83 - Morte de Álvaro Cunhal

Uma multidão oriunda de todo o País – militantes do Partido e simpatizantes, gente sem filiação partidária, membros de outras forças políticas, operários, empregados, estudantes, intelectuais – participou naquela que foi a maior cerimónia fúnebre alguma vez realizada em Portugal. Tratou-se da homenagem profundamente sentida a uma vida de luta que teve como referência constante e principal a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo e do País. Tratou-se da homenagem à coerência de quem fez da sua opção pelo ideal comunista uma opção de vida e a concretizou, exemplarmente, numa intervenção singular quer no longo e complexo processo de construção colectiva do PCP, quer na acção revolucionária do Partido, decorrente do conteúdo desse processo, desenvolvida ao longo de 75 anos.

 Para aprofundar o tema:


Próximo Painel: 84 - O comício que Portugal nunca tinha visto