Por 60%, trabalhadores do Metro elegem Amável Alves para a Comissão de Fiscalização

dsc_0089.jpg

Realizaram-se hoje as eleições para o representante dos trabalhadores na Comissão Fiscalizadora do Metropolitano de Lisboa. Amável Alves, membro do CC do PCP, foi eleito por 60% dos votos expressos, numas eleições onde participaram 7 outros candidatos e perto de 700 trabalhadores. Esta eleição, hoje rara quando a contra-revolução já destruiu muito dos mecanismos que facultavam aos trabalhadores algum controlo da gestão, deve ser um estímulo à luta por um maior controlo da gestão por parte dos trabalhadores, numa situação social onde os grupos económicos privados destroem empresas e emprego (incluindo no sector público, que hoje instrumentalizam) na busca de lucros e da manutenção dos seus previlégios.

PCP visita infantário da CP na Parede

infantario_cp.jpgO PCP promoveu uma visita ao infantário na CP na Parede, na qual participaram os eleitos do PCP Bruno Dias, na AR, e Pedro Mendonça, na CM Cascais. Teve esta visita o objectivo de aprofundar o conhecimento sobre este serviço, que já há uns tempos esteve ameaçado de extinção por parte da Administração da CP. Na altura, a luta dos trabalhadores conseguiu defender os infantários da CP. O PCP comprometeu-se a colocar na AR e na CM Cascais um vasto conjunto de preocupações que lhe foram transmitidas.

Crescem os apoios à CDU: É preciso levar a luta até ao voto!

logoluta.jpgReunindo mais de 100 apoiantes, saiu o Comunicado das Comissões de Apoio à CDU no Sector dos Transportes do Distrito de Lisboa, onde se sublinha que "É preciso levar a luta até ao voto!", e se apela à participação na Marcha da CDU de 23 de Maio e nas eleições de 7 de Junho, votando CDU. E onde se sublinha a importância - para a defesa dos direitos dos trabalhadores e para conquistar a necessária Mudança de Rumo para Portugal - de prosseguir a luta e levá-la até ao voto.

Ler Comunicado em PDF

Continua a luta na EMEF: Pelos direitos de quem trabalha, pelo futuro da empresa!

emef_luta.jpgTrabalhadores da EMEF, membros da sua Comissão de Trabalhadores e do Sindicato dos Ferroviários (SNTSF) estiveram hoje concentrados em frente às novas instalações da EMEF na Amadora, exigindo ser recebidos pela Administração da Empresa. Em causa o agravamento da precariedade na Empresa, os ataques aos direitos e aos salários em curso, e o futuro da Empresa, que pode e deve desempenhar um papel estratégico no sector ferroviário nacional.  

Lojas Francas de Portugal: Aumento de Lucros e Congelamento Salarial. A luta é o caminho!

lfp.jpgAs Lojas Francas de Portugal, cujo capital maioritário pertence à TAP (ou seja, é tutelada pelo Governo), anunciaram simultaneamente o crescimento de lucros em 2008, a previsão de lucros para 2009, e o congelamento dos salários dos seus trabalhadores. Fica assim (mais uma vez) bem patente que a contenção salarial é SEMPRE um objectivo do patronato. E que só a acção colectiva e organizada dos trabalhadores pode inverter o actual rumo de crescimento permanente da sua exploração. O PCP, ao mesmo tempo que apela à luta dos trabalhadores desta empresa, questiona o Governo na Assembleia da República sobre as orientações que deu para esta empresa, que desmascaram a verdadeira matriz das suas políticas. 

Ler Requerimento em PDF

EMEF: A verdadeira face da política do PS posta a nú

O PCP avançou na Assembleia da República com um requerimento sobre a EMEF, empresa pública onde os dados do Balanço Social de 2008 demonstram dois dados claros sobre a política real que o Governo pratica nas Empresas Públicas e promove nas privadas: um aumento de 53% nos custos com os órgãos sociais e um aumento continuado da precariedade laboral (aumenta para o triplo em dois anos!).

Ler Requerimento

PCP saúda determinação dos trabalhadores da REFER

refer29042009.jpgO PCP apresentou na Assembleia da República um requerimento ao Governo exigindo explicações sobre a repressão dos trabalhadores da REFER no passado dia 23 de Abril (Ler Requerimento Aqui). Hoje, realizou-se um plenário de activistas sindicais e das ORT's da Refer (na foto), convocado em resposta à repressão da luta de dia 23, que agora já foi recebido pela Administração da Empresa, onde entregou uma resolução com as suas reivindicações. O PCP saúda esta mudança de atitude da Administração da REFER, mas saúda principalmente a determinação e luta dos trabalhadores que a impuseram.

SPDH - Unidade na Luta em Defesa do AE e do Aumento Salarial

spdh.jpg

O PCP apela a todos os trabalhadores da SPDH para resistirem a todas as tentativas de redução dos seus salários e direitos, e para construirem os caminhos de Unidade na Luta que lhes permitem defender a Empresa, os postos de trabalho, a economia nacional e os seus direitos!

Ler Comunicado

Governo sobre o Metro: Por Decreto, nas costas dos trabalhadores e do Parlamento!

logoml.jpgFoi por decreto que hoje o Governo alterou o Estatuto do Metropolitano de Lisboa. Como é sua prática, fê-lo nas costas dos trabalhadores e do próprio parlamento, num processo conduzido no secretismo e onde só os interesses económicos do costume foram tidos em conta. O Grupo Parlamentar do PCP irá chamar esse decreto-lei ao Parlamento, e a célula do PCP na Empresa apela aos trabalhadores à vigilância e à determinação, pois no momento presente, só os trabalhadores tem a capacidade e a força de defender as Empresas das corrosivas políticas neoliberais.

Na Refer, Administração manda a polícia "receber" os trabalhadores

refer20090423.jpgHoje, quando um conjunto de trabalhadores da Refer se concentravam frente à Administração da Empresa, em defesa dos seus direitos, a Administração desta Empresa Pública decidiu que seriam recebidos pela Polícia e não por qualquer membro da Administração. Quando estamos na véspera do 35º Aniversário do 25 de Abril, o PCP condena firmemente o comportamento arrogante e anti-democrático da Administração da Refer e do Governo que a suporta, e solidariza-se com os trabalhadores e a sua luta, que se deve intensificar. Amanhã, o PCP apresentará na Assembleia da República um requerimento ao Governo sobre este inaceitável comportamento. 

Comunicado do SNTSF com as razões da concentração