Sobre a reposicao dos cortes nos prémios dos trabalhadores da Teleperformance

imagem geralNo passado mês de Dezembro, tivemos conhecimento que a Teleperformance - uma das maiores empresas de Contact Centre e com mais lucros, do país - se preparava para cortar os prémios de assiduidade dos trabalhadores em, pelo menos, 30 euros.

Continuar...

Na Mapfre Assistência, dois pesos e duas medidas

Em comunicado aos trabalhadores da Mapfre Assistência, os trabalhadores comunistas do Sector dos Seguros lembram que uma das mais flagrantes injustiças que se praticam nesta empresa "é a existência simultânea de dois contratos para a mesma função: o contrato Mapfre Assistência e o contrato Ibero Assistência. Se o primeiro reconhece as 35 horas semanais e tem um vencimento base maior, já o segundo aplica 40 horas semanais e paga menos. Existe um princípio geral para a dignidade no trabalho que afirma que a trabalho igual, salário igual. É isso que defendemos."

 

Comunicado aos trabalhadores da Mapfre Assistência | Dezembro de 2015

Luta e confiança na defesa dos direitos dos trabalhadores dos Seguros

Na edição de Dezembro do seu Boletim Informativo, o Sector de Seguros da ORL apela à unidade dos trabalhadores pela defesa dos seus direitos afirmando que está claro que o "que as Companhias (com a «colaboração» dos sindicatos da UGT) pretendem é terem ao seu serviço trabalhadores a quem não aplicam a contratação colectiva, sem direitos, trabalhando mais horas com metade do salário. Não é uma previsão de futuro é a descrição da vida dos trabalhadores dos centros de contacto e (na quase totalidade) das seguradoras telefónicas, entre muitos outras situações."

 

Ler Boletim Informativo em PDF | Dezembro 2015

Trabalhadores do Grupo Tranquilidade: Votar CDU é dar mais força a quem trabalha

Marca diferenciadora da campanha CDU, porta a porta, empresa a empresa, sempre em contacto com os trabalhadores. Nos Seguros, com a participação de Jorge Martins, candidato da CDU à Assembleia da República, ontem na Europ Assistance (entre outras empresas do Sector como Novo Banco Vida e Novo Banco Seguros) e hoje, na Logo e Tranquilidade. Com um documento específico dirigido aos trabalhadores do Grupo Tranquilidade, a CDU lembra que após o "novo accionista do Grupo  Tranquilidade, após a compra nos saldos do Governo, “garantiu” a manutenção dos direitos, mas assim que entrou já ameaça reduzir as pré-reformas para 80% do salário, agravou as condições do seguro de Saúde, inscrito na contratação colectiva, não negoceia com as estruturas dos trabalhadores e não está a cumprir a lei quando viola direitos contratuais". Sendo inadiável a necessidade de mudança de políticas é feito o apelo ao voto na CDU e apresentadas propostas concretas aos trabalhadores.

 

Ler documento em PDF

Junto dos trabalhadores, esclarecer e mobilizar para o voto na CDU

Prossegue a campanha da CDU junto dos trabalhadores do Sector Segurador. Hoje, o candidato à Assembleia da República, Jorge Martins, trabalhador dos Seguros e dirigente sindical, em conjunto com outros activistas, realizou uma acção de contacto junto dos trabalhadores da Allianz com um documento específico do Sector onde se recorda que "Durante a vigência do governo PSD/CDS-PP os trabalhadores dos seguros foram alvo de ataques nunca vistos. O mais evidente foi o ataque aos direitos consagrados na contratação colectiva. Os salários e o poder de compra degradam-se a cada dia que passa, as perspectivas de carreira diminuem, as pressões e abusos aumentam. Mais despedimentos, mais precariedade. Mas não foi (nem é) mau para todos. Entre 2010-2014, as seguradoras obtiveram 1 695 milhões de euros de lucros. "

Ler Documento em PDF

Seguros, Assistência e telefónicas: Votar CDU é dar força à luta a quem trabalha

Milhares de trabalhadores dos seguros têm vínculos precários. Desta forma vêm os seus direitos condicionados, o seu futuro hipotecado, os salários reduzidos e sentem a ameaça do desemprego a pairar a todo o instante. Há empresas a pagar salários muito abaixo dos valores definidos nas tabelas dos Contratos Coletivos (CCT) e, muitas vezes, por 8 horas de trabalho (quando o horário no sector é de 7 horas/dia).

Continuar...

Em contacto com trabalhadores da Fidelidade

Miguel Tiago e Jorge Martins (empregado de uma empresa de Assistência do Grupo Fidelidade e dirigente sindical), candidatos da CDU às próximas Eleições Legislativas estiveram hoje em contacto com trabalhadores da Fidelidade, à porta do edifício na Alexandre Herculano, em Lisboa. Em conjunto com outros trabalhadores e reformados do Sector do Seguros, lembraram os graves prejuízos que a privatização desta empresa causou e causa ao país e à sua economia e apresentaram propostas concretas para a valorização do trabalho e dos trabalhadores e a necessidade do controlo público dos sectores estratégicos.

 

Ler documento dirigido aos trabalhadores da Fidelidade em PDF

O CTT 2008 dos Seguros está em vigor: Vitória da dignidade de quem trabalha

O Supremo Tribunal de Justiça deu razão aos trabalhadores e ao seu sindicato de classe (SINAPSA): o Contrato Colectivo de 2008 está em vigor. O Organismo de Direcção do Sector de Seguros da Organização Regional de Lisboa do PCP saúda todos os colegas trabalhadores e o seu sindicato de classe por esta vitória. Pela coragem, pela firmeza, pelo exemplo de honestidade e integridade de terem suportado este brutal ataque à sua dignidade, certos que a razão estava do lado de quem trabalha.  Ler Comunicado em PDF

 Ler Boletim Informativo Abril/Junho em PDF

 

"Avaliação" de desempenho? Somos todos competentes para lutar pelos nossos direitos

O Sector dos Seguros da ORL do PCP no seu Boletim Informativo de Abril/Junho aborda a farsa da "Avaliação" de Desempenho nas companhas de Seguros e a caridade como escapatória para o aumento da exploração dos trabalhadores. No espaço "Memória" é descrito como a polícia política impediu um colóquio no Sindicato dos Seguros de Lisboa a poucos dias da Revolução de Abril. No final o apelo para a participação na Marcha do Povo do próximo dia 6 de Junho.

 

Ler comunicado em PDF