Sector dos Transportes exige que Secretário de Estado da UBER peça desculpa aos taxistas

E se dissessemos: «O Secretário de Estado José Mendes está ao serviço da UBER, é pago por esta, recebendo avultadas quantias que deposita na Suiça. Tem ainda a promessa de vir a ser nomeado para trabalhar na UBER quando sair do Governo num cargo simbólico mas pelo qual será pago principiescamente. É por ser um individuo tão corrupto que, apesar de estar no Governo, defende publicamente uma actividade ilegal em Portugal em vez de combater essa ilegalidade e fazer aplicar as leis da República.»

Estamos certos que tais afirmações levariam o citado Secretário de Estado a protestar a sua veemente indignação. Mas não se poderia queixar. Estariamos simplesmente a aplicar-lhe a ele o mesmo princípio que ele aplicou aos taxistas na entrevista que deu hoje à Visão onde afirma: «Num táxi perguntam logo que caminho queremos seguir. A pessoa vacila e é automaticamente vigarizada. Isto generalizou-se.»

O Sector dos Transportes de Lisboa do PCP expressa a sua solidariedade com os taxistas ofendidos pelo Governo e pelo Secretário de Estado da UBER «José Mendes», que deveria rectificar as suas infelizes declarações. Já sobre o plano do Governo para legalizar a UBER e lançar o sector do táxi na insolvência a resposta tem que ser imediata e clara: a luta contra esse objectvo.

Nos Portos, só a luta dos trabalhadores pode travar a exploração e a precariedade!

comunicadoportos201607O Sector Portuário do PCP está a distribuir um comunicado aos estivadores, onde se abordar duas grandes questões: o combate à precariedade e à exploração na estiva, valorizando a luta e a assinatura de um CCT no Porto de Lisboa e alertando para a necessidade de alargar essa luta; o facto de PS/PSD/CDS, a troika da política de direita, terem-se aliado para chumbar o projecto de resolução do PCP que apontava a necessidade de rever o regime jurídico do trabalho portuário, e o facto dessa luta ter que ser intensificada em cada Porto.

Ler Comunicado em PDF

Alerta aos trabalhadores da Scotturb

20160707scotturbFace aos boatos que o próprio patrão está a fazer circular na empresa, a Célula do PCP na Scotturb emitiu uma nota de esclarecimento e alerta sobre as verdadeiras implicações para os trabalhadores do Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros aprovado por PSD/CDS/PS há cerca de um ano e que está agora a entrar em vigor. Uma nota onde se apontam os caminhos de luta para combater os perigos deste processo de liberalização, e se sublinha que é na sua própria força e organização que os trabalhadores devem confiar.

Ler Comunicado em PDF

O Governo está a trair o Sector do Táxi!

20160707taxiFace às conclusões do Grupo de Trabalho criado pelo Governo sobre a «modernização» do sector do táxi, o PCP alerta os profissionais do sector para três questões: para o facto dessas conclusões terem sido rejeitadas pela FPT e pela ANTRAL, e de a FECTRANS/CGTP-IN nem sequer ter sido ouvida, ou seja, fora impostas ser ter em conta a opinião de quem representa o sector; para o facto de com estas conclusões o governo se propõe a legalizar as UBER´s à custa do sector do táxi; para o facto de que enquanto isto se discute, nas ruas continua a impunidade da Uber apesar de ser reconhecidamente ilegal a sua actividade. E apela à luta!

Ler Comunicado em PDF

CarrisTur: Face à continuação do roubo, a luta continua!

carristur20160706Os trabalhadores da CarrisTur realizaram hoje um plenário de trabalhadores (na foto) onde decidiram a marcação de uma nova jornada de luta, para o dia 22 de Julho. Para esse dia os trabalhadores decidiram realizar uma greve de 24 horas e uma manifestação entre o Largo do Rato e a residência oficial do 1º Ministro. Os trabalhadores lutam contra o roubo de 70 euros no seu ordenado e pela aplicação da contratação colectiva. O PCP já colocou ao governo esta questão, solidarizando-se com a luta dos trabalhadores. (Revisitar Requerimento colocado pelo PCP em Março)

PCP leva à sessão da Câmara Municipal de Lisboao as preocupações do sector do táxi

taxi16julA proposta do IMT, secundada pela CM Lisboa, propõe, como forma de acabar com a actuação ilegal da UBER... a sua legalização. Uma medida que faria crescer brutalmente o contingente de táxis, já hoje excessivo, e levaria a uma verdadeira hecatombe no sector. O PCP secunda a posição do sector que qualquer regulamentação do transporte em carros não caracterizados deve ser inserida no actual contingente. O PCP lamentou ainda que a cumplicidade com a UBER prossiga, sem que o Governo faça o que quer que seja para travar a sua actuação ilegal.

Ler Nota em PDF

Vitória no Handling: Acordo com o Governo permite suspensão da greve!

handling300616Os trabalhadores do Handling conseguiram uma importante vitória hoje, através de um acordo com o Governo que permitiu desconvocar a jornada de greve marcada para dia 1, 2 e 3 de Julho. Uma vitória importante, num caminho de resistência ao crescimento da precariedade, dos baixos salários e da desregulamentação. Mas uma vitória numa luta que tem que continuar, como aponta o comunicado do PCP que está neste momento a ser distribuído.

Ler Comunicado em PDF

Contra o despedimento colectivo e a exploração: a luta continua na Portway!

portway3006Face às hipócritas declarações do Ponce de Leão, capataz em Portugal da multinacional Vinci, o PCP recorda a importância de resistir ao processo de crescimento da precariedade e da exploração, saúda a luta dos trabalhadores, recorda a necessidade de renacionalizar a ANA (detentora da Portway) e apela à adesão ao PCP e à luta organizada do trabalho contra o capital.

Ler Comunicado em PDF

Ferrovia: sobram ETT's, faltam trabalhadores e desaparece a segurança!

ferrovdiO PCP apresentou hoje um conjunto de questões ao Governo relativas à degradação da situação na ferrovia nacional. Na IP recorre-se à contratação de Empresas de Trabalho Temporário; na CP esvaziam-se bilheteiras para suprir comboios; e por razões economicistas acaba-se com o comboio socorro do Barreiro. Exemplos de uma situação que se agrava enquanto o Ministro das Infraestruturas mantém as políticas de direita.

Requerimento sobre as ETT na IP; sobre o Comboio Socorro; sobre a falta de trabalhadores na CP

PCP insiste: o futuro da Rede do Metropolitano deve ser tratado de forma séria!

metrofuturoPela segunda vez o PCP requereu ao Governo, na Assembleia da República, a divulgação dos instrumentos de gestão e planificação que levaram às conclusões divulgadas sobre o futuro da rede do Metropolitano de Lisboa. Este assunto é demasiado sério para ser tratado como um souund-bite ou uma linha de demagogia eleitoralista olhando para as autárquicas, como aconteceu demasiadas vezes no passado.

Ler Requerimento em PDF