvo.

Trabalhadores do Metro em luta!

grevemetroHoje realizou-se a terceira greve parcial dos trabalhadores da área da direcção de operação do Metropolitano de Lisboa, com uma adesão que continua a ser massiva. Estes trabalhadores lutam, entre outras questões, pela reposição do quadro de efectivos desta área, contra ataques aos horários e às férias e contra a perseguição de que são alvo. Caso a empresa continue a não apresentar soluções, a próxima greve parcial está marcada para dia 22 de Abril. O PCP está solidário com a luta destes trabalhadores por melhores condições de trabalho.

Trabalhadores do Metro com razões para votar na CDU!

doc cdu metro 2A célula dos trabalhadores do Metro do PCP editou um documento onde lembra as razões para os trabalhadores votarem na CDU no dia 30 de Janeiro. Por influência e pressão do PCP e da CDU foi possível nestes últimos 6 anos: pôr fim ao processo de privatização do Metro que estava em curso e até já tinha a Avanza como empresa privada que iria assumir a gestão da Empresa; pôr fim ao processo de fusão das empresas: Metro, Carris, Transtejo e Soflusa, através da Transportes de Lisboa; pôr fim ao processo de despedimento em curso no Metro, desenvolvido através da pressão feita aos trabalhadores que as direcções consideravam dispensáveis; pôr fim ao processo de disponíveis que manteve sem actividade profissional, durante muitos anos, vários trabalhadores; pôr fim ao corte dos complementos de reforma; pôr fim aos cortes de salários, subsídios de natal e férias; pôr fim ao congelamento do sistema de avaliação e progressão de carreiras; repor os instrumentos de contratação colectiva na Empresa; a reposição dos feriados roubados; alargar o Passe Social Intermodal, com a redução do seu preço, garantindo um significativo alargamento do direito à mobilidade.

Ler aqui documento completo

Trabalhadores do Metro foram ao Ministério exigir condições de trabalho

fotoMetro1Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, reunidos em plenário, deslocaram-se ontem ao Ministério do Trabalho, onde decorria uma reunião de conciliação do processo negocial. Os trabalhadores continuam a luta por melhores condições de trabalho e aumentos salariais, num contexto em que o Conselho de Administração e o Governo procuram arrastar esta negociação referente a 2021. Esteve presente uma delegação do PCP, com o deputado Bruno Dias, que demonstrou a sua solidariedade com a luta dos trabalhadores.

PCP solidário com a luta dos trabalhadores do Metropolitano

Luta MetroDecorre hoje uma greve de 24 horas dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, uma luta que persiste por não haver respostas por parte do Conselho de Administração e do Ministério. O PCP está solidário com a luta destes trabalhadores e esteve presente com uma delegação no arranque da greve, que incluiu o deputado Bruno Dias. Os trabalhadores do Metro exigem aumento salarial, a contratação de mais trabalhadores, a valorização das carreiras e melhores condições laborais.

Trabalhadores do Metropolitano firmes na luta

luta MetroO PCP está solidário com a luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, que hoje realizaram mais uma greve parcial com adesão massiva, por não verem resposta por parte do Concelho de Administração e do Ministério aos seus problemas. Uma luta contra o congelamento salarial, pela aplicação de todas os compromissos assumidos pelo Ministro do Ambiente e Acção Climática, onde se inclui a prorrogação do AE, pelo direito ao transporte e pela reposição imediata de todos os efectivos necessários nas várias áreas.

PCP solidário com a luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa

foto metroOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa estiveram hoje em luta, realizando uma greve parcial, pela valorização dos salários e da contratação colectiva, pela necessidade de valorizar as profissões, pela necessidade de efetivar o direito ao transporte. 

O PCP, representado pelo deputado Bruno Dias, esteve presente e solidário junto do piquete de greve no PMO III do Metropolitano de Lisboa.

PCP saúda a luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa

metroO PCP saúda os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa que estiveram hoje em luta, realizando uma greve parcial. Os trabalhadores lutam pela valorização dos salários, pela valorização das profissões, nomeadamente a carreira da manutenção, pela progressão nas carreiras, a efectivação do direito ao transporte e pela prorrogação da vigência do Acordo de Empresa. O PCP compromete-se, como sempre fez, a continuar a colocar na sua intervenção aquilo que são as reivindicações dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

