PCP promove Audição às ORT's do Metropolitano de Lisboa

20170324 175513Face à situação que se vive no Metropolitano, o PCP promoveu na Assembleia da República no dia 24 de Março uma Audição às ORT's da empresa. Uma reunião onde se confirmaram as preocupações com o adiamento das medidas operacionais urgentes que se impõe, com um clima que prevalece de perseguição aos trabalhadores, e com a crescente degradação da segurança e fiabilidade da operação. O PCP comprometeu-se a avançar com um conjunto de novas iniciativas legislativas para obrigar o Governo a romper com o caminho de degradação da empresa que o anterior governo lançou para conseguir privatizá-la.  

Adiamento das medidas urgentes continua a degradar a oferta no Metropolitano de Lisboa

metrocorteamadoraA partir do dia 27 de Março a oferta do Metropolitano sofre uma nova degradação, desta vez com o corte para metade das circulações na hora de ponta para as três estações da Amadora: Alfornelos, Amadora Este e Reboleira. A administração justifica-se com a falta de material circulante, que é real, mas o PCP destaca que ainda não foram tomadas medidas essenciais para repor a capacidade de resposta das oficinas (contratação de trabalhadores, reabertura do PMO2 nas calvanas). Os trabalhadores têm propostas (que a administração recusa sistematicamente) para organizar a produção com os actuais meios,  mas o governo continua a adiar resposta, a fazer promessas e a deixar degradar a situação. O PCP questionou o Governo na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

Vitória da Luta: No refeitório do Metro já se cumpre o AE!

referitoriometro20170102O dia começou mal. Os preços praticados no Refeitório do Metro violavam o Acordo de Empresa e ainda faziam aplicar uma norma que vigorou nos OE de 2011 a 2016, mas foi retirada do OE2017. Face à recusa dos trabalhadores em pagar o preço que lhes estava a ser ilegalmente cobrado, e com a activa participação de dirigentes do STRUP/FECTRANS e da CT, a Administração acabou por reconhecer a razão dos trabalhadores e fazer aplicar o preço acordado. Eis um exemplo (aliás apontado no comunicado de hoje da célula do PCP) de como será a unidade e luta dos trabalhadores o factor decisivo para materializar os avanços possíveis de serem alcançados.

Depois de importantes vitórias em 2016, a luta continua em 2017!

02012017metrolisboaValorizando os avanços conseguidos em 2016 pelos trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, a Célula do PCP sublinha a necessidade de continuar a luta em 2017, sublinhando duas vertentes dessa luta: a luta em defesa do serviço público prestado, que atinge níveis brutais de degradação da fiabilidade e qualidade; a luta pela plena concretização do Orçamento de Estado de 2017 e pela acesso pleno à contratação colectiva de todos os trabalhadores do Metropolitano. Um comunicado onde a Célula convida todos os trabalhadores a reforçarem o PCP.

Ler Comunicado em PDF

Assinatura do Acordo de Empresa culmina seis anos de luta no Metropolitano de Lisboa

metro20161125A Célula do PCP no Metropolitano de Lisboa está a distribuir aos trabalhadores da empresa um comunicado a propósito da Assinatura do Acordo de Empresa no passado dia 16 de Novembro. Um comunicado onde se sublinha a luta de 6 anos e as importantes vitórias alcançadas, onde se aponta que a assinatura do AE (depois da derrota da privatização, do roubo dos complementos e do fim dos cortes) marca o final vitorioso de um ciclo,mas onde não se deixa de sublinhar a necessidade de prosseguir a luta.

Ver comunicado em PDF

Plenário de Trabalhadores do Metropolitano ratificam Acordo de Empresa negociado

plenariometro281016Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa ratificaram hoje em plenário a proposta de Acordo de Empresa negociado com a Administração da empresa. Uma vitória histórica num longo processo de luta, de resistência à ofensiva do anterior Governo PSD/CDS (que chegou a denunciar o AE para provocar a sua caducidade) e de afirmação do direito à contratação colectiva. A Célula do PCP valoriza o Acordo alcançado, pelo Acordo em si, pelo que significa no quadro da luta dos trabalhadores pelo trabalho com direitos e pelo reafirmação de que a luta é o caminho para a defesa e valorização dos direitos dos trabalhadores.

Respostas Urgentes: Metro necessita de mais trabalhadores!

quadrado metroO Governo e a sua Administração do Metropolitano de Lisboa continuam a adiar as respostas urgentes que o serviço público de transportes exige.Nas entrevistas, continuam as promessas, mas na empresa e no serviço pouco ou nada muda. Continuam a prometer a entrada dos mesmos 30 trabalhadores que, nas palavras de António Costa, iam entrar em Março deste ano. Na área comercial, para que as estações não estejam despidas de trabalhadores, o Metro necessita de mais 100 trabalhadores. Finalmente abriram o concurso mas o Governo limita-o a apenas os tais 30. Porquê? Porque não querem tomar as medidas urgentes que se impõe? Foram as perguntas que o PCP dirigiu ao Governo.

Ler Requerimento em PDF 

PCP insiste: o futuro da Rede do Metropolitano deve ser tratado de forma séria!

metrofuturoPela segunda vez o PCP requereu ao Governo, na Assembleia da República, a divulgação dos instrumentos de gestão e planificação que levaram às conclusões divulgadas sobre o futuro da rede do Metropolitano de Lisboa. Este assunto é demasiado sério para ser tratado como um souund-bite ou uma linha de demagogia eleitoralista olhando para as autárquicas, como aconteceu demasiadas vezes no passado.

Ler Requerimento em PDF

Aprofundar o conhecimento das condições de trabalho no Metropolitano de Lisboa

20160621metrolxA convite das ORT's do Metropolitano, o deputado do PCP Bruno Dias acompanhou hoje um turno de trabalho dos maquinistas. Ocasião para aprofundar o conhecimento sobre as condições de trabalho destes profissionais, que enfrentam factores de desgaste acrescido - ausência de luz, ruído, qualidade do ar, trabalho por turnos - e onde a política de redução de pessoal abaixo dos limites mínimos operacionais continua a degradar as condições de trabalho e a qualidade do serviço. 

Metropolitano: Mais duas vitórias na luta que continua.

20160608com metroA Célula do PCP está a distribuir um comunicado aos trabalhadores da empresa onde se valoriza duas importantes vitórias alcançadas pelos trabalhadores da Empresa: a retirada formal da caducidade dos Acordos de Empresa; a aprovação, hoje, na Comissão de Economia da Assembleia da República de um projecto-lei (que funde iniciativas anteriores do PCP, do BE e do PS) e que determina o fim da fusão das quatro empresas (Metro, Carris, Transtejo e Soflusa). O PCP valoriza estas vitórias, sublinha o papel essencial da luta dos trabalhadores, e alerta para que a luta continua.

Ler Comunicado em PDF