PCP denuncia campanha de terror em Cascais

MedoNa reunião de Câmara realizada na passada terça-feira, o PCP questionou o Presidente da Câmara de Cascais sobre uma campanha de apelo ao medo que está espalhada pelo concelho, originando indignação entre muitos munícipes. Numa altura em que atravessamos um período marcado pela pandemia do COVID-19 é inaceitável que se recorra a este tipo de campanhas de terror que em nada contribuem para a tomada de decisões conscientes por parte das populações. A situação é mais grave quando se trata de uma organização pela qual o próprio Presidente da Câmara dá a cara. Leia a intervenção do vereador do PCP:

"Em diversos pontos do Concelho estão montados placards identificados por uma sigla da “MaisCascais”, com a frase “Não tenha medo de ter medo”, que muitos munícipes e eu próprio interpretamos como fazendo parte duma campanha que visa induzir o medo na população, sobretudo entre pessoas mais desprotegidas e psicologicamente susceptiveis de serem condicionadas nos comportamentos. Trata-se, de facto e claramente, duma campanha de terror.

Face a isto, impõe-se que coloque ao Sr. Presidente da Câmara as questões seguintes, para as quais requeiro respostas claras:

. Que organização é a “MaisCascais” e quem são as pessoas que por ela respondem perante a Câmara de Cascais ?

. Que estatuto detém a “MaisCascais” que a habilita e autoriza a usar espaços públicos municipais nas suas campanhas de propaganda ?

. Quem na Câmara autorizou, e ao abrigo de que disposições, a utilização dos espaços municipais para a realização de campanhas como esta em questão ?

. Conhece a Câmara donde vêm os meios financeiros que sustentam a actividade da “MaisCascais” ?

. O Presidente da Câmara nega que seja a Câmara, directamente ou por interpostas pessoas, quem esteja a financiar a organização “MaisCascais”?"

Cascais, 5 de Maio de 2020