Já saiu o 2º número da publicação Direito à Esquerda!

DIREITO À ESQUERDA 02-1Terminadas as férias judiciais, o número
dois do DIREITO À ESQUEЯDA dá particular atenção às condições de trabalho que osAdvogados enfrentam nos Tribunais face às medidas tomadas no contexto da situação sanitária que atravessamos. Apresentamos também uma breve nota sobre as discussões que têm sido mantidas em torno do futuro da CPAS, frisando a necessidade de tais discussões envolverem os principais interessados nas mesmas: os Advogados e Solicitadores.
A terminar, deixamos uma referência à candidatura de João Ferreira às eleições presidenciais de 2021, candidatura indelevelmente vinculada à defesa da Constituição. Regressamos em Outubro, em defesa de um DIREITO À ESQUEЯDA!

Ler a publicação completa AQUI!

Saiu o primeiro número do "Direito à Esquerda"

DIREITO A ESQUERDA boletim julho 2020 page-0001 FotorTambém os advogados e juristas se organizam no Sector Intelectual, em concreto no Subsector dos Advogados e Juristas. Este DIREITO À ESQUEЯDA, cuja primeira edição agora lê, é o Boletim do Subsector dos Advogados e Juristas. Através deste meio, vamos trazer, com um carácter regular, notícias da nossa actividade e da actualidade que mais interessa a esta camada profissional.
Também trataremos de divulgar a proposta política do PCP, elementos de formação ideológica e quaisquer outros conteúdos que se adequem a este suporte. Simbolicamente, este é o número zero. Propomo-nos começar a ocupar este vazio, porque urge termos DIREITO À ESQUEЯDA!

Lê AQUI o boletim!

Ao Ensino Superior e investigação - Na resposta à pandemia nem um direito a menos!

Documento ES - PCP Abril 2020Ao Ensino Superior e investigação - Na resposta à pandemia nem um direito a menos!
Foi emitido pelo sub-sector do Ensino Superior e Investigação do Sector Intelectual da ORL do PCP um comunicado dando conta da acção e iniciativa política do PCP na defesa deste sector. O PCP alerta para a necessidade de resposta ao ataque aos direitos dos profissionais.
Durante este período excepcional é fundamental e urgente dotar as instituições, os docentes e os estudantes com os meios materiais e técnicos necessários à realização das aulas no regime de ensino à distância, bem como proporcionar aos docentes o necessário apoio.

Ler comunicado completo AQUI!

Aos arquitectos e demais trabalhadores da Arquitectura

IMG 00001

A Arquitectura tem sido nos últimos anos o parente pobre do desenvolvimento económico associado à especulação imobiliária. Se é verdade que por um lado e no pós-Troika aumentou a quantidade de trabalho disponível para os arquitectos, não é menos verdade que este aumento de trabalho foi feito com a manutenção e alargamento da precarização da profissão.

Salários baixos, falsos recibos verdes, contratos a termo sem justificação formal, bancos de horas ilegais ou horas extra não remuneradas, inexistência de formação profissional e a ausência de carreiras profissionais foram e continuam a ser a realidade da esmagadora maioria dos arquitectos que exercem a sua actividade como assalariados no sector privado.

Ler o comunicado AQUI!!

Sobre o dia mundial do livro - Declaração do Sector intelectual da DORL

dia mundial do livroAssinalando o Dia Mundial do Livro, é indispensável constatar as tremendas dificuldades com que se depara quem nele trabalha:
- as condições económicas e materiais do escritor, sendo poucos os que conseguem viver apenas com um rendimento decorrente da escrita e notórias as dificuldades que enfrentam para receber os seus direitos de autor;

Continuar...

Aos trabalhadores das produtoras de audiovisuais

covid Sector Intelectual-01O sector audiovisual no nosso país tem muitas pequenas produtoras que tentam sobreviver mas, como acontece noutros sectores, é domi- nado por alguns grandes grupos, que aumen- tam e alargam os seus lucros à custa dos seus trabalhadores e das diversas formas de exploração que utilizam: onde predomina a preca- riedade, praticada através de recibos verdes, contratos a prazo ou sub-contratação de em- presas e trabalhadores.

ler comunicado do sector intelectual da ORL

 

Ciclo de debates do Sector Intelectual da ORL

marx2-01

O Sector intelectual da ORL irá realizar um ciclo de debates em torno dos 200 anos do nascimento de Karl Marx. Acompanha a programação e participa.

 

Ver Cartaz aqui!

 

Assinala-se hoje, 23 de Abril, o Dia Mundial do Livro.

dia mundial do livroAssinala-se hoje, 23 de Abril, o Dia Mundial do Livro.
Valoriza-se, assim, o papel do livro como importante meio de transmissão de cultura, de criatividade e de liberdade, celebra-se os que os criam, os que trabalham a língua e as palavras, os que nos fazem pensar, imaginar, aprender, os que nos impelem a sair de um caminho único e nos abrem novos horizontes.
Reflictamos, também, sobre a situação do livro no nosso país.

Continuar...

Venda de Natal no Centro Trabalho Vitória

CONVITE Venda de Natal SI DEZ2017

Já se encontra a funcionar a Venda de Natal no Centro de Trabalho Vitória, organizada pelo Sector Intelectual da ORL. Na venda de natal, que decorre até dia 22 de Dezembro, podes encontrar pinturas, gravuras, serigrafias, cartazes, molduras, livros e o Caderno Vermelho.

O Orçamento do Estado e a Cultura: não é melhor porque o PS não quis!

Foi aprovado, no dia 27 de Novembro, o Orçamento do Estado (OE) para 2018. O PCP votou favoravelmente. Fê-lo porque este OE consolida e não recua em nenhum dos avanços e reposições conseguidos nos últimos dois anos. Alega o PS que o dinheiro não chega para tudo. É verdade. Enquanto se pagar 7 mil milhões de euros de juros da dívida por ano – cerca do dobro do que se gasta em investimento público; 1691 milhões de euros em Parcerias Público Privadas; 700 milhões em SWAPS; 500 milhões de euros em benefícios fiscais no IRC, em grande parte dirigidos aos grandes grupos económicos nacionais e estrangeiros; se mantiver a obsessão pelo défice, onde cada décima de redução significa menos 200 milhões de euros de investimento e recuperação de direitos e rendimentos, o dinheiro não chega para tudo. Enquanto se mantiverem estas “clientelas”, como chamam PSD e CDS aos trabalhadores e sectores que agora recuperam alguns direitos e rendimentos, enquanto estes subsidiodependentes continuarem a sugar o Estado, o dinheiro não chegará para tudo.

Ler documento em PDF

Subcategorias