Reformados do Metropolitano de Lisboa enfrentam assalto do Governo exigindo devolução dos posto de trabalho

20140108metroreformadosOs Reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma acção de luta com a ocupação da sede da empresa na Barbosa do Bocage. Exigem a anulação do roubo dos complementos de reforma que o Governo está a tentar concretizar e apresentaram-se hoje para trabalhar pois o Governo está a violar as condições que aceitaram para se reformar. O deputado do PCP, Bruno Dias, expressou, no final da iniciativa, a activa solidariedade do PCP para com as suas justas reivindicações, sublinhando que num momento em que o Governo cria graves precedentes no roubo das reformas e pensões, a situação dos reformados do Metropolitano de Lisboa onde os cortes atingem os 70% da reforma é não só inaceitável de per si como representa um grave precedente e um exemplo de até onde poderá ir a quadrilha alapada no poder.

No Metro, a luta continua! Greve exige respeito pela contratação colectiva e o fim dos roubos!

Os trabalhadores do Metroolitano de Lisboa realizaram hoje mais uma jornada de luta, uma greve de quatro horas contra o roubo de que estão a ser vítimas por parte do Governo e onde exigiram o respeito pela contratação colectiva e pela empresa. O PCP reafirma a total e activa solidariedade com a luta dos trabalhadores do Metro, e exige do Governo que acabe com os roubos e com a hipocrisia e satisfaça as justas reivindicações dos trabalhadores.

Metro: Plenário de Trabalhadores decide continuar a luta em defesa da contratação colectiva e da empresa!

mini-20131217 102742Em Plenário realizado hoje nas Oficinas da Pontinha os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa decidiram prosseguir a luta, confirmando a greve de 19 e apontando uma nova jornada de greve para o dia 2 de Janeiro. O PCP, activamente solidária com a luta e as reivindicações dos trabalhadores do Metro, exige que o Governo tome medidas para a resolução imediata do conflito, ou seja, assuma que vai cumprir a contratação colectiva livremente assinada com os trabalhadores do Metro e pare com os roucos sucessivos nos seus salários e direitos.

Reformados do Metro prosseguem luta: «Trabalhámos com lealdade, Exigimos lealdade na reforma!»

20131204refmetrobbOs reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma nova jornada de luta. Às 10h00 da manhã apresentaram-se em massa para realizar a «prova de vida», de que haviam sido dispensados pelo facto da empresa não fazer intenção de continuar a pagar-lhes o complemento de reforma. E uma primeira vitória foi ter obrigado a empresa a realizar essa prova de vida. A jornada de luta terminou com a ocupação simbólica da Estação do Campo Pequeno.

Contra o roubo e a destruição da Empresa: Trabalhadores do Metro continuam a lutar!

governoruaOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa realizaram hoje uma nova greve que paralisou a circulação ferroviária na empresa até às 10h00. O PCP saúda a unidade, a determinação e a luta, e expressa a sua total e activa solidariedade com as justas reivindicações que a motivam (fim do roubo nos salários e reformas, defesa dos utentes, defesa da empresa e da economia nacional) e apela à intensificação da luta contra um governo e uma política que estão a destruir Portugal.

Reformados do Metro exigem fim do roubo das suas reformas!

mini-20131122plenreformadosmetro 2Centenas de Reformados do Metropolitano de Lisboa estão concentrados na Sede da empresa (Barbosa do Bocage) numa acção de luta contra o roubo das suas reformas através do Orçamento de Estado, um roubo que chega a atingir os 60% do valor nominal das mesmas. O Secretário-Geral da CGTP-IN interveio no plenário em solidariedade com a luta e as reivindicações destes reformados. O PCP já apresentou as propostas de alteração ao OE2014 que estes reformados justamente reivindicam.

«Parem de roubar os trabalhadores!» - A firme mensagem de mais uma greve do Metro!

grevemetroencerradoOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa cumpriram hoje mais uma greve na firme luta que travam em defesa da contratação colectiva, e em defesa da empresa e da economia nacional. O PCP saúda a firme luta dos trabalhadores do Metro, e repudia as declarações de Luis Barroso, o membro da Comissão Liquidatária do Metro e da Carris (vulgo Administração) que hoje, provocatóriamente, veio a público afirmar a intenção de entregar as duas empresas ao privado, seguramente à Barraqueiro para a qual regressou o seu «amigo» Silva Rodrigues. O facto de, também aqui, o comportamento do Governo se pautar pela completa promiscuidade entre os interesses privados e públicos já foi levantado na Assembleia da República pelo PCP, num requerimento que aqui se recorda.

Ler requerimento em PDF

No Metro de Lisboa, a luta exige que se pare de roubar a quem trabalha!

mini-grevemetroilustrarOs trabalhadores do Metropolitano de Lisboa estão hoje em greve contra o roubo no Orçamento de Estado e em defesa da Contratação Colectiva. O PCP saúda a determinação e unidade na luta dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, reafirma a sua total e activa solidariedade com as justas reivindicações que apresentam, e sublinha que o futuro de Portugal (ao contrário da mensagem repetida pelo Governo e seus vendilhões) depende do crescimento da resistência e  da luta dos trabalhadores e do povo.

Reformados do Metro: Contra o esbulho das Reformas, a luta é o caminho!

miniplereformadosmetroCentenas de Reformados do Metropolitano de Lisboa reuniram-se hoje num Auditório do Alto Moinho a transbordar. Face a um Orçamento de Estado que lhes chega a roubar 60% das reformas, os presentes decidiram avançar para diversas formas de luta no sentido de exigir o fim deste assalto. No final do plenário, dirigiram-se ao Ministério da Economia para entregar ao governo a moção aprovada. A Célula do PCP no Metro saúda a luta dos reformados da empresa, e exige que se pare com o roubo aos trabalhadores e reformados que só servem para alimentar os grandes capitalistas e os especuladores.

Metro: Trabalhadores e Reformados, unidos na luta contra os roubos do Orçamento de Estado

20131030 plenariometroA jornada de luta dos trabalhadores do Metropolitano iniciou-se com um plenário que, na noite de 30, reuniu centenas de trabalhadores e reformados, e que prossegue com uma greve que está a encerrar toda a circulação durante este dia 31. Expressando a activa solidariedade do PCP, Bruno Dias saudou a luta, a unidade e a determinação dos trabalhadores e reformados do Metropolitano, e reassumiu o compromisso do PCP de intensificar na Assembleia da República o combate ao roubo de salários, remunerações, pensões e complementos de reforma. E saudou ainda as decisões tomadas pelo plenário, de alargar, diversificar e intensificar a luta, lembrando que está nas mãos dos trabalhadores derrotar este governo e esta política.