31 - Militão Ribeiro

 

Foi preso pela quarta vez em 1949 e encerrado na Penitenciária de Lisboa – antes estivera em Angra do Heroísmo e duas vezes no Tarrafal. «Até às vésperas da morte, Militão manteve a preocupação de comunicar ao partido a sua fidelidade e confiança. Escreveu várias cartas à Direcção do Partido, que foram interceptadas pelos carcereiros, só tendo chegado duas ao seu destino, uma das quais escrita com o seu próprio sangue. A PIDE assassinou-o cruelmente, um crime lento, dos que não deixam vestígios. Militão morreu de inanição em 2 de Fevereiro de 1950»



Para aprofundar o tema: 

Próximo Painel: 32 - Assassinados pelo fascismo