Metro parado para parar os roubos aos trabalhadores!

greve-no-metro-de-lisboaOs trabalhadores do Metro realizaram hoje mais uma greve contra o roubo que estão a sofrer nas suas remunerações, em defesa da empresa e da contratação colectiva. O PCP expressa a sua activa solidariedade com a justa luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, exige do Governo que acabe com as hipócritas lamúrias e respeite a contratação colectiva, e apela à intensificação da resistência e da luta em todas as empresas e locais de trabalho face à política anti-laboral e anti-patriótica em curso.

Reformados do Metropolitano de Lisboa enfrentam assalto do Governo exigindo devolução dos posto de trabalho

20140108metroreformadosOs Reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma acção de luta com a ocupação da sede da empresa na Barbosa do Bocage. Exigem a anulação do roubo dos complementos de reforma que o Governo está a tentar concretizar e apresentaram-se hoje para trabalhar pois o Governo está a violar as condições que aceitaram para se reformar. O deputado do PCP, Bruno Dias, expressou, no final da iniciativa, a activa solidariedade do PCP para com as suas justas reivindicações, sublinhando que num momento em que o Governo cria graves precedentes no roubo das reformas e pensões, a situação dos reformados do Metropolitano de Lisboa onde os cortes atingem os 70% da reforma é não só inaceitável de per si como representa um grave precedente e um exemplo de até onde poderá ir a quadrilha alapada no poder.

No Metro, a luta continua! Greve exige respeito pela contratação colectiva e o fim dos roubos!

Os trabalhadores do Metroolitano de Lisboa realizaram hoje mais uma jornada de luta, uma greve de quatro horas contra o roubo de que estão a ser vítimas por parte do Governo e onde exigiram o respeito pela contratação colectiva e pela empresa. O PCP reafirma a total e activa solidariedade com a luta dos trabalhadores do Metro, e exige do Governo que acabe com os roubos e com a hipocrisia e satisfaça as justas reivindicações dos trabalhadores.

Metro: Plenário de Trabalhadores decide continuar a luta em defesa da contratação colectiva e da empresa!

mini-20131217 102742Em Plenário realizado hoje nas Oficinas da Pontinha os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa decidiram prosseguir a luta, confirmando a greve de 19 e apontando uma nova jornada de greve para o dia 2 de Janeiro. O PCP, activamente solidária com a luta e as reivindicações dos trabalhadores do Metro, exige que o Governo tome medidas para a resolução imediata do conflito, ou seja, assuma que vai cumprir a contratação colectiva livremente assinada com os trabalhadores do Metro e pare com os roucos sucessivos nos seus salários e direitos.

Reformados do Metro prosseguem luta: «Trabalhámos com lealdade, Exigimos lealdade na reforma!»

20131204refmetrobbOs reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma nova jornada de luta. Às 10h00 da manhã apresentaram-se em massa para realizar a «prova de vida», de que haviam sido dispensados pelo facto da empresa não fazer intenção de continuar a pagar-lhes o complemento de reforma. E uma primeira vitória foi ter obrigado a empresa a realizar essa prova de vida. A jornada de luta terminou com a ocupação simbólica da Estação do Campo Pequeno.

Contra o roubo e a destruição da Empresa: Trabalhadores do Metro continuam a lutar!

governoruaOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma nova greve que paralisou a circulação ferroviária na empresa até às 10h00. O PCP saúda a unidade, a determinação e a luta, e expressa a sua total e activa solidariedade com as justas reivindicações que a motivam (fim do roubo nos salários e reformas, defesa dos utentes, defesa da empresa e da economia nacional) e apela à intensificação da luta contra um governo e uma política que estão a destruir Portugal.

Reformados do Metro exigem fim do roubo das suas reformas!

mini-20131122plenreformadosmetro 2Centenas de Reformados do Metropolitano de Lisboa estão concentrados na Sede da empresa (Barbosa do Bocage) numa acção de luta contra o roubo das suas reformas através do Orçamento de Estado, um roubo que chega a atingir os 60% do valor nominal das mesmas. O Secretário-Geral da CGTP-IN interveio no plenário em solidariedade com a luta e as reivindicações destes reformados. O PCP já apresentou as propostas de alteração ao OE2014 que estes reformados justamente reivindicam.

«Parem de roubar os trabalhadores!» - A firme mensagem de mais uma greve do Metro!

grevemetroencerradoOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa cumpriram hoje mais uma greve na firme luta que travam em defesa da contratação colectiva, e em defesa da empresa e da economia nacional. O PCP saúda a firme luta dos trabalhadores do Metro, e repudia as declarações de Luis Barroso, o membro da Comissão Liquidatária do Metro e da Carris (vulgo Administração) que hoje, provocatóriamente, veio a público afirmar a intenção de entregar as duas empresas ao privado, seguramente à Barraqueiro para a qual regressou o seu «amigo» Silva Rodrigues. O facto de, também aqui, o comportamento do Governo se pautar pela completa promiscuidade entre os interesses privados e públicos já foi levantado na Assembleia da República pelo PCP, num requerimento que aqui se recorda.

Ler requerimento em PDF

No Metro de Lisboa, a luta exige que se pare de roubar a quem trabalha!

mini-grevemetroilustrarOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa estão hoje em greve contra o roubo no Orçamento de Estado e em defesa da Contratação Colectiva. O PCP saúda a determinação e unidade na luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, reafirma a sua total e activa solidariedade com as justas reivindicações que apresentam, e sublinha que o futuro de Portugal (ao contrário da mensagem repetida pelo Governo e seus vendilhões) depende do crescimento da resistência e  da luta dos trabalhadores e do povo.

Reformados do Metro: Contra o esbulho das Reformas, a luta é o caminho!

miniplereformadosmetroCentenas de Reformados do Metropolitano de Lisboa reuniram-se hoje num Auditório do Alto Moinho a transbordar. Face a um Orçamento de Estado que lhes chega a roubar 60% das reformas, os presentes decidiram avançar para diversas formas de luta no sentido de exigir o fim deste assalto. No final do plenário, dirigiram-se ao Ministério da Economia para entregar ao governo a moção aprovada. A Célula do PCP no Metro saúda a luta dos reformados da empresa, e exige que se pare com o roubo aos trabalhadores e reformados que só servem para alimentar os grandes capitalistas e os especuladores.