PCP exige respostas ao Governo sobre despedimento colectivo no Contact Center da PT no Areeiro

O PCP tomou conhecimento de um despedimento coletivo em curso de 170 trabalhadores que exercem funções permanentes no Contact Center da PT no Areeiro, em Lisboa. A operadora de telecomunicações “Oi” pretenderá reduzir a sua atividade em Portugal em dois terços. O PCP há muitos anos que vem acompanhando com enorme preocupação a situação dos trabalhadores subcontratados por empresas de trabalho temporário que respondem a necessidades permanentes de grandes empresas nacionais e multinacionais na área das telecomunicações, particularmente no que toca a situações de reiterada violação dos seus direitos laborais.

 

Continuar...

Despedimentos na PT: Não!

Em comunicado aos trabalhadores da PT, o PCP lembra que "desde há vários anos que vem acompanhando com profunda preocupação a situação dos trabalhadores subcontratados por empresas de trabalho temporário que respondem a necessidades de grandes empresas das telecomunicações, designadamente no que toca a situações de desrespeito e violação dos seus direitos laborais. O PCP desde há vários anos que vem acompanhando com profunda preocupação a situação dos trabalhadores subcontratados por empresas de trabalho temporário que respondem a necessidades de grandes empresas das telecomunicações, designadamente no que toca a situações de desrespeito e violação dos seus direitos laborais." Ler documento em PDF

Trabalhadores subcontratados dos Call Center's da EDP exigem passagem aos quadros da empresa

Os trabalhadores dos Call Center 's da EDP estiveram em luta hoje exigindo a sua passagem aos quadros da empresa, uma vez que são subcontratados por uma empresa de trabalho temporário, a Temp-Team/RANDSTAD. Paralisaram entre as 9h00 e as 13h00 demonstrando a sua unidade na luta contra a precariedade, exigindo os seus mais elementares direitos. O pré-aviso de greve emitido pelo SIESI contempla também o mesmo período durante o dia de amanhã. Os trabalhadores concentraram-se à porta do Meo Arena onde decorria um encontro do grupo, provando que "nem todos são EDP".

XI Assembleia da Organização do SCAE: “Avante por Abril! Lutar pelas empresas sob o controlo do Estado!”

Realizada no dia 22 de Novembro, com a participação do camarada Francisco Lopes, da Comissão Política e Secretariado do Comité Central, a XI Assembleia da Organização do Sector das Águas, Comunicações e Energia (SCAE) da ORL do PCP permitiu ao colectivo do Sector ficar a "conhecer melhor a realidade complexa e exigente que vive o sector e o país, nomeadamente com os avanços na privatização de empresas como a EDP, a Galp, os CTT e a destruição e total entrega ao capital estrangeiro de outras, como acontece recentemente com a PT, bem como as tentativas registadas para a privatização da água, com as alterações que o governo quer implementar nas Águas de Portugal e na EPAL. Política, para além de entregar estas empresas e os seus lucros ao grande capital, tem vindo a destruir os direitos que os trabalhadores conquistaram, estando cada vez mais vulgarizadas no sector a subcontratação, os baixos salários e a precaridade."

Continuar...

PCP saúda a vitória dos trabalhadores de diversos serviços de centros de contacto da PT

Em nota de imprensa, o Sector das Comunicações, Água e Energia da ORL do PCP saúda a vitória dos trabalhadores de diversos serviços de centros de contacto da PT que viram repostos os cortes nos seus salários.

 A Empresa Randstad Serviços (prestadora de serviços em diverços centros de contacto da PT),  visava suprimir parte do complemento de função para colmatar  o parco aumento aumento do salário mínimo Nacional, a todos os Responsáveis de Equipa e Técnicos de Controlo de Qualidade.

Ler documento em PDF

Continuar...

