PCP Loures - Greve Geral e Saúde

A Direcção Concelhia de Loures do PCP, reunida para analisar a situação política e social no concelho, decidiu:

1 – Saudar todos os trabalhadores do Concelho de Loures que aderiram à greve geral promovida pela CGTP-IN.

Os trabalhadores portugueses fizeram ouvir a sua voz contra as medidas políticas e sociais do governo PS, que os afecta seriamente no seu quotidiano de trabalho e de vida.

Também em Loures a greve geral se fez sentir nas principais empresas do concelho: na Câmara e nos Serviços Municipalizados onde não foi recolhido o lixo, na Valorsul com dois dias de greve e a produção completamente parada, na Saint-Gobain Sekurit e Saint-Gobain Glass com níveis de paralisação entre os 80 e os 90%, na Dyrup com paragens de turno a 80%.

Também outros sectores de actividade foram afectados por esta greve: as Juntas de Freguesia com paralisações a 100% em Santa Iria de Azóia, S. João da Talha, Bucelas e Santo Antão do Tojal, na Pluricoop no Zambujal e em Santa Iria; na IPSS Pomba da Paz no Catujal. Encerraram as Escolas Básicas n.º 1 da Bobadela, de Sacavém e da Apelação; as Escolas Básicas n.º 2 e 3 de Vale de Figueira; os Jardins de Infância de Frielas, Prior Velho e Sacavém.

Muitos outros trabalhadores do concelho, apesar dos condicionamentos, da chantagem e da falta de liberdade em muitas empresas e locais de trabalho, assumiram, com coragem e determinação esta jornada de luta.

A greve geral foi um sério aviso ao governo. A luta vai continuar por uma mudança de rumo para a política nacional.

2 – Realizar uma Mesa Redonda sobre o Hospital de Loures no dia 20 de Junho e a  decisão peregrina do governo, de deixar de fora cerca de 60% dos residentes do Concelho de Loures a quem o hospital se destinaria.

3 – Participar, activamente, na preparação da Festa do Avante com a realização de jornadas de trabalho a partir de 23 de Junho, na venda da EP – Entrada Permanente e na divulgação desta iniciativa do PCP.

Loures, 5 de Junho de 2007


A Direcção Concelhia de Loures do PCP