PCP contacta trabalhadores da CarrisBus

mini-usarcarrisbus.jpgCom a participação do deputado do PCP na Assembleia da República Bruno Dias, realizou-se uma acção do PCP de contacto com os trabalhadores da CarrisBus, empresa do Grupo Carris. Na iniciativa, o PCP pode constatar as consequências da recusa da Administração à contratação colectiva, bem como um vasto conjunto de outras reivindicações apresentadas pelos trabalhadores. O PCP, dando nota das iniciativas parlamentares já realizadas em torno desta Empresa, deixou o apelo claro ao reforço da unidade e luta como único caminho para combater a exploração, apelando muito concretamente à participação na Manifestação de 29 de Maio.

Célula do PCP na Barraqueiro: Apesar dos lucros patronato recusa aumentos - a luta é o caminho!

barraqueiro_mai2010.jpg

A Célula do PCP na Barraqueiro, em comunicado dirigido aos trabalhadores, denuncia as duas faces da realidade da Empresa: por um lado, apresenta lucro de 12 milhões e por outro recusa aumentos aos trabalhadores "por causa da crise". Comportamento ainda agravado por sucessivas violações da contratação colectiva e pela tentativa de impor horários de trabalho desumanos que estendem a jornada de trabalho por 12 e 13 horas. Para enfrentar esta ofensiva, a célula apela à unidade e à luta dos trabalhadores, nomeadamente já no dia 29 na manifestação nacional da CGTP-IN.

Ler Comunicado em PDF

Também na TAP/SPDH é preciso mobilizar para a manifestação nacional de 29 de Maio

aeroporto29maio.jpgA Célula do PCP na TAP/SPDH está a distribuir aos trabalhadores um comunicado onde apela à participação na Manifestação Nacional da CGTP-IN. Um comunicado onde se sublinha que a política que PS e PSD estão a tentar impor ao país é uma política de desastre nacional.

Ler comunicado em PDF

Trabalhadores da EMEF em luta contra a privatização da Empresa

mini-emefcapa.jpgRealizou-se hoje uma concentração de activistas da CT da EMEF e do SNTSF, junto da Administração da CP (cujo Presidente preside igualmente à EMEF) exigindo respostas perante a iniciativa do Governo de proceder à privatização da Empresa, e sobre as negociatas em curso com a Siemens. Perante a ausência de respostas, os trabalhadores dirigiram-se em desfile para o Ministério dos Transportes. O PCP, considerando tratar-se esta privatização de mais um crime contra a economia nacional, expressou a sua solidariedade activa com os trabalhadores da EMEF em luta.

Contra a Privatização do Sector Ferroviário: Utentes e Trabalhadores, a mesma luta!

apelocut.jpg

 As Comissões de Utentes da Linha de Sintra, Cascais e Azambuja, a CT da CP e o SNTSF, começaram a distribuição do comunicado anexo, em suporte à recolha de assinaturas da Petição contra a privatização das linhas suburbanas de Lisboa, que o Governo incluiu no quadro da política de desastre nacional que está a promover em coligação com o PSD. Neste texto, destaque para a comparação com a Fertágus, que apesar de ter recebido 168 milhões de Euros do Estado em 5 anos, pratica preços que são o dobro dos da CP, ilustram um dos malefícios das privatizações - saem mais caras ao Estado e aos Utentes que a gestão pública.

Ler Comunicado em PDF

Assinar Petição já!

Novo ataque aos direitos dos trabalhadores da TAP visa "facilitar" a sua privatização e liquidação

A Célula do PCP na TAP/SPDH contesta a decisão da Administração da Empresa (tutelado pelo Governo) de reduzir os instrumentos ao serviço da Comissão de Trabalhadores da empresa, realizada de forma arbitrária e ilegal, e cujo objectivo transparente é o de reduzir a capacidade de defesa dos trabalhadores perante a ofensiva em curso. Sem esquecer as responsabilidades de todos os que apoiaram o actual Código do Trabalho (nomeadamente da UGT e do PSD), à luz do qual este ataque se desenvolve, o PCP responsabiliza o PS e o seu Governo por mais esta medida anti-laboral, e nesse sentido dirigiu na Assembleia da República um requerimento ao Governo.

Ler Requerimento em PDF

Contra a Privatização das Linhas da CP: Utentes e Trabalhadores, a mesma luta!

mini-capa_priv_ci.jpgNo passado dia 28 de Abril realizou-se uma Conferência de Imprensa conjunta das Comissões de Utentes das Linhas de Sintra, Azambuja e Cascais, da Comissão de Trabalhadores da CP e do Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, onde apresentaram as razões que unem utentes e trabalhadores na luta contra a privatização das Linhas Suburbanas de Lisboa (medida que o Governo incluiu no PEC) e apresentaram ainda as acções conjuntas que vão desenvolver para derrotar este objectivo. Em Ler Mais podem encontrar a Nota de Imprensa divulgada na ocasião.

Continuar...

Metro de Lisboa: Os factos contidos no relatório do Tribunal de Contas que querem esconder!

Sobre as "notícias" recentemente publicadas, dando nota de uma pseudo "falência técnica" do Metropolitano de Lisboa, a Célula do PCP na Empresa editou um comunicado aos trabalhadores de onde se destaca a conclusão de que " Os dados reais do Relatório do Tribunal de Contas demonstram como é artificial a situação de “falência técnica” do Metropolitano de Lisboa. Bastaria que os investimentos estruturantes (que nenhum privado fez, faria ou fará) sejam assumidos directamente pelo Orçamento de Estado (e realizados de acordo com as reais possibilidades e prioridades do país, que para tal deveria servir o PIDDAC) e pelos fundos comunitários, e que a Empresa receba das compensações indemnizatórias e do passe social na mesma proporção que as operadoras privadas, e o Metro estaria hoje numa excelente saúde financeira e seriam mais claros os lucros que representa para o Estado Português." E onde se apela à unidade e luta contra a ofensiva do capital, que pretende apropriar-se também deste sector. 

 

Ler Comunicado em PDF

Forte demonstração de unidade dos ferroviários ergue uma grande greve

Os trabalhadores das empresas do sector ferroviário demonstraram, na greve de hoje, o seu grande descontentamento face à tentativa de imposição do congelamento dos salários e do bloqueio da negociação colectiva e disseram NÃO à intenção do Governo em privatizar as empresas do sector e, demonstraram, igualmente a sua grande capacidade de unidade na acção com uma fortíssima adesão á greve, que nas empresas do sector se situou entre os 90 e 95% de adesão, com muitos locais de trabalho com adesões de 100%, e que afectou seriamente a circulação ferroviária, apesar das costumeiras tentativas (muitas concretizadas!) das empresas de violar a lei da greve.

 

Ler Comunicado do SNTSF

Deputado do PCP com os trabalhadores ferroviários vítimas das ilegalidades patronais

mini-cco20100427.jpgReflexo do firme compromisso de solidariedade do PCP com os trabalhadores em luta neste 27 de Abril, o deputado do PCP Bruno Dias deslocou-se ao CCO de Braço de Prata, chamado pelo piquete de greve, onde pôde constatar das graves violações à lei da greve e à segurança ferroviária cometidos neste dia pelo Governo e pela sua Administração da Refer, nomeadamente a ilegal substituição de trabalhadores em greve, a realização de pressões e intimidações aos trabalhadores e a excesso de carga horária superando os máximos impostos por questões de segurança. No quadro desta visita, Bruno Dias pode conversar ainda com a inspecção da Autoridade para as Condições no Trabalho, aí presente perante a denúncia do piquete.