O acidente no Metropolitano de Lisboa e opções de investimento

foto audição ORT Metro

Esta segunda-feira o PCP promoveu na Assembleia da República a Audição Parlamentar sobre a situação actual e o futuro do Metropolitano de Lisboa, com organizações representativas dos trabalhadores da empresa. Foram vários os alertas dados sobre a degradação da capacidade técnica da estrutura do Metropolitano, com a saída de inúmeros técnicos especializados (em particular durante a governação PSD/CDS) que nunca foram substituídos, e as crescentes dificuldades da empresa no acompanhamento a obras que dizem diretamente respeito às suas infraestruturas e funcionamento. No dia seguinte ocorre o acidente na Linha Azul, com o desabamento do tecto de parte de uma galeria entre a estação de metro de São Sebastião e a Praça de Espanha. A CML afirmou que o acidente se deveu a “um erro técnico”, acrescentando que “não é uma questão de problemas de manutenção” do Metropolitano. Sabemos, no entanto, que a intervenção em causa inclui trabalhos que implicam a entrada no perímetro de segurança do túnel do Metro e, como tal, exigem não só o parecer técnico vinculativo como o acompanhamento desses trabalhos por parte da empresa. O PCP questionou o Governo. Ler aqui a pergunta

PCP exige protecção dos maquinistas do Metropolitano

O PCP denunciou que, no que diz respeito aos maquinistas do Metropolitano de Lisboa que sofrem de patologias crónicas, considerados de risco no contexto da pandemia do COVID 19, não estão a ser tomadas as medidas de protecção possíveis e necessárias, nomeadamente a sua dispensa com manutenção de todos os direitos (como aliás acontece nas outras áreas). Há um dever de cuidado com os trabalhadores, em que as empresas públicas têm que dar o exemplo, nomeadamente dos que integram os referidos grupos de risco, cabendo ao Metropolitano de Lisboa encontrar forma de os proteger, evitando que prestem a sua actividade profissional que os expõe ao contacto, como propõe o sindicato.

Ler aqui a pergunta

 

OE 2020: Aprovada proposta do PCP que chumba Linha «Circular» e aponta expansão para Alcântara e Loures

fev linha circularNo quadro da discussão sobre o Orçamento de Estado, o PCP fez aprovar uma proposta sua que suspende a construção da Linha «Circular» e determina a canalização das verbas que ai iam ser desperdiçadas na expansão a Alcântara e Loures. O Governo reagiu semeadando mentiras descaradas, como as perdas de fundos que tal decisão acarretaria, e dando ordens à administração do Metro para não cumprir as decisões da Assembleia da República e acelerar a assinatura de contratos. Continua assim o PS a tentar impor a linha circular contra tudo e todos (mais precisamente, contra quase tudo e quase todos, pois há uns especuladores imobiliários que aplaudem a opção). 

Ler Comunicado em PDF

Metro de Lisboa: onde a luta dos trabalhadores e a iniciativa da CDU derrotaram a troika

mini-cdu metro 0610A CDU está a distribuir aos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa um comunicado onde apela ao voto. Um comunicado onde recorda o conjunto de reversões que foi possível conquistar, e que se deveram à luta de resistência travada, e à iniciativa política da CDU. Um comunicado que inclui ainda as fotos de dezenas de trabalhadores da emresa que apelam ao voto na CDU, e as declarações de Paulo Jorge Alves, trabalhador da empresa, membro da sua CT, e candidato da CDU à Assembleia da República.

Ler Comunicado em PDF

PCP presta contas aos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa

mini-presta contas metroComo em cada eleição, os eleitos do PCP prestam contas do trabalho realizado na Assembleia da República. No caso do Metropolitano de Lisboa, destaca-se aquilo onde foi possível avançar em resultado da luta dos trabalhadores e reformados e da iniciativa do PCP, e as várias áreas onde foi preciso resistir ao continuado alinhamento do Governo com aspectos centrais da politica de direita.

Ler Comunicado em PDF

PCP questiona governo sobre condições de trabalho no PMO2

pmo2 reqDepois da visita realizada ao PMO2 do Metropolitano de Lisboa, o deputado do PCP Duarte Alves questionou o Governo sobre a falta de condições das instalações, dos equipamentos e sobre o número insuficiente de trabalhadores para responder às importantes funções que lhes estão atribuídas, nomeadamente a manutenção de via.

Ler Requerimento em PDF

Apelo ao voto dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa

cdu pe2019 metroSão 48 os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa que apelam ao voto na CDU, num comunicado onde se desenvolvem os argumentos que justificam esse voto: É que na Empresa, no País e na Europa, foi sempre a CDU quem esteve ao lado dos trabalhadores do Metropolitano!

Ler Comunicado em PDF