Fourier

FOURIER, FRANÇOIS-MARIE CHARLES (1772—1837)


Socialista utópico francês, um dos antecessores do socialismo cientifico. Nas suas obras “Teoria dos quatro movimentos e dos destinos gerais” (1808), “Teoria da unidade universal” (1822) e “O novo mundo industrial e societário” (1829) pôs a nu as lacras do capitalismo, a anarquia da produção inerente a esse regime – anarquia que conduz à crise -, o parasitismo, a universal venalidade e a cobiça, a crescente miséria dos trabalhadores e a riqueza de uma minoria, a hostilidade dos seus interesses.

Fourier elaborou planos para a transformação pacífica da "irracional" sociedade burguesa num "regime de harmonia" no qual o homem se desenvolvesse livremente e possa satisfazer todas as suas necessidades. O pilar fundamental da "sociedade harmónica", segundo Fourier, é a falange (associação) baseada no trabalho universal. Entendia Fourier que o trabalho perderia os seus traços repulsivos e se converteria na primeira necessidade do Homem, num prazer, dado que cada membro da falange elege voluntariamente a sua classe de trabalho, e no decorrer da jornada de trabalho, pode trocar as suas ocupações na indústria e na agricultura. Em vez da concorrência burguesa, estabelecer-se-ia a emulação entre os indivíduos para alcançar os melhores resultados, desapareceria a divisão do trabalho, divisão que deforma o homem, desapareceria a contradição entre o trabalho intelectual e o trabalho físico, entre a cidade e o campo.

Marx e Engels tiveram em muita estima estas geniais conjecturas de Fourier sobre a sociedade futura. Na falange, na opinião de Fourier, o trabalho alcançará uma grande produtividade, e obter-se-ia a abundância de bens materiais que se distribuiriam de acordo com o trabalho realizado e o talento. A passagem para a nova sociedade teria lugar, segundo Fourier, como resultado da propaganda que se faça em torno da experiência dos falanstérios, cujo exemplo será seguido por toda a humanidade.

Fourier confiava poder organizar os falanstérios com a ajuda de capitais facilitados por burgueses de bom coração. Não compreendeu a missão histórica do proletariado, negava o significado da luta de classes e a necessidade de que a sociedade capitalista se transformara por via revolucionária, o que era reflexo do escasso desenvolvimento do proletariado. No entanto, e apesar do carácter utópico e fantástico de muitas das suas conjecturas, a doutrina de Fourier teve uma influência positiva e constituiu uma das fontes do socialismo cientifico.

in Dicionário de Economia Política de Borísov, Zhamin y Makárova

Saint Simon

SAINT-SIMON DE ROUVROY, CLAUDE-HENRI (1760-1825)

"A Idade de Ouro, que uma cega tradição situou até agora no passado, está à nossa frente." Saint-Simon, o grande socialista utópico francês, começava com estas palavras uma das suas obras capitais, as Opinions  littéraires, philosophiques et industrielles. A verdadeira Idade de Ouro - dizia - começará quando tiver sido criada uma sociedade que melhor convenha à enorme maioria e que, ao mesmo tempo, mais favoreça o desenvolvimento de todas as aptidões humanas. Uma sociedade onde reine o interesse brutal é incapaz de satisfazer as necessidades da maioria e de desenvolver as aptidões de cada um.

O melhor sistema social é aquele que traz a felicidade aos trabalhadores, isto é aqueles que formam a maioria da sociedade.

Saint-Simon esboçou uma teoria do progresso humano absolutamente notável para o seu tempo, se bem que a sua descrição da sociedade futura seja algum tanto imprecisa. Esta sociedade não contará ociosos; ao governo das pessoas sucederá a administração das coisas. A satisfação máxima das necessidades de cada um dos seus membros torna-se o objectivo principal da sociedade. O poder temporal está nas mãos duma Assembleia de Industriais, o poder espiritual é assumido por uma Academia das Ciências.

Mas mesmo quando anunciavam o fim do reino da ociosidade e o princípio de uma nova era, a do trabalho, nem Saint-Simon nem os seus discípulos - os saint-simonianos - sabiam como lá chegar,e não viam qual era o caminho real a seguir para realizar os seus ideais. Também, por isso mesmo, eles não puderam apreciar a seu justo valor o significado da luta de classes, primeira força motriz da história. É por isso também que nos dão um quadro assaz vago da sociedade futura. Eles diziam, por exemplo, que são os industriais que gerirão a produção. Mas quem seriam esses industriais? Os partidários de Saint-Simon não hesitam em incluir sob este termo lado a lado capitalistas e operários.

Mas apesar de todas as incoerências desta doutrina, a ideia duma sociedade onde cada um trabalhe segundo as suas capacidades e receba consoante o seu trabalho tinha uma importância enorme. Este princípio is ser inscrito no programa do socialismo como uma exigência fundamental. Não menos importante se afigura a ideia de Saint-Simon segundo a qual a sociedade, uma vez liberta da exploração, vê aparecer gigantescas forças criadoras; o desenvolvimento universal da técnica e da ciência, o domínio das forças naturais colocadas ao serviço do homem, passam a ser os seus lemas. 

in Génese e Princípios de "O Socialismo e o Comunismo Científicos" da Editorial "Avante!"