Moçao da CDU aprovada: CM Odivelas não abdica da regulamentação e de contingentes no táxi

taxi quadradoPor proposta dos eleitos da CDU, a Câmara Municipal de Odivelas aprovou uma moção onde critica o facto de o Governo se preparar para liberalizar o contingente de táxis, retirando na prática competências à Câmara Municipal. E sublinha que essa questão é exactamente a que divide Governo e sector do táxi, e tem motivado as lutas do sector.

Ler Comunicado em PDF

PCP em defesa do sector do táxi e do interesse nacional

taxiilustrarO PCP está a distribuir aos profissionais do sector do táxi um comunicado sobre a ofensiva que está em curso contra o sector do táxi. No comunicado o PCP recorda as suas múltiplas intervenções em solidariedade com o sector (na própria manifestação, na acção das mulheres, na apresentação de um projecto-lei que viria a ser aprovado). E sublinha que o sector pode contar com a sua solidariedade na luta que continua contra a liberalização, contra a exploração, contra a ilegalidade.

Ler Comunicado em PDF

PCP sublinha justeza das reivindicações do sector do táxi

joaoebruno maniftaxiO vereador João Ferreira e o deputado Bruno Dias foram o rosto institucional da solidariedade activa do PCP com a justa luta do sector do táxi. Uma luta contra a impunidade, pois o Governo nada faz para punir a actividade ilegal das multinacionais, ao mesmo tempo que crava o sector do táxi com multas e regulamentos. Uma luta contra a liberalização que o Governo prepara. Uma luta contra a precariedade e a exploração que querem generalizar.

PCP leva solidariedade activa às Mulheres Unidas pelo Táxi

mupt20160929O PCP participou na acção Mulheres Unidas pelo Táxi que reuniu mais de duas centenas de activistas num jantar em Lisboa. Pelo PCP intervieram a camarada Carla Cruz, deputada na Assembleia da República e Natacha Amaro deputada da Assembleia Municipal de Lisboa, que expressaram a solidariedade activa do PCP na luta contra a liberalização do táxi.

Ler intervenção do PCP em PDF

Editado Comunicado aos Profissionais do Táxi com intervenção de Jerónimo de Sousa

capataxiEstá em distribuição um comunicado do PCP aos profissionais do táxi, onde se divulga a intervenção que o Secretário-Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, realizou no convívio que juntou mais de 350 profissionais do sector no passado dia 31 de Agosto. Uma intervenção onde se expressa o compromisso de sempre do PCP de apoiar a luta contra a liberalização do sector, pelo exigência de que acabe a impunidade de que as multinacionais têm gozado e contra a crescente exploração e precariedade.

Ler Comunicado em PDF

Centenas de profissionais do sector do táxi em Jantar com Jerónimo de Sousa

Ultrapassam os 350 0s profissionais do Sector do Táxi que se reuniram na Catedral (Estádio da Luz) para um jantar com Jerónimo de Sousa numa iniciativa proovida por um conjunto de profissionais do Sector. Das intervenções realizadas, destacamos o generalizado reconhecimento do papel do PCP sempre ao lado das justas reivindicações do sector, e o igualmente generalizado repúdio pelo projecto do Governo do PS de avançar com a liberalização do Sector.

Ler Intervenção do Secretário-Geral do PCP

Em defesa do sector do táxi, combater a liberalização e o domínio das multinacionais

bd taxi 0716O Grupo Parlamentar do PCP recebeu ontem a FPT e a ANTRAL, tendo aproveitado para expressar a activa solidariedade do PCP com o sector na luta que trava contra o processo de liberalização com que tentam destruí-lo. O sector do táxi do PCP aproveitou a ocasião para tornar pública uma posição clarificadora da sua posição sobre os acontecimentos mais recentes - «conclusões» do «grupo de trabalho», proposta da Autoridade da Concorrência, entrevista do Secretário de Estado - e onde apela ao reforça da unidade e da luta no sector.

Ler Nota de Imprensa em PDF

Sector dos Transportes exige que Secretário de Estado da UBER peça desculpa aos taxistas

E se dissessemos: «O Secretário de Estado José Mendes está ao serviço da UBER, é pago por esta, recebendo avultadas quantias que deposita na Suiça. Tem ainda a promessa de vir a ser nomeado para trabalhar na UBER quando sair do Governo num cargo simbólico mas pelo qual será pago principiescamente. É por ser um individuo tão corrupto que, apesar de estar no Governo, defende publicamente uma actividade ilegal em Portugal em vez de combater essa ilegalidade e fazer aplicar as leis da República.»

Estamos certos que tais afirmações levariam o citado Secretário de Estado a protestar a sua veemente indignação. Mas não se poderia queixar. Estariamos simplesmente a aplicar-lhe a ele o mesmo princípio que ele aplicou aos taxistas na entrevista que deu hoje à Visão onde afirma: «Num táxi perguntam logo que caminho queremos seguir. A pessoa vacila e é automaticamente vigarizada. Isto generalizou-se.»

O Sector dos Transportes de Lisboa do PCP expressa a sua solidariedade com os taxistas ofendidos pelo Governo e pelo Secretário de Estado da UBER «José Mendes», que deveria rectificar as suas infelizes declarações. Já sobre o plano do Governo para legalizar a UBER e lançar o sector do táxi na insolvência a resposta tem que ser imediata e clara: a luta contra esse objectvo.

O Governo está a trair o Sector do Táxi!

20160707taxiFace às conclusões do Grupo de Trabalho criado pelo Governo sobre a «modernização» do sector do táxi, o PCP alerta os profissionais do sector para três questões: para o facto dessas conclusões terem sido rejeitadas pela FPT e pela ANTRAL, e de a FECTRANS/CGTP-IN nem sequer ter sido ouvida, ou seja, fora impostas ser ter em conta a opinião de quem representa o sector; para o facto de com estas conclusões o governo se propõe a legalizar as UBER´s à custa do sector do táxi; para o facto de que enquanto isto se discute, nas ruas continua a impunidade da Uber apesar de ser reconhecidamente ilegal a sua actividade. E apela à luta!

Ler Comunicado em PDF

PCP leva à sessão da Câmara Municipal de Lisboao as preocupações do sector do táxi

taxi16julA proposta do IMT, secundada pela CM Lisboa, propõe, como forma de acabar com a actuação ilegal da UBER... a sua legalização. Uma medida que faria crescer brutalmente o contingente de táxis, já hoje excessivo, e levaria a uma verdadeira hecatombe no sector. O PCP secunda a posição do sector que qualquer regulamentação do transporte em carros não caracterizados deve ser inserida no actual contingente. O PCP lamentou ainda que a cumplicidade com a UBER prossiga, sem que o Governo faça o que quer que seja para travar a sua actuação ilegal.

Ler Nota em PDF