Comemorar o 25 de Abril em Lisboa, só com licença de António Costa e de Sá Fernandes.

lx.jpg

Mais uma vez este ano, o sector de Ambiente da CML, da responsabilidade de Sá Fernandes, exige licença de ruído para as actividades de comemoração do 25 de Abril na Praça Paiva Couceiro, na noite de 24 para 25 de Abril. Formalmente, os Serviços pretendem aplicar às manifestações de carácter político as leis da publicidade comercial - o que constitui uma verdadeira aberração, como já foi sobejamente demonstrado.

Já no ano passado se tinha passado algo de caricato e parecido com isto, mas a «coisa» foi arquivada, depois de denunciada e quase ridicularizada, inclusive em sessão de Câmara. Com enorme surpresa, este ano voltamos ao mesmo: a Câmara, liderada por António Costa que nesta matéria está acolitado por Sá Fernandes pois é novamente dos seus Pelouros que tal surge, este ano a CML repetiu a façanha e exige licença de ruído para se poderem comemorar os 35 anos do 25 de Abril. Se não for tirada licença, dizem, não haverá apoios da Câmara. Portanto, levando a ideia mais adiante, e lá chegarão..., ficamos a saber: com António Costa e com Sá Fernandes, só manifestações silenciosas - e quem não puder pagar, não pode manifestar-se. Comemorar o 25 de Abril, só com licença de António Costa e de Sá Fernandes. Este é o ponto a que chegaram estes paladinos da Democracia e da Liberdade.

A CDU repudia - mas com toda a veemência - tal limitação retrógrada à liberdade e ao direito de manifestação.