Contra os despedimentos na EMEF, PCP confronta Governo

precariedadecampanhaFace aos despedimentos que a Administração da EMEF está a patrocinar, o PCP confrontou o Governo com esta sua opção que, além de continuar a revelar um apoio à precariedade que se comprometeu a combater, implicará sérias implicações para os utentes, nomeadamente na Linha de Cascais já tão martirizada pelas erradas opções dos sucessivos governos. O PCP exige a imediata integração na EMEF dos trabalhadores precários que estão a ser despedidos, e que fazem falta todos à operação da empresa.

Ler Requerimento em PDF

PCP sublinha justeza das reivindicações do sector do táxi

joaoebruno maniftaxiO vereador João Ferreira e o deputado Bruno Dias foram o rosto institucional da solidariedade activa do PCP com a justa luta do sector do táxi. Uma luta contra a impunidade, pois o Governo nada faz para punir a actividade ilegal das multinacionais, ao mesmo tempo que crava o sector do táxi com multas e regulamentos. Uma luta contra a liberalização que o Governo prepara. Uma luta contra a precariedade e a exploração que querem generalizar.

PCP questiona governo sobre a sua passividade face à degradação da Portway às mãos da multinacional Vinci

handling portwayDepois de mais um acidente de trabalho que quase vitimou um trabalhador da Portway tornou-se mais evidente os perigos da política de repressão, incremento da exploração e degradação das condições de trabalho que está a ser imposta na Portway pela multinacional Vinci. O PCP confrontou o Governo com as suas responsabilidades e com a passividade com que está a (não) reagir a estes sucessivos atropelos.

Ler Requerimento em PDF

Respostas Urgentes: Metro necessita de mais trabalhadores!

quadrado metroO Governo e a sua Administração do Metropolitano de Lisboa continuam a adiar as respostas urgentes que o serviço público de transportes exige.Nas entrevistas, continuam as promessas, mas na empresa e no serviço pouco ou nada muda. Continuam a prometer a entrada dos mesmos 30 trabalhadores que, nas palavras de António Costa, iam entrar em Março deste ano. Na área comercial, para que as estações não estejam despidas de trabalhadores, o Metro necessita de mais 100 trabalhadores. Finalmente abriram o concurso mas o Governo limita-o a apenas os tais 30. Porquê? Porque não querem tomar as medidas urgentes que se impõe? Foram as perguntas que o PCP dirigiu ao Governo.

Ler Requerimento em PDF 

PCP promove Audição sobre o Grupo TAP

20161003 audicao tap assembleia republicaO PCP promoveu hoje uma Audição sobre a situação presente e futura do Grupo TAP, que reuniu um conjunto valioso de intervenções, com destaque para os contributos de diversas Organizações Representativa dos Trabalhadores do Grupo. O PCP sublinhou que passado menos de um ano sobre a ilegal privatização da TAP, é cada vez mais evidente que a TAP está a ser destruída, com muitos dos seus activos a serem directamente apropriados pela Azul e pelos capitalistas que continuam a dominar a gestão da empresa. O PCP comprometeu-se a intensificar a exigência de uma acção do Governo para travar o processo em curso, e sublinhou a importância de uma reversão plena do ilegal processo de privatização.

Comunicado aos Assistentes de Portos e Aeroportos

capa apas1610Em comunicado aos Assistentes de Portos e Aeroportos, o PCP percorre todo o processo - o seu passado, presente e futuro - para reafirmar a sua posição inequívoca sobre o sector e a luta que nele se trava, uma luta contra a precariedade e a exploração, pelo trabalho digno e com direitos.

Ler Comunicado em PDF

PCP leva solidariedade activa às Mulheres Unidas pelo Táxi

mupt20160929O PCP participou na acção Mulheres Unidas pelo Táxi que reuniu mais de duas centenas de activistas num jantar em Lisboa. Pelo PCP intervieram a camarada Carla Cruz, deputada na Assembleia da República e Natacha Amaro deputada da Assembleia Municipal de Lisboa, que expressaram a solidariedade activa do PCP na luta contra a liberalização do táxi.

Ler intervenção do PCP em PDF

PCP lança terceira fase da Campanha Pública pelo Alargamento do Passe Social Intermodal

IMG 1850Com a presença de Jerónimo de Sousa, o PCP lançou hoje em Alverca a terceira fase da sua campanha pelo Alargamento do Passe Social Intermodal, iniciando um processo de ampla recolha de assinaturas. Depois da proposta do PCP ter merecido o apoio em todos os 18 municípios da Área Metropolitana, é agora necessário vencer as resistências na Assembleia da República, onde PS, BE, PSD e CDS querem impedir a aprovação da proposta do PCP e que o alargamento seja uma realidade já em Janeiro de 2017.

Ler Comunicado Metropolitano em PDF

Ler Comunicado sobre »As Vantagens para Alverca» em PDF

Trabalhadores e Utentes exigem respostas urgentes!

utentestrabalhadores20160922Uma marcha de protesto levou hoje trabalhadores e utentes entre o Cais Sodré e o Camões, exigindo respostas urgentes do Governo à brutal degradação dos transportes públicos em Lisboa. Exigiram a contratação dos trabalhadores em falta, a libertação de verbas para a manutenção de equipamentos e a concretização dos investimentos inadiáveis (Arroios e Cascais, por exemplo).

Continuar...

PCP: ao lado dos utentes e das populações pelo alargamento do passe social intermodal

Decorreu a 20 de setembro a discussão na Assembleia da República do projecto-lei do PCP de Alargamento do Passe Social Intermodal a toda a Àrea Metropolitana de Lisboa. Depois do mesmo ter recebido o apoio em todos os municípios da Área Metropolitana de Lisboa (e portanto ter sido apoiado por muitos eleitos de outros partidos) a aprovação na Assembleia está mais complicada, como era de esperar (uma coisa é aprovar recomendações, outra tomar decisões que favoreçam de facto os trabalhadorres e o povo). Para se tentar construir uma solução que possa produzir efeitos já para o Orçamento de Estado de 2017, a proposta deverá agora baixar à Comissão por 15 dias.