Salários em atraso e postos de trabalho em risco na Papelaria Fernandes

papelariafernandes.jpgO deputado da bancada parlamentar do PCP, João Oliveira, colocou 3 questões ao Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social a respeito da situação precária que se vive na Papelaria Fernandes. Cerca de 360 trabalhadores do Grupo Papelaria Fernandes, estão com os salários em atraso de Abril, e sem qualquer perspectiva que os mesmos sejam regularizados. Os trabalhadores temem também pela destruição dos seus postos de trabalho pois o processo de insolvência, prevê que apenas parte do Grupo mantenha a actividade, sem garantia de manutenção dos 360 postos de trabalho, nem do respeito pelos direitos dos trabalhadores em termos de indemnizações e respeito pela antiguidade.
 
Ler as 3 perguntas em PDF