Altice: Com ainda mais Lucros e em Lay-Off

AlticePortugal2Enquanto apresenta receitas de mais de 522 milhões de euros só no primeiro trimestre de 2020, a Altice Portugal mantém mais de 600 trabalhadores em lay off com os salários reduzidos a 2/3 e pagos em parte pela segurança social. Como prova a Altice Portugal a perda de receita que justificaria o lay off quando os portugueses confinados em casa e em teletrabalho, estão a usar os seus serviços (internet, por exemplo), como nunca!?
Como diz o ditado "Com as calças do meu pai, também eu sou um grande homem", neste caso com os contribuintes a pagar os salários e os trabalhadores a ganhar (ainda!) menos, os accionistas vão metendo com todas as facilidades muitos milhões ao bolso.

CTT: Greve com adesão a rondar os 90% é uma grande resposta à ofensiva do patronato

greve CTT 29 Maio foto2Na foto, o deputado do PCP Bruno Dias saúda o piquete de greve em Cabo Ruivo, sublinhando que «Os trabalhadores dos CTT lutam contra a exploração e em defesa dos seus direitos, mas lutam igualmente em defesa do interesse nacional». Uma greve que começou por ser contra a imposição do cartão refeição, e se alargou à necessidade urgente de contratar mais trabalhadores para que o serviço postal possa ser realizado em condições. No próximo dia 12 de Junho, a luta continua!

CEO da Altice: Mentir com a verdade para iludir os despedimentos e o lay-off nos trabalhadores da Altice

recuperar o que nunca devia ter privatizadoA Célula do PCP nas Telecomunicações reagiu às declarações públicas do CEO da Altice Portugal, quando este afirmou que esta não havia realizado qualquer despedimento ou corte de rendimentos nos seus trabalhadores. Na Nota, a Célula lembra as centenas de trabalhadores das empresas subcontratadas que, por acção directa da Altice, foram exactamente despedidos ou colocados em lay-off. E aponta o dedo à verdadeira precariedade laboral que se esconde por detrás de ummodelo que usa e abusa das subcotratações.

Ler Comunicado em PDF

Editado Boletim Electrónico para trabalhadores dos Centros de Contacto

SCAE newsletterCOVID-01Está em distribuição um Boletim Electrónico para os trabalhadores dos Centros de Contacto sobre a situação que se está a viver neste sector, e onde é preciso ir mais fundo que os aspectos - graves - do agravamento da exploração e dos abusos patronais. é preciso confrontar todo um modelo de organização do trabalho e da economia, e é preciso perceber que se pode questionar e alterar esse modelo.

Ler Boletim em PDF

Ler Boletim em PNG

Continua o abuso nas Telecomunicaçõe e na Altice e suas subcontratadas

usar 1 covid19Mesmo num sector que está a crescer com a presente crise como o das telecomunicações, os capitalistas tentam passar para os trabalhadores e para a segurança social qualquer redução de actividade, defendendo os seus lucros (do passado, presente e futuro) e prejudicando a economia e os trabalhadores. E em muitas situações, não apenas abusam da lei do lay-off, que o governo fez como fez propositadamente para ser abusada, como cometem verdadeiros crimes perante a passividade cúmplice das autoridades.

Ler Requerimento sobre a Altice

Ler Requerimento sobre a Sui Gest

Defender a GALP e os seus trabalhadores em defesa da Soberania Nacional

ag galpRealiza-se hoje a Assembleia Geral da GALP, que se prepara para aprovar a distribuição de mais de 500 milhões de euros em dividendos aos accionistas, ao mesmo tempo que despediu centenas de trabalhadores (precários e subcontratados) e prepara medidas de ataque aos restantes trabalhadores. O PCP exigiu que o Governo, numa Assembleia Geral onde o Estado é o segundo maior accionista, interviesse contra estas propostas, ao mesmo tempo que alerta que a defesa da Soberania Nacional necessita da nacionalização da GALP e da defesa das refinarias, equipamentos estratégicos do nosso aparelho produtivo e da nossa soberania nacional.

Ler em PDF Requerimento colocado

Proibidas câmaras a controlar o teletrabalho: intervenção da CNPD após requerimento do PCP

covid2-Teleperformance-68Face às denúncias de vários trabalhadores da Teleperformance, de que a empresa estava a instalar câmaras para controlar os trabalhadores em Teletrabalho, o PCP requereu uma intervenção à Comissão Nacional de Protecção de Dados, que, em resposta, informou ir apurar da situação relatada e confirmou ser ilegal tal procedimento, enviando-nos o documento que se anexa.

Ler Requerimento do PCP

Ler Resposta da CNPD e Ler Documento da CNPD sobre Teletrabalho

PCP em Cabo Ruivo com os trabalhadores dos CTT

O PCP esteve no dia 8 de Abril em Cabo Ruivo, junto dos trabalhadores dos CTT, para aprofundar o conhecimento sobre a forma como a empresa está a enfrentar a actual crise. O deputado Bruno Dias assumiu o compromisso de no início da próxima semana levar à Assembleia da República um conjunto de questões relativas a medidas que devem ser implementadas para proteger os trabalhadores, o serviço público e a própria empresa.

PCP com os trabalhadores do Centro de Contacto da NOS no Edifício América

Sandra Pereira, deputada do PCP no Parlamento Europeu no CC da NOS do edifício América