Travar a liquidação da PT, apurar responsabilidades e defender o interesse nacional

A Célula do PCP na PT em comunicado aos trabalhadores afirma que os "trabalhadores da PT, a economia nacional e os portugueses não podem ser prejudicados pelos erros dos Administradores e pelas opções erradas dos sucessivos governos. Pela mão dos governos do PS, PSD e CDS-PP, a PT SA, a primeira empresa portuguesa foi e está a ser conduzida à destruição. Portugal pode perder assim a principal empresa de um sector estratégico para o País, milhares de postos de trabalho directos e indirectos, assumida vanguarda tecnológica e de que dependem centenas de PMEs." Ler documento em PDF

PCP questiona Governo sobre o recurso ilegal à precariedade na subcontratação para Call e Contact Centers

O Grupo Parlamentar do PCP questionou o Governo sobre a recurso ilegal a vínculos de trabalho precários em Call e Contact Centers, situação que está generalizada em todo o país. O PCP "desde há vários anos que vem acompanhado com profunda preocupação a situação dos trabalhadores subcontratados por empresas de trabalho temporário que respondem a necessidades permanentes de grandes empresas nacionais e multinacionais, designadamente no que toca a situações de desrespeito e violação dos seus direitos laborais. O PCP considera inaceitável que estas empresas não assumam qualquer responsabilidade sobre estes trabalhadores, tratando-os como se fossem «material descartável» quando de facto contribuem com o seu trabalho para o seu normal funcionamento e significativos lucros.". Ler requerimento em PDF

PCP questiona Governo sobre o desrespeito pelos direitos dos trabalhadores subcontratados que asseguram funcionamento das Lojas da Vodafone

O Grupo Parlamento do PCP exige esclarecimento ao Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social relativamente ao recurso ilegal à precariedade para suprir necessidades permanentes nas lojas da Vodafone. A subcontratação de trabalhadores através de trabalho temporário para assegurar necessidades permanentes tem sido utilizada pela Vodafone para não assegurar direitos e remunerações aos trabalhadores, existindo salário de 598€ para 10 anos de antiguidade. Ler pergunta em PDF

Grupo Parlamentar do PCP questiona o Governo sobre chantagens, intimidações e ameaças aos trabalhadores do Call Center da NOS

O Grupo Parlamentar do PCP exige do Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social que medidas irá tomar tendo em conta que "vários trabalhadores do Call Center da NOS, subcontratados pela empresa de trabalho temporário RH+ têm vindo a ser alvo de chantagem, intimidação e ameaça por parte dos seus superiores hierárquicos, de forma reiterada e recorrente. Trabalhadoras com filhos foram já pressionadas sobre o uso de horas de apoio à família, ouvindo comentários como “eu pago-te para trabalhar e não para faltares”, “tu é que sabes mas não te esqueças que o teu contrato de trabalho é renovado mensalmente”. Para além disto, esta empresa de trabalho temporário têm prática de chamar os trabalhadores à chamada “Mesa Redonda” para na presença de superiores hierárquicos e colegas chantagear e humilhar as pessoas". Ler requerimento em PDF

Nos Centros de Contacto da PT como em todas as empresas, as férias são um direito!

Em comunicado aos trabalhadores dos Centros de Contacto da PT, distribuído durante o mês de Agosto, o PCP denunciou a tentativa da administração da empresa de impedir que os trabalhadores gozem as merecidas férias, descrevendo diversas situações existentes como "trabalhadores de algumas campanhas que foram impedidos de, durante todo o Verão (Julho, Agosto e Setembro), gozar mais do que 5 dias de férias", ou "os pedidos a partir de Outubro continuam pendentes em vários serviços" e a "a quase estabelecida “proibição” de gozar férias durante o mês de  Dezembro.", concluindo que "As férias não têm que depender da boa vontade de ninguém ou de critérios desconhecidos, nem os trabalhadores podem estar sujeitos a pressões e intimidações segundo o usufruto deste direito. Os trabalhadores da PT têm no seu ACT o direito a férias consagrado!" Ler comunicado em PDF