Carris e ML resistem a pagar dívida de 2011 aos seus trabalhadores

quadrad carrismlOs trabalhadores da Carris e do Metropolitano viram os tribunais dar-lhes razão sobre uma dívida de 2011 das empresas para com eles. Mas em vez de proceder ao pagamento da dívida, as empresas continuam a adiar o problema, seguindo uma litigância que alimenta gabinetes de advogados, entope tribunais e prejudica os trabalhadores. O PCP questionou o governo sobre a utilização destas tácticas nas empresas públicas, apelando ao respeito pelos direitos dos trabalhadores.

Ler requerimento em PDF

Em defesa do Sector Empresarial Público!

Uma petição da FECTRANS com mais de 5000 assinaturas, entrada à cerca de um ano, pedindo a revogação do Decreto-Lei 133/13, foi agora discutida na Assembleia da República. Entretanto, fruto da luta dos trabalhadores e da acção do PCP, a norma imperativa sobre a contratação colectiva já foi revogada aquando da votação do Orçamento de Estado. O PCP apresentou uma proposta de lei para revogar outros aspectos gravosos da lei, proposta que pode ler aqui em PDF.

Luta dos APA: PCP questiona governo sobre a sua continuada cobertura às ilegalidades do patronato

luta apa maio17Os Assistentes de Portos e Aeroportos têm uma nova jornada de luta marcada para os próximos dia 13 a 17 de Maio, no quadro da sua justa luta por melhores condições de trabalho e remuneração. Nos anteriores processos de luta o Governo tomou partido pelo patronato, nomeadamente através de despachos ilegais que tentaram limitar o direito à greve à generalidade dos APA. O PCP confrontou o Governo sobre se vai continuar a tomar partido pelo patronato ou vai passar a cumprir a lei.

Ler Requerimento em PDF

A propósito do Acordo Governo / Vinci para não construir o Novo Aeroporto de Lisboa

16022017aeroportoO Sector dos Transportes está a distribuir um comunicado sobre o Memorando assinado ontem entre o Governo e a multinacional Vinci. Um mau negócio para o país, que implica libertar a multinacional dos compromissos assumidos aquando da compra da ANA, e vem mais uma vez recolocar a necessidade de renacionalizar a ANA. Neste comunicado o PCP denuncia ainda a duplicidade de um Governo que, quando se tratou se travar os abusos e tropelias sucessivos da Vinci nunca quis impor-se a esta escudando-se no contrato de concessão, mas agora celebra acordos que alteram em benefício da multinacional esses contratos de concessão.

Ler Comunicado em PDF

PCP critica discriminação do Governo nos descontos anunciados para Lisboa

discriminadescontosA DORL do PCP emitiu hoje uma nota de imprensa a propósito da entrada em vigor dos descontos de 60% para maiores de 65 anos e da gratuitidade para os menores de 12 anos. Uma nota onde se valoriza esses descontos mas se combate a discriminação que lhe está subjacente. É que estes descontos são pagos e decididos pelo Governo mas limitados à Cidade de Lisboa e feitos coincidir com a municipalização da Carris por evidentes objectivos propagandísticos. O PCP exige que estes descontos, válidos na CP e no Metro apenas para a Cidade de Lisboa, sejam imediatamente alargados a todos os maiores de 65 anos e a todos os menores de 12 anos.

Ler a Nota de Imprensa em PDF

Transportes Públicos: Contra os aumentos, afirmar a política alternativa ao serviço dos utentes e do país!

passevsaumentos2O PCP lançou hoje uma nova fase da sua campanha pelo alargamento do passe social intermodal, num comunicado onde dá conta do chumbo da proposta de lei na Assembleia da República com os votos contra de PS/PSD/CDS e a abstenção do BE, e sublinha a contradição dessa votação com a aprovação de moções em todos os 18 municípios e na esmagadora maioria das freguesias da região. No mesmo comunicado, o PCP condena os aumentos impostos pelo Governo PS, no fundo a continuação da política de mercantilização dos transportes.

Ler Comunicado em PDF

PCP exige anulação de aumento de preços ilegal nos transportes e critica opções do Governo

dorlaumentoprecosEm Nota de Imprensa, o PCP critica os aumentos de preço nos transportes públicos, considerando-os errados, injustos e ilegais, e face a essa notória ilegalidade, o PCP exige a anulação dos aumentos praticados. No mesmo comunicado, o PCP sublinha que estes aumentos são a continuação de um caminho errado para os transportes públicos, e anunciou uma nova fase da sua campanha «Pelo Alargamento do Passe Social Intermodal a toda a área metropolitana, todos os operadores e todas as carreiras», peça central de uma visão radicalmente diferente das políticas de transporte, colocadas ao serviço dos utentes e não dos grupos monopolistas.

Ler Nota de Imprensa em PDF

PCP contra a opção do Governo de se submeter aos especuladores no caso Santander

swaps santaderO PCP colocou um requerimento ao Governo sobre os desenvolvimentos do processo das swaps do Santander. O PCP critica a opção do Governo de continuar o caminho errado de aceitar que um Tribunal da City decida sobre a «legalidade» de algo que é completamente ilegal em Portugal: gestores públicos e governantes jogarem com o dinheiro dos contribuintes. O Governo, mais uma vez, escolheu seguir os passos do anterior governo, adiando o pagamento (cerca de 2 mil milhões de euros de perdas especulativas) em vez de reunir forças para enfrentar os banqueiros e os especuladores.

Ler Requerimento em PDF

Transportes Públicos: Deixem-se de promessas, deixem-se de hipocrisias, resolvam os problemas! !

O PCP interveio hoje no debate sobre transportes públicos recordando que o essencial dos problemas já foi por diversas vezes colocado ao Governo, e este tem até agora prometido muito e cumprido pouco, e desmascarando a hipocrisia de PSD/CDS, que depois de terem arrasado com as empresas durante o seu mandato no governo, vem agora dar razão aos utentes que tanto ugnoraram e prejudicaram enquanto foram governo.

PCP contra aumento de preços nos transportes e nas portagens

precostransportesportagO PCP apresentou hoje um requerimento ao Governo sobre os aumentos de preços decretados para os transportes e para as portagens, criticando quer esses aumentos, quer o facto de o governo optar por consolidar os brutais aumentos nos transportes impostos pelo anterior governo, quer o facto do governo ter optado por publicar o despacho dos aumentos para os transportes demasiado tarde, face aos prazos de divulgação prévia aos utentes e aos prazos para articular com outras entidades, públicas e privadas, a politica tarifária. 

Ler Requerimento em PDF