Centenas de profissionais do sector do táxi em Jantar com Jerónimo de Sousa

Ultrapassam os 350 0s profissionais do Sector do Táxi que se reuniram na Catedral (Estádio da Luz) para um jantar com Jerónimo de Sousa numa iniciativa proovida por um conjunto de profissionais do Sector. Das intervenções realizadas, destacamos o generalizado reconhecimento do papel do PCP sempre ao lado das justas reivindicações do sector, e o igualmente generalizado repúdio pelo projecto do Governo do PS de avançar com a liberalização do Sector.

Ler Intervenção do Secretário-Geral do PCP

Em defesa do sector do táxi, combater a liberalização e o domínio das multinacionais

bd taxi 0716O Grupo Parlamentar do PCP recebeu ontem a FPT e a ANTRAL, tendo aproveitado para expressar a activa solidariedade do PCP com o sector na luta que trava contra o processo de liberalização com que tentam destruí-lo. O sector do táxi do PCP aproveitou a ocasião para tornar pública uma posição clarificadora da sua posição sobre os acontecimentos mais recentes - «conclusões» do «grupo de trabalho», proposta da Autoridade da Concorrência, entrevista do Secretário de Estado - e onde apela ao reforça da unidade e da luta no sector.

Ler Nota de Imprensa em PDF

Sector dos Transportes exige que Secretário de Estado da UBER peça desculpa aos taxistas

E se dissessemos: «O Secretário de Estado José Mendes está ao serviço da UBER, é pago por esta, recebendo avultadas quantias que deposita na Suiça. Tem ainda a promessa de vir a ser nomeado para trabalhar na UBER quando sair do Governo num cargo simbólico mas pelo qual será pago principiescamente. É por ser um individuo tão corrupto que, apesar de estar no Governo, defende publicamente uma actividade ilegal em Portugal em vez de combater essa ilegalidade e fazer aplicar as leis da República.»

Estamos certos que tais afirmações levariam o citado Secretário de Estado a protestar a sua veemente indignação. Mas não se poderia queixar. Estariamos simplesmente a aplicar-lhe a ele o mesmo princípio que ele aplicou aos taxistas na entrevista que deu hoje à Visão onde afirma: «Num táxi perguntam logo que caminho queremos seguir. A pessoa vacila e é automaticamente vigarizada. Isto generalizou-se.»

O Sector dos Transportes de Lisboa do PCP expressa a sua solidariedade com os taxistas ofendidos pelo Governo e pelo Secretário de Estado da UBER «José Mendes», que deveria rectificar as suas infelizes declarações. Já sobre o plano do Governo para legalizar a UBER e lançar o sector do táxi na insolvência a resposta tem que ser imediata e clara: a luta contra esse objectvo.

O Governo está a trair o Sector do Táxi!

20160707taxiFace às conclusões do Grupo de Trabalho criado pelo Governo sobre a «modernização» do sector do táxi, o PCP alerta os profissionais do sector para três questões: para o facto dessas conclusões terem sido rejeitadas pela FPT e pela ANTRAL, e de a FECTRANS/CGTP-IN nem sequer ter sido ouvida, ou seja, fora impostas ser ter em conta a opinião de quem representa o sector; para o facto de com estas conclusões o governo se propõe a legalizar as UBER´s à custa do sector do táxi; para o facto de que enquanto isto se discute, nas ruas continua a impunidade da Uber apesar de ser reconhecidamente ilegal a sua actividade. E apela à luta!

Ler Comunicado em PDF

PCP leva à sessão da Câmara Municipal de Lisboao as preocupações do sector do táxi

taxi16julA proposta do IMT, secundada pela CM Lisboa, propõe, como forma de acabar com a actuação ilegal da UBER... a sua legalização. Uma medida que faria crescer brutalmente o contingente de táxis, já hoje excessivo, e levaria a uma verdadeira hecatombe no sector. O PCP secunda a posição do sector que qualquer regulamentação do transporte em carros não caracterizados deve ser inserida no actual contingente. O PCP lamentou ainda que a cumplicidade com a UBER prossiga, sem que o Governo faça o que quer que seja para travar a sua actuação ilegal.

Ler Nota em PDF

PCP: Em defesa do sector do Táxi

O PCP agendou para hoje o debate sobre o seu projecto de lei em Defesa do Sector do Táxi. Um debate fundamental, pois a ilegalidade continua sem ser devidamente punida enquanto cresce a desregulamentação e a precariedade, e os profissionais do sector enfrentam cada vez maiores dificuldades.

Ler Intervenção do PCP no Debate

São precisas medidas efectivas para combater a desregulamentação no sector do táxi!

taxi1605As células do PCP no sector do táxi iniciaram hoje a distribuição de um comunicado aos profissionais do sector sobre a situação que se vive no táxi. Um comunicado onde se sublinha a importância de combater a desregulamentação, quer aquela que visa promover a concorrência ilegal entre a UBER (e afins) e o sector do táxi, quer a que visa promover a precariedade e  exploração dos trabalhadores do sector. O PCP aponta o caminho da unidade e da luta como única forma de obrigar o governo a fazer cumprir as leis que regulamentam o sector.

Ler Comunicado em PDF

PCP avança com projecto-lei para reforçar eficácia das medidas de combate às ilegalidades no sector do táxi

O PCP apresentou hoje na Assembleia da República um projecto de lei no sentido de dar maior eficácia à imposição da lei contra as crescentes ilegalidades no sector do táxi, nomeadamente as praticadas pela multinacional Uber.

Ler Projecto-Lei em PDF

PCP solidário com a luta contra a precarização do sector do táxi exige que Estado actue contra as práticas ilegais

taxi 20160429O Sector do Táxi realizou hoje uma extraordinária acção de luta contra o processo em curso, onde com a cumplicidade do Estado, se vão multiplicando as práticas ilegais (Uber, tuk-tuk, riquexós e afins) com duas características comuns: concorrência desleal com os PME's do sector do Táxi, ultra-regulados e ultra-taxados; crescente precarização das relações laborais em todo o sector. Logo às 8h30, uma delegação do PCP onde se incluia o deputado Bruno Dias, estava no Oriente a expressar - uma vez mais - activa solidariedade do PCP com a luta do sector do táxi.

PCP responde à Multinacional agradecendo a «confissão» das ilegalidades que comete

uber ilegalidadeDepois da multinacional UBER ter enviado para a Comunicação Social a carta que dirigiu ao PCP, este agradeceu-lhe o reconhecimento público (ainda que não intencional) das ilegalidades que comete, e confronta-a com outras a cujo reconhecimento tenta fugir. E recorda que «Plataformas tecnológicas para a mobilidade há muitas – e já havia antes da Uber chegar a Portugal. O problema é o modelo de negócio. Se a Uber (ou qualquer outra empresa) quiser operar em Portugal cumprindo a Lei, será bem-vinda. E isso significa simplesmente ter um serviço com viaturas autorizadas para transporte em Táxi, nos termos das normas em vigor.»

Ler Nota para a Comunicação Social