PCP apela à luta na TAP

A Célula do PCP na TAP/SPDH editou este comunicado, onde denuncia as consequências desastrosas para a empresa, os seus trabalhadores e o pais da concretizção da privatização da empresa, e apela ao desenvolvimento da luta pela defesa da empresa e pelo aumento de salários (sublinhando que a empresa ainda não promoveu sequer qualquer actualização salarial, apesar dos lucros que anuncia!).

Ler Comunicado em PDF 

PCP denuncia ilegalidades no Metro de Lisboa

O Grupo Parlamentar do PCP apresentou três requerimentos ao Governo relativos a um conjunto de ilegalidades que estão a ser cometidas na Empresa e das quais o Governo - quer directamente quer porque nomeia os Conselhos de Administração - é responsável.

Perante as situações denunciadas - e que pode ler em detalhe em Ler Mais - fica a questão: será que para este Governo só os trabalhadores é que têm que cumprir as leis? 

Continuar...

Comunistas na SPdH contra propostas da Administração de rever o AE

A Célula do PCp na TAP/SPdH tomou posição sobre as inaceitáveis propostas apresentadas pela Administração da SPdH/Groundforce de revisão do Acordo de Empresa, que acarretariam sérios prejuízos para os trabalhadores, e apelou a estes para se manterem unidos e mobilizados.

Ler Comunicado em PDF 

Nova Bilhética no Metro significa mais imposto e maiores dificuldades

A introdução de um novo sistema de bilhética no Metropolitano de Lisboa prejdica utentes e trabalhadores, coloca a Célula do PCP no Metro, que exige da Administração e do governo que seja eliminado o novo imposto de 50 cêntimos, bem como que sejam ouvidos os trabalhadores da Empresa.

Ler Comunicado em PDF  

Em Movimento: Sector Transportes edita Boletim

O Sector de Transportes da ORL lançou o seu Boletim de Fevereiro, onde aborda matérias como: O Tratado e os Trabalhadores dos Transportes; Novo Código do Trabalho cheira a bafio; Linha Azul do Metro, Administração desrespeita trabalhadores e utentes; Novo Aeroporto, ao serviço do país e não do capital; compra da PGA pela TAP defraudou espectativas; Rede 7 igual a pior serviço na carris; a crise é só para os trabalhadores; aumentos nos transportes; conferência nacional do PCP; marcha de 1 de Março.

Ler Boletim em PDF  

Linha Azul do Metro: Administração desrespeita segurança e direitos!

O prolongamento da linha azul para o Terreiro do Paço e para Santa Apolónia está a ser concretizada à custa dos direitos e condições de trabalho dos maquinistas, e das condições de segurança para estes e utentes, como denuncia a Célula do PCP no Metro.

Ler Comunicado em PDF  

Por um Novo Aeroporto de Lisboa ao serviço do país e não do capital

Os trabalhadores comunistas do Aeroporto de Lisboa iniciaram a distribuição de um comunicado sobre o novo Aeroporto de Lisboa, onde destacam a necessidade de reforçar a luta para que este grande e necessário investimento público não seja expropriado pelo capital.

No mesmo comunicado, saudam os trabalhadores da SPdH que depois de perto de 20 dias de greve alcançaram o essencial dos seus objectivos. 

Ler o Comunicado em PDF  

Comunicado da Célula da SPdH - Groundfource

BASTA DE INJUSTIÇAS

A LUTA CONTINUA

Os trabalhadores da SPdH-Groundforce têm vindo a travar uma luta prolongada pela actualização salarial e contra a inércia da Administração da empresa. Desta não vieram propostas, apenas a recusa em negociar.

Porém, foi conhecida ontem uma proposta do mediador do Ministério do Trabalho aos Sindicatos e à SPdH que consiste na aplicação de 3% na tabela salarial a todos ostrabalhadores com efeitos a partir de Agosto.

Do que estava à espera a Administração?  Se calhar, que os seus métodos ilegais de substituir os trabalhadores em greve e as pressões ou mesmo o cansaço desmobilizassem os trabalhadores.  Mas a luta prosseguiu.

Quer os administradores, quer os directores há muito que têm os seus salários actualizados generosamente.  Não se preocupam com as condições de vida dos trabalhadores. Preocupados estão unicamente com o aumento da exploração dos trabalhadores e com os lucros e os prémios correspondentes.

Como se chegou a isto?  Tudo principia quando o handling foi retirado à TAP por um governo do PS.  Este partido dito socialista agora está novamente no poder. O governo tem adoptado uma política anti-laboral e anti-social, com responsabilidades na deterioração dos salários dos trabalhadores, na redução das reformas, no acesso mais difícil ao subsídio de desemprego, com um código de custas judiciais que impede aos trabalhadores o acesso aos tribunais de trabalho, com encerramento a esmo de escolas, centros de saúde e maternidades.  Em consonância com essa política, nada faz para resolver o conflito laboral na SPdH, na qual o Estado é detentor de 49,9% do capital.

A luta continuou porque as reivindicações dos trabalhadores são justas.  Resistindo contra a injustiça e as ilegalidades, repudiando a discriminação salarial, exigindo a revisão salarial a que têm direito, os trabalhadores vêm confirmada a justeza da sua luta.

Parece, pois, existirem condições para se fazer justiça às reivindicações dos trabalhadores e para o prosseguimento das negociações nas restantes matérias que levaram à convocação da greve (desbloqueamento das evoluções, horários desumanos, precariedade, etc.).

Os comunistas da SPdH saúdam os trabalhadores que com a sua luta contribuíram para o desbloqueamento da situação e apelam à unidade para o necessário prosseguimento da luta.

Greve Suspensa na SPdH: VALE A PENA LUTAR!

Os Sindicatos suspenderam a Greve que decorria na SPdH desde o passado dia 1 de Dezembro, na sequência da proposta apresentada na Mediação de um aumento de 3% para todos os trabalhadores. Só a luta e unidade dos trabalhadores permitiu este resultado, numa luta que continua.

Continuar...

PCP na AR questiona Governo sobre a Violação do direito à greve na Groundforce/SPdH

O PCP na Assembleia da República, através do seu deputado Bruno Dias,  entregou um requerimento ao Governo onde o questiona sobre as Violações do direito à greve na Groundforce/SPdH que pode constatar na visita a esta Empresa que se encontra presentemente em luta.

Continuar...