PCP questiona o Governo sobre criação de um curso de medicina numa universidade privada, em Cascais

O PCP questionou o Governo através de duas perguntas ao Ministério da Saúde e ao Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior sobre a criação de um curso de medicina numa instituição privada de ensino superior, a qual o PCP considera ser nefasta para o Serviço Nacional de Saúde.
Através dos seus deputados na Assembleia da República, o PCP exige saber do Governo o seguinte:
1 - Que opinião tem o Governo sobre a criação de um curso de medicina numa universidade privada?
2. Existe algum compromisso do Governo, designadamente de apoio a esta iniciativa?
3. Reconhece o Governo que a criação de um curso de medicina numa universidade privada pode prejudicar o Serviço Nacional de Saúde?
4,Como o Ministério da Saúde explica a participação do Secretário de Estado da Saúde na cerimónia de lançamento do futuro Campus de Cascais da Faculdade de Medicina da Universidade Católica?
Ler PDF – Pergunta Ministério da Saúde
Ler PDF – Pergunta ao Ministério da Ciência Tecnologia e Ensino Superior

Em nota de imprensa de 16/02/2017 , a concelhia do PCP em Cascais já tinha denunciado duas propostas aprovadas pelo executivo da Câmara Municipal de Cascais PSD/CDS-PP onde cedem à Universidade Católica um novo edificio, a construir pela CM Cascais, para a instalação da Faculdade de Ciências da Saúde da UCP e um “Contrato-Promessa de Compra e Venda” com a empresa Luz Saúde, SA do espaço do antigo Hospital de Cascais. Estas propostas foram subscritas pelo Vereador do PSD, Ricardo Baptista Leite, que em nome da Câmara conduziu estes negócios. O PCP repudia e considera que existe uma forte incompatibilidade legal, e também moral pois Ricardo Baptista Leite, tem ligações orgânicas com as entidades privadas envolvidas: é Coordenador Científico de Saúde Pública (Centro de Investigação), Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Católica Portuguesa.
Ler nota de Imprensa da Comissão Concelhia de Cascais 16/02/2017