PCP activamente solidário com a justa luta dos estivadores, toma a iniciativa no Parlamento

estivadoresprecariedadeO PCP apresentou hoje na Assembleia da República um projecto de resolução contra a precariedade no sector da Estiva, que resultou da Audição realiza no passado mês de Abril. Um projecto que objectivamente está solidário com a justa luta dos estivadores do Porto de Lisboa, e que aponta à necessidade de reverter os efeitos nefastos da revisão da lei do trabalho portuário imposta pelo anterior governo PSD/CDS e que está a empurrar os estivadores para níveis crescentes de precariedade.

Ler Projecto de Resolução em PDF 

Porto de Lisboa: Contra a exploração e a precariedade, a luta é o caminho!

lutaportoscom060516O PCP tomou posição face ao crescimento das pressões patronais contra a justa luta dos estivadores do Porto de Lisboa. Acusando o patronato do porto de estar a fazer a economia nacional sua refém e de ser o responsável pela greve com a sua postura de tudo fazer para conseguir aumentar ainda mais os seus lucros à custa de uma precariedade e exploração irrefreada, o PCP sublinha que as medidas excepcionais devem ser tomadas é contra esse patronato que se revela incapaz de gerir concessões públicas que lhe devem ser retiradas imediatamente! Saudando a luta dos trabalhadores, o PCP apela ao reforço da solidariedade activa de todos os trabalhadores do Distrito de LIsboa!

Ler Comunicado em PDF

PCP contesta serviços mínimos e exige que Governo trave o processo de desestabilização imposto pelo patronato no Porto de Lisboa

sminismosportolisboaO PCP contestou a decisão do Governo de decretar serviços mínimos para a justa luta que se trava no Porto de Lisboa. Na opinião do PCP. o que se exige é que o Governo trave o patronato, que está a conduzir um processo de desestabilização do Porto de Lisboa para conseguir - custe o que custar - aumentar a exploração dos trabalhadores.

Ler Requerimento em PDF

Contra a precariedade e a exploração nos Portos portugueses, PCP promove Audição Parlamentar

20160422audportosO PCP realizou este dia 22 de Abril uma Audição Parlamentar sobre «Precariedade e Exploração nos Portos de Portugal». O valioso conjunto de intervenções de trabalhadores presentes dos Portos de Lisboa, Setúbal, Sines, Figueira e Aveiro, a que se somaram ainda testemunhos de Viana, Leixões e Faro, permitiu construir um quadro claro da degradação provocada pela imposição da Lei do Trabalho Portuário e pelo conjunto de opções liberalizantes que tem sido a matriz das políticas impostas pelos sucessivos governos. O PCP comprometeu-se a avançar, já nos próximos dias, com iniciativas legislativas que procurem alterar este quadro de crescente precariedade e exploração, e expressou a sua activa solidariedade com a luta em curso dos estivadores.

Greve contra a precariedade e a exploração paralisa Porto de Lisboa

ilustrar lutaplisboaDepois do patronato ter rasgado a contratação colectiva, depois do patronato ter recusado uma solução negociada, depois do patronato tentar impor a precarização dos postos de trabalho e estar a organizar a falência fraudulenta da ETP-L, os estivadores do Porto de Lisboa regressaram à luta, e realizaram ontem o seu primeiro dia de greve, tendo encerrado o Porto de LIsboa. O PCP já expressou a sua solidariedade activa aos estivadores em luta, e reafirma a sua exigência de que o governo intervenha, não para lavar as mãos como pilatos, mas para tomar partido contra a precariedade e a exploração. Depois da Audição que o PCP promove sobre a situação laboral nos Portos Portugueses (22 Abril, 15h00, Assembleia da República) serão anunciadas novas iniciativas legislativas do PCP para o sector.

