PCP de Torres Vedras festeja 95º Aniversário

PCP TV1Foram cerca de seis dezenas de militantes e apoiantes da Concelhia de Torres Vedras que se reuniram no passado dia 28 de fevereiro para festejar o 95º Aniversário Partido Comunista Português. Na sala da AMCR da Fonte Grada, o ambiente primou pela camaradagem e boa disposição, num dia que é de festa, mas também de memória de muitos que deram tanto pela defesa da população, dos trabalhadores e pela liberdade no nosso país. 

PCP TV2Na mesa de honra marcaram presença Gonçalo Tomé, do Comité Central do PCP, Elisabete Santos, do Executivo da Direcção da Organização Regional de Lisboa, Teresa Oliveira, eleita da CDU na Assembleia Municipal e membro da Concelhia de Torres Vedras, tal como Dora Costa, e ainda António Martins, histórico militante do PCP de Torres Vedras. Foi Gonçalo Tomé que, na sua intervenção, fez uma história do Partido, relembrando o facto de ter sido o único partido a manter-se organizado durante a ditadura, a “contribuição na luta de massas” e o facto de ser uma organização de luta, mas também “de liberdade e de democracia”. Sublinhando o papel do PCP no 25 de Abril, lamentou que os pilares da revolução estejam a ser tão atacados, sobretudo nestes últimos anos em que PSD e CDS governaram contra os interesses da população e do país. A importância do PCP voltou a ser sublinhada na noite de 4 de outubro de 2015, tendo sido o partido quem liderou a ação histórica, sempre do lado da “realidade concreta”, permitindo que o PS formasse governo, que não sendo um governo de esquerda, abre espaço para que o PCP assuma um “papel de independência e autonomia política que sempre o caracterizou, aprovando o que é bom para o povo e reprovando tudo o que não sirva os interesses dos trabalhadores, do povo e do país”. Gonçalo Tomé afirmou ainda que a “luta faz-se no plano nacional, mas também no plano dos concelhos e das freguesias”, realçando o trabalho daqueles que acompanham de perto o dia-a-dia dos portugueses e se empenham na “resolução dos problemas das populações nos locais onde vivem”. É por isso que o PCP continua a “valorizar o trabalho, os serviços e o emprego públicos” lutando pela “garantia das reformas e pensões, bem como pelo aumento do salário mínimo”, focando-se na “urgência de uma política patriótica e de esquerda” como solução para o aumento da qualidade de vida dos portugueses. Durante a sessão foi ainda lembrado o importante papel do Jornal Avante!, que no passado dia 15 de fevereiro cumpriu 85 anos de publicação ininterrupta, na clarificação e informação dos militantes e apoiantes do PCP.