PCP de Loures denuncia comportamento abusivo e provocatória da Mirandela Artes Gráficas

mirandelagrafica.jpgA Mirandela - Artes Gráficas, em Dezembro de 2006 celebrou um contrato com o Governo. Daí resultou o recebimento de significativos apoios financeiros e benefícios fiscais. Em troca a Empresa comprometia-se a manter os 229 trabalhadores e criava mais 50 postos de trabalho. A realidade porém é outra. Ao invés da criação de mais emprego no decurso de 2008, o constante atraso no pagamento de salários, levou cerca de cem trabalhadores para a rescisão dos seus contratos de trabalho. A recente proposta da empresa, de pagar as dívidas aos seus trabalhadores a 20 Euros por mês só pode ser vista como uma provocação. O PCP apela à luta e unidade dos trabalhadores.
 
Ver requerimento apresentada na Assembleia da República pelo PCP
AOS TRABALHADORES DA MIRANDELA - ARTES GRAFICAS

O Sector de Empresas de Loures do PCP conhecendo a difícil situação por vós vivida, em resultado do não pagamento dos subsídios de Natal e férias dos anos de 2008 e 2009, quer, em primeiro lugar, transmitir-vos a sua incondicional solidariedade.

A proposta que a Administração da Mirandela apresentou, para liquidar as dívidas aos trabalhadores (vinte euros por mês) tem de ser encarada como uma provocação a quem, no dia-a-dia, já deu provas de dedicação e sacrifício pela defesa da empresa.

A Mirandela - Artes Gráficas, em Dezembro de 2006 celebrou um contrato com o Governo. Daí resultou o recebimento de significativos apoios financeiros e benefícios fiscais. Em troca a Empresa comprometia-se a manter os 229 trabalhadores e criava mais 50 postos de trabalho. A realidade porém é outra. Ao invés da criação de mais emprego no decurso de 2008, o constante atraso no pagamento de salários, levou cerca de cem trabalhadores para a rescisão dos seus contratos de trabalho.

A injustiça social contra os trabalhadores, a impunidade com que esta administração age, como se tudo pudesse fazer sem nada lhe acontecer, só se alterará com a luta organizada,  

O Sector de Empresas do PCP está ao lado dos trabalhadores da Mirandela e irá propor ao seu Grupo Parlamentar que questione o governo sobre as ilegalidades contra os direitos do trabalho, e ainda com mais gravidade questionará a utilização de dinheiros públicos sem fiscalização de compromissos assumidos.

Aos trabalhadores não basta ter razão. É fundamental que lutem pelos seus direitos.
 
Quem luta, nem sempre ganha!
MAS QUEM NÃO LUTA, PERDE SEMPRE!