Jerónimo de Sousa leva solidariedade do PCP ao piquete de greve dos CTT

20122017 grevecttO Secretário-Geral do PCP esteve esta noite com o piquete de greve dos CTT em Cabo Ruivo, tendo transmitido a solidariedade do PCP com a justa luta dos trabalhadores em defesa da empresa e dos seus direitos, mas igualmente em defesa da soberania nacional e do serviço público postal que se encontra claramente ameaçado pelas consequências da privatização dos CTT.

Na EDP e na Randstad, o PCP na luta contra a exploração.

req greveedpranddez17O PCP está a distribuir aos trabalhadores do Call Center da EDP e da Randstad um comunicado onde denuncia a evidência da exploração:o contraste entre as centenas de milhões de lucros da EDP e da Randstad com os magros salários pagos a estes trabalhadores. Simultaneamente o Grupo Parlamentar do PCP questionou o  Governo sobre a sua passividade perante o sistemático recurso pela EDP de prestadores de serviços para suprir necessidades permanentes da empresa.

Ler Comunicado em PDF

Ler Requerimento em PDF

CTT: Só a luta pode salvar a empresa e o serviço público postal!

Realizou-se esta sexta-feira o debate dos projectos de resolução sobre a situação dos CTT. O PCP exigiu a reversão da desastrosa privatização e criticou aqueles que querem retirar aos CTT a concessão. O projecto do PCP foi chumbado pelos partidos da política de direita - PS, PSD e CDS. Foi aprovada um projecto do PS que aponta para a necessidade de estudar a situação e as diferentes alternativas. Como tinhamos alertado anteriormente, vai ser a luta dos trabalhadores dos CTT o factor determinante que poderá criar as condições para que a privatização seja revertida. Luta que o PCP saudou na sua intervenção em plenário.

Ler Comunicado de 11 de Dezembro 2017

CTT: Retomar o controlo público para um serviço postal universal de qualidade

201712 grupo cttA degradação do serviço postal na sequência da privatização é tão intensa que é cada vez maior o movimento que exige a sua reversão. No dia 15 de Dezembro, a Assembleia da República discutirá o assunto, mas quer o BE quer o PS admitem um cenário perigoso e inaceitável: retirar a concessão aos CTT. Ora o caminho tem que ser o de retirar os CTT e a concessão àqueles a quem foram oferecidas, único caminho que defende os utentes e os trabalhadores. O PCP saúda ainda a luta dos trabalhadores, nomeadamente a jornada que está marcada para 21 e 22 de Dezembro, e sublinha que será a luta dos trabalhadores que poderá criar as condições para que a reversão seja uma realidade.

Ler Comunicado em PDF 

PCP: solidariedade activa com a luta na Petrogal

req grevegalpdez17Os trabalhadores da Petrogal estão mais uma vez em luta em defesa do seu direito à contratação colectiva. A greve, que decorre com grande exito, iniciou-se a 10 de Dezembro e prolonga-se até dia 18. Para tentar impedir o desenvolvimento da luta o patronato continua a contar com o apoio do Governo PS, que mais uma vez assinou um vergonhoso despacho de serviços máximos que é um autêntico frete ilegal ao capitalistas detentores da GALP que continuam a amealhar lucros de largas centenas de milhões à custa da crescente exploração dos trabalhadores da empresa. O PCP confrontou o Governo com as suas responsabilidades nesta matéria num requerimento entregue na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

Contra a exploração nos Call Center da PT/MEO

callcenterptmeoEstá em distribuição aos trabalhadores do Call Center da PT/MEO um comunicado onde se sublinha os gigantescos lucros de quem explora a força de trabalho destes trabalhadores: por um lado a PT/MEO, que sebcontrata um prestador de serviços para suprir necessidades permanentes da empresa; e por outro a Randstad, que faz milhões através da sobre-exploração destes trabalhadores. Só a crescente organização, unidade e luta destes trabalhadores acabará, mais cedo ou mais tarde, com a sua sobre-exploração através deste mecanismo montado pelo grande capital com a cumplicidade dos sucessivos governos.

Ler Requerimento em PDF

Grande Jornada de Luta dos trabalhadores da Randstad

20171130lutarandstadOs trabalhadores da Randstad realizaram uma importante jornada de luta no dia 30 de Novembro, com uma greve e uma marcha. Lutam por aumentos salariais (os seus magros salários contrastam (e explicam) com os lucros milionários da Randstad) e lutam pela integração directa nas empresas contratantes, como a EDP e a PT, que recorrem à falsa prestação de serviços como mecansmo para o aumento da exploração. Expressando a solidariedade do PCP, a deputada Ana Mesquita esteve presente na iniciativa.

Comunicados do PCP aos trabalhadores da EPAL e da AdTA

20171128epal oe2018A Célula do PCP nas Empresas de Água e Saneamento de Lisboa está a distribuir comunicados aos trabalhadores da EPAL e da AdTA sobre a avaliação final do Orçamento de Estado e as implicações para os trabalhadores destas empresas de um conjunto de propostas e iniciativas tomadas pelo PCP. Um comunicado onde se destaca o carácter contraditório deste Orçamento, negativo onde reflecte os compromissos do PS com a UE e o grande capital, e positivos onde reflecte avanços para os trabalhadores e o povo português.

Ler Comunicado para a EPAL em PDF

Ler Comunicado para a AdTA em PDF

Realizou-se a XII Assembleia de Organização do Sector das Comunicações, Água e Energia da ORL do PCP

scae ao 2017Realizou-se no sábado, 25 de Novembro, a XII Assembleia de Organização do SCAE. A mesma reuniu trabalhadores de um vasto conjunto de empresas do sector (CTT, EPAL, AdTA, EDP, CME, PT, NOS, Vodafone, Rhandstad, Teleperformance, Petrogal) sob o lema «Controlo público dos sectores estratégicos, Trabalho com direitos, Soberania Nacional», tendo aprofundado a discussão sobre a realidade do sector, aprovado uma resolução política com as linhas fundamentais do trabalho a desenvolver e eleito o novo organismo de direcção do sector, com 29 camaradas, dos quais 21 são trabalhadores no activo nas empresas do sector.

PCP ouve em audição as ORT das Águas e Saneamento

audicao aguasaneamento20171114O PCP realizou ontem uma Audição ao Sector das Águas e Saneamento, onde ouviu as ORT sobre o Orçamento de Estado para 2018, os seus avanços e insuficiências, e recebeu as reivindicações destes trabalhadores, nomeadamente no que respeita à exigência de desbloqueamento das contratações e das valorizações remuneratórias.