PCP solidário com a luta contra a precarização do sector do táxi exige que Estado actue contra as práticas ilegais

taxi 20160429O Sector do Táxi realizou hoje uma extraordinária acção de luta contra o processo em curso, onde com a cumplicidade do Estado, se vão multiplicando as práticas ilegais (Uber, tuk-tuk, riquexós e afins) com duas características comuns: concorrência desleal com os PME's do sector do Táxi, ultra-regulados e ultra-taxados; crescente precarização das relações laborais em todo o sector. Logo às 8h30, uma delegação do PCP onde se incluia o deputado Bruno Dias, estava no Oriente a expressar - uma vez mais - activa solidariedade do PCP com a luta do sector do táxi.

PCP responde à Multinacional agradecendo a «confissão» das ilegalidades que comete

uber ilegalidadeDepois da multinacional UBER ter enviado para a Comunicação Social a carta que dirigiu ao PCP, este agradeceu-lhe o reconhecimento público (ainda que não intencional) das ilegalidades que comete, e confronta-a com outras a cujo reconhecimento tenta fugir. E recorda que «Plataformas tecnológicas para a mobilidade há muitas – e já havia antes da Uber chegar a Portugal. O problema é o modelo de negócio. Se a Uber (ou qualquer outra empresa) quiser operar em Portugal cumprindo a Lei, será bem-vinda. E isso significa simplesmente ter um serviço com viaturas autorizadas para transporte em Táxi, nos termos das normas em vigor.»

Ler Nota para a Comunicação Social

O Governo tem que actuar face às ilegalidades praticadas pela UBER

taxi uber aerA revolta espontânea do sector do táxi no Aeroporto de Lisboa, que hoje aconteceu, é motivada pela cumplicidade das autoridades para com as práticas ilegais da multinacional UBER. O facto de os Governos terem, por omissão , pactuado com estas ilegalidades está a revoltar uma classe que sofre um autêntico saque fiscal e enfrenta crescente exigência regulamentares, e vê as autoridades e o governo serem cúmplices de uma multinacional quem paga impostos nem cumpre nada daquilo que é exigido ao sector d táxi. O PCP confrontou o Governo com esta situação, expressando assim a justa solidariedade com a causa do sector do táxi.

Ler Requerimento hoje entregue 

Vereador do PCP na CM Lisboa recebe FP Táxi

fpt joaoferreiraJoão Ferreira, vereador do PCP na CM Lisboa recebeu da Federação Portuguesa do Táxi o documento aprovado na Reunião Nacional do Setor, que contém as principais preocupações e reivindicações dos industriais do sector: os ilegais (táxis deslocalizados, viaturas clandestinas, Uber e outros); a situação das animações turísticas na capital (tuk tuk e afins);  e o futuro Regulamento para as Praças de Táxi do Aeroporto e Terminais de Cruzeiro de Lisboa. O PCP expressou a sua firme disposição de combater o processo de liberalização em curso, e de defender os profissionais do sector e o papel deste no quadro do sistema de transportes públicos da cidade de lisboa.

CDU apela ao voto dos profissionais do táxi

mini-taxiset2015A CDU iniciou hoje a distribuição do Manifesto de Apelo ao voto dos Profissionais do Táxi, onde se sublinham os compromissos da CDU para com o Sector do Táxi, se denuncia o processo de liberalização em curso (e as suas consequências para trabalhadores, micro, pequenos e médios empresários). Um comunicado onde se reproduzem ainda as recentes declarações de Jerónimo de Sousa relativas ao sector do táxi.

Ler Comunicado em PDF

CDU reune com Federação Portuguesa do Táxi e assume compromissos em defesa do sector

reuniaofptA seu pedido, uma delegação da CDU foi hoje recebida na Sede da Federação Portuguesa do Táxi (na foto). A iniciativa permitiu actualizar o diagnóstico do sector e discutir os compromissos da CDU face ao mesmo - onde se destaca a necessidade de garantir o combate à actividade clandestina e ilegal, e a necessidade de valorizar o táxi como componente dos transportes públicos, invertendo um conjunto de medidas que afastaram o sector de actividades como o transporte de crianças e de doentes não acamados.

CDU presta contas ao Sector do Táxi

pcontasbase taxiAs Células do PCP no sector do Táxi estão a distribuir aos trabalhadores e profissionais do sector o Presta-Contas da CDU ao Sector do Táxi, onde se dá conta do trabalho realizado na Assembleia da República em defesa do sector e dos trabalhadores do sector.

Ver Presta-Contas em PDF

PCP nos 40 anos da Autocoope

mini-IMG 20150321 201237O PCP esteve representado na Festa comemorativa dos 40 anos da Autocoope, a maior cooperativa de táxis da Europa. Na sua intervenção, o deputado David Costa saudou a Cooperativa e sublinhou que o PCP mantem ao longo dos anos uma constante intervenção parlamentar em defesa do sector do táxi. Na jantar/festa, que contou com mais de 600 presenças, destaque ainda para a homenagem ao General Vasco Gonçalves e ao poeta da revolução, Ary dos Santos.

PCP com o Sector do Táxi

O PCP colocou na Assembleia da República duas iniciativas em apoio ao sector do táxi. que enfrenta crescentes dificuldades fruto da política do Governo. Um requerimento ao Governo sobre as medidas efectivas para combater a concorrência desleal da multinacional UBER e uma proposta na Comissão de Economia para uma Audição das Associações do Sector e do IMT. 

Requerimento sobre a UBER

Requerimento à Comissão de Economia

PCP coloca na Assembleia da República justas preocupações do Sector do Táxi

Na sequência da reunião realizada com a Federação Portuguesa do Táxi, o PCP colocou na Assembleia da República um conjunto de perguntas ao Governo que abordam algumas das justas preocupações expressas pelo sector do táxi. Um sector que tem sofrido um brutal aumento da carga fiscal ao mesmo tempo que vê o Governo estimular todo o tipo de práticas concorrenciais, que na prática, reduzem cada vez mais os rendimentos de quem vive desta actividade.

Ver os requerimentos sobre formação, concorrência e praças do Aeroporto e Porto de Lisboa