PCP saúda a luta dos trabalhadores da LUSA

 

mini-Lusa20121017 fNa véspera do início de uma greve de quatro dias na agência Lusa, o PCP emitiu um comunicado que distribuiu aos trabalhadores da empresa. A iniciativa, que contou com Bruno Dias, do Grupo Parlamentar do PCP, foi um gesto de apoio à luta destes trabalhadores, que se intensificou após o anúncio do corte de cerca de 31% da Indemnização Compensatória em sede de Orçamento de Estado para 2013. Os trabalhadores foram surpreendidos ao final do dia de ontem com a aprovação de um plano de despedimentos pela Administração da empresa, ainda antes da votação do OE 2013 e da definição do novo contrato programa com o Estado. O Grupo Parlamentar do PCP apresentou já um requerimento para audição do Presidente da Administração da Agência Lusa.

Ler Comunicado em PDF

PCP com a luta dos trabalhadores do Público

mini-publico2012 desp

Na passada Quarta-Feira, a Administração e a Direcção Editorial do Público anunciaram, em cumplicidade, o despedimento de 48 trabalhadores, 28 dos quais jornalistas. Sem qualquer respeito por negociações anteriores, afirmam que a bóia de salvação do jornal é a rescisão com estes profissionais. O mesmo grupo que reclama na sua página que 2011 foi um dos anos com melhores resultados financeiros, e que diz ter as pessoas no centro do seu sucesso, lança para o desemprego meia centena de trabalhadores.  A solidariedade do PCP com os trabalhadores do jornal foi expressa pela distribuição de um comunicado à porta da empresa, que contou com a presença de Miguel Tiago, do grupo parlamentar. Os trabalhadores do Público cumprem um dia de greve na próxima Sexta-Feira, 19 de Outubro.

Ler Comunicado em PDF

Trabalhadores da Lusa em protesto

mini-lusa20121008Os trabalhadores da Agência Lusa realizaram esta Segunda-Feira uma vigília frente à empresa, em protesto contra os cortes orçamentais impostos pelo Governo. A luta conta com a solidariedade do PCP, expressa pela presença no local de membros do Sector Intelectual da ORL. Em resolução aprovada por unanimidade e aclamação no plenário realizado a 3 de Outubro, os trabalhadores rejeitam “liminarmente qualquer redução arbitrária” das verbas estatais. Foi decidido ainda o recurso à greve, cujo pré-aviso foi já enviado pelo Sindicato dos Jornalistas e pelo SITE ao Ministério da Economia e do Emprego e à Administração da Lusa.

Trabalhadores da RTP em vigília pelo serviço público de rádio e televisão

mini-vigilia3

Os trabalhadores da RTP realizaram ontem uma vigília em defesa do serviço público de rádio e televisão, frente à residência oficial do primeiro-ministro. A vigília, convocada pelos sindicatos representativos dos trabalhadores ao serviço da RTP (Sindicato dos Jornalistas, STT, SINTTAV, SMAV, FE, SITIC, STE), integra-se num rol de iniciativas com vista à salvaguarda do futuro da empresa, dos seus postos de trabalho e do serviço público prestado ao povo e ao País. Bruno Dias, deputado do PCP, deslocou-se ao protesto para reafirmar a solidariedade com os trabalhadores e o empenho dos comunistas na luta pela defesa do serviço público de rádio e televisão.

PCP solidariza-se com a luta e resistência dos trabalhadores da RTP

mini-28082012024

Os comunistas rejeitam qualquer proposta que conduza à privatização do serviço público de rádio e televisão. A concretizar-se esta opção pelo executivo de Passos Coelho, culmina um longo processo de ataques por parte dos sucessivos governos de direita contra a rádio e televisão pública, que só não avançaram mais porque embateram na oposição dos trabalhadores e da população. A luta e resistência pela defesa do serviço público de rádio e televisão e pela defesa dos postos de trabalho e direitos dos trabalhadores contaram e contarão sempre com o apoio e a participação do PCP.

Ler Comunicado em JPG

Ruptura e Saída da Crise: Portugal a produzir

mini-cartaz.debate.cta

Face à tremenda ofensiva das políticas de sucessivos governos de direita, alternadamente pelo PS e PSD, com ou sem o CDS-PP, e face às imposições da Troika, o Partido Comunista Português tem-se destacado como a força política que consistentemente tem combatido a política de direita e defendido a soberania nacional, e que tem mobilizado os trabalhadores e povo português em campanhas de resistência contra estas políticas e o Pacto de Agressão. Mas o PCP não é apenas uma força de resistência.

Continuar...

Contra o despedimento colectivo no Grupo Impala

impala

Face ao despedimento colectivo no Grupo Impala, o PCP: manifesta a sua solidariedade e apela aos jornalistas e a todos os trabalhadores atingidos por esta medida do grupo Impala para que se mobilizem e lutem em defesa dos seus postos de trabalho; reclama do Governo PSD/CDS medidas que impeçam o livre arbítrio do patronato neste sector, a adopção de políticas que valorizem o serviço público e combatam a concentração da propriedade dos órgãos de comunicação social ; e assume o compromisso de levar por diante as iniciativas que considere necessárias para denunciar e impedir a sua concretização, tendo já apresentado um requerimento ao Governo na Assembleia da República acerca desta matéria e solicitado a intervenção da Autoridade para as Condições de Trabalho.

Ler Nota de Imprensa em PDF

PCP realiza Audição sobre a Revisão da Estrutura Curricular

prof aud

Realizou-se, no salão do Centro de Trabalho Vitória, uma audição parlamentar sobre a revisão da estrutura curricular apresentada pelo MEC. No final da sessão o deputado Miguel Tiago fez uma síntese dos contributos recolhidos e reafirmou o empenho do PCP, através do seu grupo parlamentar, em combater a política de destruição da escola pública. No entanto não deixou de recordar a todos os presentes que o trabalho institucional do grupo parlamentar é apenas uma parte do combate que tem que ser travado por todos os democratas contra a política de direita, contra o memorando da troika internacional e contra o pacto de agressão que a troika nacional aceita sem contestação e que leva Portugal e os portugueses no caminho da destruição.

Posição da Direcção do Sector Intelectual de Lisboa do PCP sobre as recentes medidas para a cultura

O governo do PSD/CDS anunciou o que designa como medidas de reestruturação da Administração Central. Tal como o governo PS fez com o PRACE, agora com o pomposo nome de PREMAC - Programa de Redução e Melhoramento da Administração Central - o que o governo procura é um novo salto qualitativo na demissão do papel do Estado no cumprimento das suas funções constitucionais na prestação de serviços públicos, ao mesmo tempo que ataca brutalmente os direitos e os salários dos trabalhadores da Administração Pública.

Continuar...

Faleceu José Manuel Osório

jose_m_osorio.jpgCom o falecimento de José Manuel Osório, o PCP, o Portugal de Abril, a democracia portuguesa e o povo de Lisboa e, sobretudo, o Fado, perderam um artista empenhado, um estudioso apaixonado, um militante determinado.

Continuar...

Subcategorias