Contra a precariedade e a exploração no Porto de Lisboa

audicao22042016 jpg1200aO PCP questionou hoje o Governo sobre as ilegalidades que estão a ser cometidas pelo patronato do Porto de Lisboa, nomeadamente sobre a utilização abusiva e ilegal de horas extraordinárias ao mesmo tempo que mantém um conjunto de trabalhadores sem laborar. O requerimento surge numa altura onde, face ao agravamento da situação nos Portos, o PCP avançou com uma Audição Parlamentar para o próximo dia 22 de Abril.

Ler Requerimento em PDF

PCP expressa solidariedade com a luta dos estivadores do Porto de Lisboa

estivadores20160104Em reunião realizada esta segunda-feira com a Direcção do Sindicato dos Estivadores, o Vereador da CDU na CM Lisboa, João Ferreira, expressou a solidariedade com a luta dos estivadores contra a precarização das relações laborais e em defesa da contratação colectiva - uma luta que assenta num pré-aviso de greve que só é efectivado caso o patronato chame trabalhadores externos para a operação, e que ainda não se traduziu num único dia de greve efectiva, ao contrário da imagem que o patronato transmite. O PCP condenou a acção do patronato do Porto de Lisboa, responsável pelo fim da vigência da contratação colectiva e por práticas ilegais que têm degradado a operação portuária. O PCP exigiu o imediato pagamento dos salários em atraso na ETPL e exigiu que o Governo investigasse os fortes indícios de gestão danosa da mesma por parte do patronato do Porto de Lisboa. 

A solidariedade do PCP com a luta no Porto de Lisboa

O Grupo Parlamentar do PCP enviou ao Governo um requerimento questionando a situação laboral no Porto de Lisboa bem como a alienação às multinacionais de posições dominantes no sector. O PCP expressou a sua activa solidariedade para com a luta dos estivadores em defesa da contratação colectiva e contra a precariedade e a exploração, e denunciou a hipocrisia patronal, que primeiro denuncia o acordo de empresa e depois chora perante os custos provocados pela legítima resposta dos trabalhadores.

Ler Requerimento em PDF 

CM Lisboa aprova moção do PCP em solidariedade com os trabalhadores do Porto de Lisboa

O patronato do Porto de Lisboa declarou guerra aos trabalhadores com a decisão de provocar o fim da contratação colectiva já a partir de 14 de Novembro. Conta o patronato passar a utilizar plenamente os poderes que lhe dá a nova lei do trabalho portuário imposta pelo anterior governo, e assim conseguir o incremento da exploração e da precariedade no Porto de Lisboa. Face a esta situação - agravada pela venda das posições detidas pela Mota-Engil a uma multinacional turca - a CML decidiu expressar a solidariedade com os trabalhadores portuários e apelar à patronal para que reveja as suas posições (a moção do PCP foi aprovada com o voto favorável do PCP, PS e Independentes, e a abstenção de PSD e CDS).

Ler texto da Moção apresentada pelo PCP

Saudação aos Estivadores do Porto de Lisboa: Vale a pena lutar!

O Sector dos Transportes do PCP saúda a vitória alcançada pelos Estivadores do Porto de Lisboa. É uma vitória importante: na medida em que garante a integração plena e imediata de 18 trabalhadores despedidos e a progressiva integração dos restantes 29 trabalhadores despedidos mas com garantias imediatas de trabalho; na medida em que toma medidas para travar o processo de falência fraudulenta da A-ETPL e aponta para a integração nesta da PORLIS com garantias para os seus trabalhadores; na medida em que repõe o primado da contratação colectiva, rompido pelo Governo com a Lei do Trabalho Portuário. O PCP sublinha a importância de que a unidade e determinação dos Estivadores do Porto de Lisboa se mantenha no processo que agora se inicia, onde a par da negociação colectiva é preciso intensificar a vigilância em defesa da AETPL, pois não é de excluir que as intenções patronais agora derrotadas ressurjam com novas tácticas amanhã. Os Estivadores do Porto de Lisboa podem continuar a contar com a activa solidariedade do PCP