Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica em luta na SCML

Protesto TSDT 2019 07 04Os Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (TSDT) da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) estão em luta pela revisão da tabela salarial face à ausência de resposta às suas justas reivindicações. O passado dia 4 de Julho, foi a data escolhida para realizar uma greve e concentração à porta do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão (CMRA), num protesto que contou com a participação do Secretário-Geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, e a solidariedade do PCP. As várias dezenas de manifestantes gritaram palavras de ordem e, nos diversos testemunhos dos trabalhadores que intervieram na iniciativa, exigiram uma justa valorização da sua carreira e do tempo de serviço prestado. O processo de transição para a nova tabela salarial e os processos de progressão extraordinário criaram enormes injustiças e o natural descontentamento destes profissionais de saúde que pretendem iniciar um processo negocial para que se proceda à rápida correcção desta situação.

Correcção material do PDM - Intervenção de António Lemos, eleito do PCP na Assembleia Municipal de Cascais

Intervenção de António Lemos, eleito do PCP na Assembleia Municipal de Cascais

(Assembleia Municipal extraordinaria de 5 de Junho de 2019)

Continuar...

Sobre o Bairro Irene - Intervenção de Manuela Santos, eleita do PCP na Assembleia Municipal de Cascais

Intervenção de Manuela Santos, eleita do PCP na Assembleia Municipal de Cascais
(assembleia municipal extraordinária de 5 de Junho de 2019)

Continuar...

PCP pede audição urgente na AR sobre as informações graves a propósito da PPP do Hospital de Cascais

hospital cascaisAs noticias veiculadas na comunicação social sobre a administração do Hospital de Cascais (PPP) “falsear resultados clínicos e algoritmos do sistema de triagem da urgência” com o objetivo de cobrar mais ao Estado e, consequentemente, aumentar as suas receitas. Assim como outras práticas impostas aos trabalhadores para ludibriarem o sistema para evitar penalizações ao hospital e aumentar o seu financiamento público, estes dados vem demonstrar e dar razão ao PCP que sempre afirmou que o que orienta os grandes grupos económicos que operam na saúde não é o o direito à saúde, mas sim o negócio da doença e o lucro.
O PCP requereu uma audição na Assembleia da República, com carácter de urgência, das seguintes instituições, Inspeção Geral de Actividades em Saúde; Tribunal de Contas; Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e da Ministra da Saúde, para esclarecer o que se passa no Hospital e tomar medidas para impedir que estas praticas prossigam.

Ver requerimento do PCP em PDF

Unidade - Boletim de Abril do Sector de Empresas de Cascais em distribuição

BOLETIM UNIDADE abril 2019 page-0001O "UNIDADE", boletim de Abril do Sector de Empresas de Cascais do PCP,  já está em distribuição. Neste número, as lutas dos trabalhadores e das populações e os actos eleitorais que decorrerão durante o ano de 2019 estão em destaque por se revelarem importantes armas no combate à política de direita e na afirmação de uma política patriótica e de esquerda. Podemos ler, também, as notícias dos lucros dos grandes grupos económicos que exploram os trabalhadores do Cascaishopping e a proposta do PCP para a lei de bases da saúde, que beneficiaria os trabalhadores e os utentes do Hospital de Cascais, na secção dedicada ao Concelho de Cascais. A fechar, o ataque aos direitos dos trabalhadores, resultado do acordo do governo PS com os patrões em concertação social, e a proposta do PCP sobre os suplementos de risco, penosidade e insalubridade para os trabalhadores da administração pública e local.

ver boletim em pdf