Carris: O que é e para que serve a Apreciação Parlamentar que o PCP colocou?

carris090217O PCP iniciou hoje de madrugada a distribuição de um comunicado aos trabalhadores sobre a Apreciação Parlamentar do Decreto-Lei da Carris que, por iniciativa do PCP decorrerá no próximo dia 24 de Fevereiro. Um comunicado onde o Partido esclarece algumas das dúvidas resultantes das intoxicações e notícias falsas, mas principalmente apela aos trabalhadores da Carris para intervirem agora, aproveitando a oportunidade criada pelo PCP, para alterar o Decreto-Lei salvaguardando um conjunto de situações. O PCP informa ainda do conjunto de alterações que já decidiu apresentar ao Decreto-lei.

Ler Comunicado em PDF

PCP assume três prioridades para o sector portuário: complementariedade dos Portos, ligação ao aparelho produtivo, trabalho com direitos!

O PCP aproveitou o debate sobre o Sector Portuário para colocar três questões centrais para o futuro do sector: o fim da ideia de concorrência entre os portos nacionais e antes a aposta na sua complementariedade; o fim da centralidade das preocupações da ligação dos portos à europa, e a prioridade à ligação do aparelho produtivo nacional aos portos; o fim da política de exploração, precariedade e baixos salários, e a aposto no trabalho digno e com direitos.

PCP critica discriminação do Governo nos descontos anunciados para Lisboa

discriminadescontosA DORL do PCP emitiu hoje uma nota de imprensa a propósito da entrada em vigor dos descontos de 60% para maiores de 65 anos e da gratuitidade para os menores de 12 anos. Uma nota onde se valoriza esses descontos mas se combate a discriminação que lhe está subjacente. É que estes descontos são pagos e decididos pelo Governo mas limitados à Cidade de Lisboa e feitos coincidir com a municipalização da Carris por evidentes objectivos propagandísticos. O PCP exige que estes descontos, válidos na CP e no Metro apenas para a Cidade de Lisboa, sejam imediatamente alargados a todos os maiores de 65 anos e a todos os menores de 12 anos.

Ler a Nota de Imprensa em PDF

Comunicado do PCP aos trabalhadores da Carris

20170201carrisNum comunicado aos trabalhadores da Carris a propósito das notícias falsas postas a circular no sábado passado, o PCP reafirma a sua oposição à municipalização da Carris, sintetiza as razões porque se opõe a essa municipalização e clarifica os objectivos da apreciação parlamentar requerida: apresentar propostas de alteração a esse Decreto-Lei e não o fazer cessar a sua vigência. O PCP anuncia ainda que a apreciação parlamentar deverá ser agendada hoje e as reuniões com as ORT's e as organizações de utentes serão a 2 e 3 de Fevereiro.

Ler Comunicado em PDF

A Carris deve continuar no Sector Empresarial do Estado! PCP entrega pedido de Apreciação Parlamentar

carrismunic apO Grupo Parlamentar do PCP entregou o pedido de Apreciação Parlamentar à Municipalização da Carris, que fundamenta a oposição do PCP a este processo. Uma oposição assente em razões de fundo, reflexo de uma visão de serviço público e metropolitana das soluções para os transportes públicos. Mas uma oposição reforçada pelas ilegalidades e más opções tomadas no actual processo, de que a tentativa de fuga ao visto prévio do Tribunal de Contas, aos parecer da AMT e as regalias asseguradas aos administradores são alguns exemplos.

Ler Texto da Apreciação Parlamentar

Transportes Públicos: Contra os aumentos, afirmar a política alternativa ao serviço dos utentes e do país!

passevsaumentos2O PCP lançou hoje uma nova fase da sua campanha pelo alargamento do passe social intermodal, num comunicado onde dá conta do chumbo da proposta de lei na Assembleia da República com os votos contra de PS/PSD/CDS e a abstenção do BE, e sublinha a contradição dessa votação com a aprovação de moções em todos os 18 municípios e na esmagadora maioria das freguesias da região. No mesmo comunicado, o PCP condena os aumentos impostos pelo Governo PS, no fundo a continuação da política de mercantilização dos transportes.

Ler Comunicado em PDF

PCP exige anulação de aumento de preços ilegal nos transportes e critica opções do Governo

dorlaumentoprecosEm Nota de Imprensa, o PCP critica os aumentos de preço nos transportes públicos, considerando-os errados, injustos e ilegais, e face a essa notória ilegalidade, o PCP exige a anulação dos aumentos praticados. No mesmo comunicado, o PCP sublinha que estes aumentos são a continuação de um caminho errado para os transportes públicos, e anunciou uma nova fase da sua campanha «Pelo Alargamento do Passe Social Intermodal a toda a área metropolitana, todos os operadores e todas as carreiras», peça central de uma visão radicalmente diferente das políticas de transporte, colocadas ao serviço dos utentes e não dos grupos monopolistas.

Ler Nota de Imprensa em PDF

PCP contra a opção do Governo de se submeter aos especuladores no caso Santander

swaps santaderO PCP colocou um requerimento ao Governo sobre os desenvolvimentos do processo das swaps do Santander. O PCP critica a opção do Governo de continuar o caminho errado de aceitar que um Tribunal da City decida sobre a «legalidade» de algo que é completamente ilegal em Portugal: gestores públicos e governantes jogarem com o dinheiro dos contribuintes. O Governo, mais uma vez, escolheu seguir os passos do anterior governo, adiando o pagamento (cerca de 2 mil milhões de euros de perdas especulativas) em vez de reunir forças para enfrentar os banqueiros e os especuladores.

Ler Requerimento em PDF

Transportes Públicos: Deixem-se de promessas, deixem-se de hipocrisias, resolvam os problemas! !

O PCP interveio hoje no debate sobre transportes públicos recordando que o essencial dos problemas já foi por diversas vezes colocado ao Governo, e este tem até agora prometido muito e cumprido pouco, e desmascarando a hipocrisia de PSD/CDS, que depois de terem arrasado com as empresas durante o seu mandato no governo, vem agora dar razão aos utentes que tanto ugnoraram e prejudicaram enquanto foram governo.

PCP confronta Governo pela satisfação das justas reivindicações dos trabalhadores da CarrisTur

carristur leidagreveNa CarrisTur, os trabalhadores lutam há um ano contra o roubo perpetuado nos seus salários pelo Governo e pela Administração, quando lhes reduziram os salários de 630 para 560 por não ser «legal» aplicar aos trabalhadores o aumento negociado no quadro do CCTV. Mas os mesmos legalistas (que até inventam leis para melhorar roubar quem trabalha) já não sentem a mesma veia legalista quando os trabalhadores vão à luta, e vale tudo para retirar efeitos a essa luta. O PCP, face à luta e às violações comprovadas da lei, questionou o Governo exigindo a satisfação das justas reivindicações dos trabalhadores.

Ler Requerimento em PDF