Plenário de Sindicatos da CGTP-IN destaca resultados da luta e compromete-se na sua intensificação

94657740-2bd8-4868-88f1-14cece693670Quase sete centenas de representantes dos sindicatos reuniram-se na passada quinta feira, no Cinema S. Jorge, em Lisboa. O Plenário de Sindicatos, principal órgão entre congressos, discutiu e aprovou uma rosolução em que se valoriza a importância e os resultados da luta de massas. O representantes dos sindicatos compromeetram-se ainda em "lutar para concretizar a mudança necesssária" do rumo do país, intensificar a acção reivindicativa nas empresas e locais de trabalho e empenharem-se na divulgação, discussão e mobilização para o XIII Congresso da CGTP-IN que se realiza nos dias 26 e 27 de Fevereiro em Almada.

Ler Resolução Aprovada

Saudação ao XI Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa

encerramento 11 congresso uslA Direcção da Organização Regional de Lisboa do Partido Comunista Português expressa a sua fraterna saudação aos delegados da XI Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa na convicção de que a vossa discussão e conclusões serão a expressão da força, combatividade e capacidade de transformação dos trabalhadores no distrito de Lisboa.

 

Continuar...

Dirigentes Sindicais da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos

Em comunicado a distribuir aos seus colegas de trabalho, dirigentes sindicais do SINTAB explicam as razões que os levam a votar CDU e apelar aos trabalhadores para que também o façam. A necessidade de uma política que defenda e valorize o trabalho e os trabalhadores, a necessidade inequívoca de uma transformação do país e do desenvolvimento do aparelho produtivo nacional são ideias chave para o apelo ao voto na CDU.

 

Ler documento em PDF

Trabalhadores em Estruturas Sindicais: Dar mais força à luta, dar mais força à CDU

Na edição de Junho do Boletim Informativo da Organização de Trabalhadores Comunistas em Estruturas Sindicais é feito o forte apelo para o apoio à CDU como garantia do refoço da luta dos trabalhadores em defesa dos seus legítimos interesses. Outros destaques: a Festa do Avante! em construção; Guerra, pobreza e morte no Mediterrâneo; Apresentação dos eixos essenciais do projecto político da CDU.

 

Boletim Informativo N. 6 em PDF

Debate público sobre os livros "O Partido Comunista Português e a Luta Sindical"

O Sector Sindical da ORL do PCP promove no próximo dia 13 de Maio, quarta-feira, pelas 18h00 no CT Vitória um debate público sobre os livros "O Partido Comunista Português e a Luta Sindical" volumes I (1935 a 1973) e II (1974 a 1995) que contará com a participação de Francisco Lopes do Secretariado e Comissão Política do CC do PCP. A obra "O Partido Comunista Português e a Luta Sindical", no conjunto dos seus dois volumes, dá a conhecer, de forma sistematizada o processo de formação e desenvolvimento do movimento operário e sindical português e as principais tomadas de posição do PCP e orientações para a intervenção dos comunistas nesta importante frente de trabalho. O conhecimento deste materiais é fundamental para os comunistas e para todos os que estejam verdadeiramente empenhados num movimento sindical de classe, unitário, de massas e independente. O seu estudo arma - com uma experiência de abnegadas gerações - os lutadores do presente, desmestifica mentiras permanentemente repetidas e alarga a perspectiva e os objectivos colocados para a luta.


Jantar do Sector Sindical encheu salão do CT Vitória

Intervindo num jantar promovido pelo Sector Sindical da ORL do PCP, Jerónimo de Sousa destacou as declarações de Passos Coelho na Fundação Champalimaud onde este afirmou o objectivo de reduzir ainda mais os custos do trabalho nas empresas, a par do alívio fiscal dos grandes grupos económicos e financeiros pela via do abaixamento do IRC. Ouvir aqui

Boletim dos TES: Com as propostas do PCP semear o futuro!

O Boletim Informativo da Organização dos Trabalhadores em Estruturas Sindicais da ORL do PCP, na sua edição de Fevereiro, destaca a realização do Comício do 94º aniversário do Partido. Espaço ainda para apresentar as importantes lutas que se avizinham e que exigem a mobilização de todos os democratas e patriotas e ainda uma análise sobre os mais recentes desenvolvimentos na União Europeia com o título "União Europeia: Contra a política de direita, ruptura e luta", as principais tarefas que se colocam aos militantes do Partido e a necessidade de "intensificação da acção reivindicativa e luta nas empresas e locais de trabalho e nas ruas". Ler documento em PDF

É inaceitável que governo impeça a publicação dos acordos colectivos firmados entre os trabalhadores e as Autarquias

Durante toda esta semana, em frente ao Ministério das Finanças, activistas sindicais de todo a país exigiram ao governo a publicação dos acordos colectivos (ACEP). A deputada Paula Santos esteve presente, numa demonstração de solidariedade do PCP com a justa luta dos trabalhadores da Administração Local pelo direito às 35 horas semanais, pela contratação colectiva e pelo autonomia do Poder Local.

Semana de Luta dos Trabalhadores da Administração Local

Semana de luta dos trabalhadores da Administração Sindical. Desde ontem (26 de Janeiro) até sexta-feira, o STAL/CGTP-IN promove concentrações junto ao Ministério das Finanças. O primeiro dia da semana de luta pela publicação imediata dos ACEP, contou com a participação de activistas sindicais das regiões de Bragança, Coimbra, Vila Real, Viseu e Lisboa, que vieram até ao Ministério das Finanças exigir que se cumpra a lei e lutar pelas 35 horas. Ver mais aqui

Acção Pública da CGTP-IN: "Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar"

A CGTP-IN promoveu ontem, dia 10 de Dezembro uma acção pública na Rua do Carmo em Lisboa, com o tema "Direito a trabalhar com vida pessoal e familiar". No documento distribuído ao som de diversos testemunhos na primeira pessoa exemplificando a repressão existente nos locais de trabalho, a CGTP-IN lembra o artigo 59ª da Constituição da República Portuguesa que declara que todos os trabalhadores têm direito à "organização do trabalho em condições socialmente dignificantes, de forma a facular a realização pessoal e a permitir a conciliação da actividade profissional com a vida familar". Quem está contra a lei, contra a Constituição da República é o Governo PSD/CDS-PP e o grande patronato ao promoverem a imposição de bancos de horas, violações no horários de trabalho, violações a direitos contratuais e legais relativos a descansos. Na Acção Pública a CGTP-IN apresentou ainda um conjunto de propostas para que sejam efectivados os direitos constitucionalmente garantidos.