Sobre as irregularidades no acto eleitoral de 1 de Outubro 2017 no concelho de Cascais

A Coordenadora Concelhia de Cascais da CDU vem por este meio dar a conhecer a sua posição face a várias irregularidades verificadas no acto eleitoral de 1 de Outubro 2017 no concelho de Cascais que foram objecto de protesto, reclamações e de um recurso para o Tribunal Constitucional rejeitou o recurso baseando-se em considerações meramente formais que em nada dissipam ou esclarecem as irregularidades que foram detectadas.

 

Comunicado de Imprensa
Sobre as irregularidades no acto eleitoral de 1 de Outubro 2017
no concelho de Cascais


A Coordenadora Concelhia de Cascais da CDU vem por este meio dar a conhecer a sua posição face a várias irregularidades verificadas no acto eleitoral de 1 de Outubro 2017 no concelho de Cascais:
- no decurso da assembleia de apuramento geral, onde participaram, dois membros da CDU (um por sorteio outro por representação) verificaram-se várias irregularidades que foram objecto de protesto e reclamações – pedidos de recontagens de votos em 4 assembleias de votos onde não foram afixados editais, na freguesia de Alcabideche; pedido de recontagem de votos expressos e não expressos em 2 secções de voto na União de freguesias de Carcavelos e Parede; pedidos de verificação de actas dadas as incongruências entre os resultados entregues ao MAI, os dados da Câmara Municipal e actas redigidas.
- face às questões levantadas na Assembleia de apuramento geral várias forças políticas apresentaram um recurso conjunto ao Tribunal Constitucional: a CDU – PCP/PEV, o PS, a BE e a coligação «Também és Cascais».

- O Tribunal Constitucional deliberou no passado dia 13 de Outubro, rejeitando o recurso apresentado, baseando-se em considerações meramente formais que em nada dissipam ou esclarecem as irregularidades que foram detectadas.

- Em todo este processo, as reacções do Presidente da Câmara Municipal de Cascais eleito não surpreendem. Seguem a sua linha autoritária com mais uma tentativa de intimidação e de condicionar as forças políticas que se lhe opõem, ameaçando com processos de calúnia, difamação e injuria.

- A CDU reitera a toda a população e trabalhadores do concelho de Cascais que jamais se deixará condicionar ou intimidar por qualquer força política ou presidente de câmara, que continuará a trabalhar honrando os seus compromissos com a população e trabalhadores de Cascais, lutando e exigindo sempre a transparência e a clareza em todos os processos políticos, sejam eles eleitorais ou não.

 

 

16 de Outubro de 2017
A Coordenadora Concelhia de Cascais da CDU