Luta na EMEF pela reintegração dos trabalhadores despedidos

emef200717Um colectivo de membros das ORT da EMEF estiveram hoje concentrados à porta do Conselho de Ministros, exigindo a integração imediata dos 10 trabalhadores despedidos das oficinas de Santa Apolónia. Trabalhadores que estavam inscritos no PREVPAP e que fazem falta à operação ferroviária, onde se acumulam os atrasos no serviço provocados pela falta de trabalhadores, como o PCPjá denunciou em requerimentos (aqui e aqui) colocados na AR.

EMEF: Comboios parados, trabalhadores despedidos, utentes à espera!

staapoliniaoficinaOs comboios amontoam-se nas oficinas de Santa Apolónia na sequência da decisão do Governo de despedir 10 trabalhadores precários na passada semana. Uma situação escandalosa, pois estes trabalhadores estavam inscritos no Programa de regularização das situações precárias, e fazem tanta falta que a própria empresa pediu ao Governo para os contratar. Mas o Governo continua cego à realidade operacional das empresas e exclusivamente preocupado em submeter-se aos critérios economicistas, custe o que custar ao país essa cegueira. Hoje, 30% da frota está parada e a degradar-se, mas o governo poupa uns tostões para amanhã gastar uns milhões. O PCP confrontou o Governo na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

PCP confronta Governo e apela à luta dos trabalhadores

emefprecarios10julNo dia 10 de Julho foi consumado o despedimento de 10 trabalhadores precários da EMEF de Santa Apolónia. Dez trabalhadores que fazem falta, dez trabalhadores que estão inscritos no programa de regularização da precariedade, dez trabalhadores que já deviam estar efectivos há anos. O PCP, no requerimento na Assembleia da República que se anexa, confrontou o Governo com esta decisão da Administração que acabou de nomear para a CP e para a EMEF e exigiu a imediata contratação destes trabalhadores. E apela à luta dos trabalhadores da empresa.

Ler Requerimento em PDF

Carris: Apreciação Parlamentar requerida pelo PCP introduz proibição de privatização/concessão da Carris e suas participadas

20170709carrisA Célula do PCP na Carris está a distribuir aos trabalhadores um comunicado sobre o resultado da Apreciação Parlamentar colocada pelo PCP ao Decreto-Lei de Municipalização da Carris. Onde se valoriza as alterações introduzidas, se aponta as limitações do que foi possível fazer aprovar, se sublinham os perigos que persistem,  e se aponta a visão alternativa que o PCP tem para os transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa.

Ler Comunicado em PDF

PCP solidário com a luta dos Assistentes de Portos e Aeroportos

25062017greveapaO PCP esteve, este Domingo, na concentração realizada no Aeroporto de Lisboa no quadro da justa luta dos trabalhadores Assistentes de Portos e Aeroportos (foto). Na ocasião, o deputado Bruno Dias reiterou a critica aos serviços m+inimos ilegais uma vez mais colocados pelo Governo e sublinhou a justeza de uma luta que se dirige a melhorar as condições de trabalho destes trabalhadores, essenciais ao funcionamento dos Portos e Aeroportos, mas vítimas de uma sobre-exploração por parte das multinacionais a quem o Estado Português subcontratou estes servços. O PCPcomprometeu-se a, mais uma vez, levar esta justa luta à Assembleia da República,

PCP confronta Governo com gravíssimo teor de Comunicação da Comissão Europeia

navgreveceuunicoNa sequência de uma reunião realizada com as ORT da NAV, o Grupo Parlamentar do PCP confrontou o Governo com o gravíssimo conteúdo da Comunicação da Comissão Europeia sobre «Práticas favorecendo a continuidade do funcionamento dos serviços de tráfego aéreo», que mais não é que um ataque ilegal contra o direito à greve, a reboque das reivindicações das patronais do sector, e uma nova tentativa de retirar aos Estados-Membro a soberania sobre o controlo do seu espaço aéreo. O PCP exigiu do governo uma reação imediata e clara.

Ler Requerimento em PDF

PCP visita oficina da EMEF em Santa Apolónia

emef sapol20170619O SNTSF e a CT da EMEF convidaram todos os grupos parlamentares a uma visita às oficinas da EMEF. Em Lisboa, essa visita foi à oficina de Santa Apolónia, onde esteve presente a deputada Rita Rato do PCP (foto), não tendo qualquer outro partido aceite o convite. O PCP aproveitou a ocasião para reafirmar a sua oposição à separação da EMEF em duas empresas, e a sua exigência da integração imediata na EMEF dos trabalhadores alugados às ETT.

PCP contacta trabalhadores da ex-CP Carga e confronta Governo

No dia 12, o PCP contactou directamente os trabalhadores da Medway (ex-CP Carga) na sede da Av. da República. Na sequência desse contacto, o PCP confrontou o Governo com a tentativa de imposição de contratos de cessação aos trabalhadores, exigindo que o Governo intervenha quer fazendo valer os direitos dos trabalhadores e das suas ORT, quer impondo à multinacional as obrigações assumidas no momento da privatização.

Ler Requerimento em PDF

Comboios parados, trabalhadores desempregados, utentes desesperados: é tempo de romper com este caminho!

cpmanutencaoO PCP questionou o Governo sobre a situação na frota da CP Lisboa, com 8 comboios parados a degradarem-se num quadro em que faltam composições ao serviço e quando o país tem uma elevada taxa de desemprego e o Estado se recusa a contratar os trabalhadores necessários para esta e outras necessidades do país. Aos que fogem à solução dos problemas do país com a frase «e o dinheiro?», salientamos que o problema não é ele ser pouco, é estar a ser desviado, aos milhares de milhões para PPP, CMEC, SWAPS e outras coisas criptícas que escondem a transferência para o grande capital de recursos públicos.

Ler Requerimento em PDF

Carris: Onde cresce a distância entre as palavras da CML e os seus actos

20170601carrisForam votados em reunião de Cãmara um conjunto de intrumentos de gestão da Carris: Plano de Actividades e Orçamento, Linhas Estratégicas e Contrato de Concessão à Carris. O PCP apresentou nas reuniões um conjunto de propostas em defesa dos utentes e dos trabalhadores, prontamente chumbadas pelo PS. Em comunicado aos trabalhadores o PCP informa dessas propostas e alerta para a diferença entre o que a CML vai dizendo e aquilo que vai fazendo, e para os perigos de muitas das suas decisões.

Ler Comunicado em PDF