Presidente da Câmara de Cascais (PSD) tenta silenciar o PCP

CMCascaisNa reunião de Câmara, do passado dia 26 de Janeiro, o vereador comunista, Clemente Alves, voltou a interpelar o Presidente da Câmara de Cascais sobre as notícias vindas a público que contrariam as afirmações de Carlos Carreiras e confirmam que o actual vice-presidente da Câmara de Cascais, Miguel Pinto Luz, utilizou os serviços da empresa NEXTPOWER na sua candidatura à liderança do PSD. Lembramos que se trata de uma empresa que, ao longo dos últimos anos, realizou vários contratos com a Câmara, e com empresas municipais, sendo o último contrato assinado em pleno período de campanha à liderança do PSD, levantando, por isso, suspeitas legítimas sobre a origem do financiamento da campanha de Miguel Pinto Luz. Perante a confirmação da empresa usada por Miguel Pinto Luz o Presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, cortou a palavra ao vereador comunista, por diversas vezes, numa clara tentativa de silenciar o PCP.

Na mesma reunião, há a destacar a revogação da deliberação de cedência em regime de comodato à APPC – Associação de Profissionais da Pesca de Cascais - para instalação da sua sede. Como o PCP havia alertado, esta localização na Adroana, freguesia de Alcabideche, encontra-se demasiado longe, sendo, por isso, natural que a Associação tivesse rejeitado este local para o fim pretendido.