VII Assembleia da Organização do Sector de Empresas de Cascais do PCP

Resoluo Poltica VII AOSEC page-0001No passado domingo, dia 1 de Dezembro, decorreu, no CT de Alcabideche, a VII Assembleia da Organização do Sector de Empresas de Cascais do PCP. A Assembleia que teve como lema: "Reforçar a Organização, por um PCP mais forte", serviu para fazer um balanço do trabalho realizado desde a VI Assembleia, delinear as linhas de trabalho futuro para o sector e eleger o novo Organismo de Direcção. A Assembleia contou com a participação do camarada Ricardo Costa do Comité Central do PCP.  

Ler Resolução Política

PCP denuncia discriminação do executivo PSD/CDS sobre os trabalhadores da Câmara Municipal de Cascais

cmc reposicionamento aNa passada sexta-feira, o PCP esteve em contacto com os trabalhadores da Câmara Municipal de Cascais para denunciar a proposta de posicionamento remuneratório por opção gestionária, apresentada pelo executivo PSD/CDS e aprovada pela maioria PSD/CDS em conjunto com o PS, que penaliza quem tem salários mais baixos e agrava as desigualdades salariais entre os trabalhadores. O vereador do PCP Clemente Alves participou nesta acção de esclarecimento onde foi distribuído um documento aos trabalhadores que se demonstraram muito descontentes com o executivo liderado por Carlos Carreiras que se prepara para anunciar "lucros" superiores a 50 milhões de euros, mas onde os trabalhadores são sempre esquecidos. O PCP lutará para que esta discriminação seja travada e que sejam aplicados aumentos salariais dignos para os trabalhadores.

Ler documento em PDF

Continuar...

Sobre a notícia do encerramento do refeitório e do bar do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão

Comunicado do Sector de Empresas de Cascais do Partido Comunista Português 

A notícia do encerramento do refeitório e do bar do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão (CMRA) após a realização de uma vistoria da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) não é mais do que o resultado da gestão ruinosa feita pela administração da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML). Uma gestão cada vez mais ligada aos interesses financeiros, como ficou demonstrado com a entrada no capital da Associação Mutualista Montepio Geral, e afastada do seu âmbito social.

Continuar...

CDU denúncia supressão de carreiras da Scotturb

20190814 doc supressao scoturbA Scotturb, de forma incompreensível, desrespeitando os muitos utentes do serviço público de transporte rodoviário no concelho de Cascais, decidiu a partir de dia 12 de Agosto, a par da greve dos motoristas que asseguram o transporte rodoviário de matérias perigosas, assistiu-se também, a “uma paralisação ad-hoc” do transporte rodoviário de passageiros a cargo da SCOTTURB.
Para a CDU, o que se está a assistir é à utilização de um falso pretexto por parte da gestão da SCOTTURB para com isso diminuir carreiras, diminuir as suas despesas, prejudicar os utentes e abusivamente aumentar os lucros da empresa.
ver documento em pdf

PCP questiona o Governo sobre alterações no Agrupamento de Escolas de Alcabideche que leva 38 docentes para a mobilidade

es alcabidecheA Câmara Municipal de Cascais apresentou a proposta de fusão entre os Agrupamentos de Escolas de Alcabideche e Agrupamento de Escolas da IBN Mucana, na sequência do processo de revisão da Carta Educativa. O Ministério da Educação aceitou profundas alterações
propostas, mas não a fusão – mantendo os dois agrupamentos.O PCP considera que esta solução não é adequada às necessidades educativas e questionou o Governo pois considera que está a ser colocado em causa os projetos educativos que são desenvolvidos, em particular, no AE de Alcabideche. Além
disso, podem ser colocados em causa os direitos dos trabalhadores, nomeadamente dos professores. A manterem-se no quadro do AE Alcabideche, que deixa de ter turmas do 2.º e do 3.º ciclo, 38 professores com dezenas de anos de serviço e alguns com mais de 30 anos na Escola básica 2+3 de Alcabideche vão ficar com horários de zero horas. Esta proposta do executivo da CM Cascais, à qual o PS se juntou, tanto ao nível do município como ao nível do Governo, não serve os interesses da comunidade educativa destes  dois agrupamentos, não defende os direitos dos trabalhadores, sejam professores ou profissionais de
apoio educativo, coloca em causa os projectos educativos que estão em desenvolvimento.
Ver pergunta do PCP ao Governo em PDF