Ilegalidades e indignidades chocantes no Metropolitano de Lisboa

mini-20150717 093608Uma delegação do PCP reuniu hoje nas instalações do Metropolitano de Lisboa com organizações representativas dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa (CT, STRUP, STTM e SENSIQ), tendo ainda contactado alguns trabalhadores particularmente afectados pelo ilegal processo de reestruturação. A informação recolhida, que confirma um conjunto de práticas revoltantes da Administração, será agora utilizada para confrontar Rui Loureiro (actual Administrador) que está obrigado a ir à Comissão de Economia na próxima terça-feira na sequência de uma proposta do PCP aprovada à quase dois meses, e cujo concretização tem sido sucessivamente adiada.

Ler Texto da Resolução aprovada

Metro parado para travar despedimentos e a privatização

publicotodosOs trabalhadores do Metro de Lisboa realizam hoje uma nova jornada de luta contra a privatização da empresa e contra os despedimentos e as chantagens de que estão a ser vítimas provocadas pelo ilegal processo de reestruturação em curso.
 O PCP está activamente solidário com a luta e os objectivos dos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa.

PCP denuncia as causas do congelamento da Estação de Metro da Reboleira

reb metroO PCP recordou a pergunta colocada na Assembleia da República há mais de três anos onde acusava o Governo de estar a congelar a Estação de Metro da Reboleira, pronta a 95%, para só a inaugurar depois de anunciada a privatização, prejudicando a população da Amadora e de Sintra, e o Metro, subordinando a gestão de uma empresa pública jogos de manipulação da opinião pública. Uma denúncia que, mais uma vez, o tempo acabou por demonstrar a sua total justeza.

Ler Pergunta colocada em PDF

PCP com os Reformados do Metro contra o roubo dos complementos

metroref24junOs Reformados do Metropolitano de Lisboa realizaram este dia 24 uma nova jornada de luta contra o roubo dos seus complementos de reforma. Presente na iniciativa o deputado do PCP Bruno Dias saudou a continuação da luta que acabará por conquistar o fim do roubo dos complementos de reforma, e reassumiu o compromisso claro do PCP de que um Orçamento de Estado que mantenha este roubo terá sempre a total oposição dos deputados do PCP e recordou que está nas mãos do povo português dar força à CDU e à ruptura com a política que tem sido imposta.

Metro não se rende: A luta continua!

1610789 967351169955754 2916412320602432564 nFoi com um Plenário de Trabalhadores que se iniciou a greve do Metropolitano deste dia 18. Uma luta onde os trabalhadores exigem que seja abandonada a ideia de privatizar a exploração comercial da empresa e que seja imediatamente parada a reestruturação ilegal que está a ser imposta para preparar essa privatização. O Vereador do PCP presente, único autarca da CM Lisboa que aceitou o convite das ORT's, sublinhou que os 230 milhões de euros por ano que o Estado se propõe entregar ao privado eram mais que suficientes para que as empresas públicas funcionassem com superavit operacional, reduzindo preços e alargando a oferta - mas com este Governo só há dinheiro para os capitalistas.

É preciso democratizar a gestão das empresas públicas

metrocconsultivoO PCP exigiu hoje na Assenbleia da República que o governo cumprisse a lei no Metropolitano de Lisboa também no que ao seu Conselho Consultivo diz respeito. Por incrível que possa parecer, este órgão criado por uma lei da República há cinco anos, nunca foi empossado, contribuindo para a crescente opacidade da gestão desta empresa pública.

Ler Requerimento em PDF

Metro em luta contra a destruição da empresa

Os trabalhadores do Metro de Lisboa realizam hoje mais uma grande greve contra o processo em curso de destruição da empresa e de entrega à exploração capitalista de todas as actividades operacionais da empresa. Uma luta que é pela justa defesa dos direitos dos trabalhadores mas é igualmente em defesa do serviço público de transportes e contra a privataria que tomado de assalto a nossa economia e a nossa soberania.

Trabalhadores do Metro em Greve contra a destruição da empresa e as privatizações

pedtpesdaOs trabalhadores do Metro de Lisboa realizam hoje uma grande greve contra o processo em curso de destruição da empresa e contra as diversas privatizações de que estão a ser alvo, desde a tentativa de subconcessionar a privados a exploração comercial até à tentativa de entregar os comboios a uma multinacional numa operação financeira desastrosa. O PCP reafirma a sua total solidariedade com a luta travada e exige que o Governo abandone o caminho desestabilizador em que se encontra apostado. O PCP apela a uma forte participação na Marcha contra as Privatizações que está marcada para dia 21 de Maio por mais de 40 organizações de trabalhadores e utentes.

Privataria: Quando sobra a imaginação mas falta a vergonha!

ppp lesaebackO PCP colocou na Assembleia da República um requerimento onde confronta o Governo com mais uma PPP que está a ser preparada no sector dos transportes, agora com o material circulante do Metro de Lisboa, que querem oferecer a uma multinacional para depois o voltar a alugar, numa daquelas «operaçoes financeiras» que já custaram centenas de milhões de euros à empresa,  e que são sempre apresentadas com nomes em inglês e com rótulos de grande modernidade, mas que no final acabam por representar ganhos vergonhosos para a banca e as multinacionais à custa das empresas públicas e dos trabalhadores.

Ler Requerimento em PDF

Metro em luta contra as PPP e em defesa do serviço público

mini-metro luta 2015Os trabalhadores do Metro cumpriram hoje a primeira das jornadas de luta decididas no plenário do passado dia 22 de Abril: uma greve parcial que paralizou a circulação até às 10h00 da manhã. Os trabalhadores lutam contra o processo de destruição da empresa, contra as privatizações e as PPP e por um serviço público de transportes. O PCP expressa a sua activa solidariedade com a luta dos trabalhadores do Metro.