S. Vicente

S. Vicente de Fora: PCP presta contas

mini-20120225 sA Organização do PCP em S. Vicente de Fora, Lisboa, prestou contas do seu trabalho autárquico na freguesia, com a edição de um boletim que distribuiu à população, em contactos porta-a-porta, durante a manhã de dia 25 de Fevereiro. À tarde, realizou uma sessão pública na colectividade «Grupo dos Nove», onde se debateu o trabalho até agora realizado e perspectivas futuras, a situação política e social com que a cidade e a freguesia estão confrontadas. No dia anterior, realizaram-se reuniões com colectividades da freguesia para aprofundar o conhecimento das realidades que o movimento associativo popular se depara neste momento. Estas iniciativas decorreram no âmbito das Jornadas Autárquicas que o PCP está a desenvolver até 17 de Março, em Lisboa, sob o lema «Ouvir a cidade, Construir a alternativa».

Ler Boletim em PDF

Sapadores e Praça do Chile: contra corte de carreiras e aumentos de preços nos transportes

mini-20120131 acao transportes praca chile1

Realizaram-se hoje duas acções, ao final do dia, na Largo de Sapadores e junto ao metro na Praça do Chile, de contacto com a população sobre o corte de carreiras da Carris, em particular o 797, e sobre o aumento do preço dos transportes. Em ambas foram aprovadas moções que reivindicam o direito ao serviço público de transporte com qualidade, repudiam o aumento dos passes e a perspectiva de despedimentos na Carris. Foi, ainda apelado à população a participação na manifestação de 11 de Fevereiro convocada pela CGTP-IN.

O Governo foi inaugurar o quê à Escola Gil Vicente?

escgilvicente.jpgA propósito da inauguração da Escola Gil Vicente pelo Governo, com a pompa e a circunstância que a propaganda governamental exige, o PCP vem questionar essa iniciativa, apresentando dois factos concretos: A escola existe desde 1914; as obras de requalificação agora realizadas não só estão mal direcionadas como nem sequer estão ainda terminadas!

 

Ler Comunicado em PDF

PCP em defesa da Escola Gil Vicente

gilvicente.jpgA escola Gil Vicente, inaugurada em 1949 foi construída em materiais duráveis. Apesar dos seus 60 anos de idade mantinha-se em razoável estado de conservação necessitando de obras de adaptação às necessidades tecnológicas, sanitárias e de segurança. As obras iniciaram-se em Julho de 2008 e para além de ainda não estarem terminadas, é hoje visível que a Escola Gil Vicente não tem condições de trabalho, é insegura, pouco funcional, pouco higiénica e de degradação rápida. O PCP, quer através do seu Grupo Parlamentar, quer através dos seus eleitos na autarquia, tem desenvolvido uma intensa acção em apoio à luta de professores e estudantes da escola.

Ler Comunicado em PDF