Luta na EMEF pela reintegração dos trabalhadores despedidos

emef200717Um colectivo de membros das ORT da EMEF estiveram hoje concentrados à porta do Conselho de Ministros, exigindo a integração imediata dos 10 trabalhadores despedidos das oficinas de Santa Apolónia. Trabalhadores que estavam inscritos no PREVPAP e que fazem falta à operação ferroviária, onde se acumulam os atrasos no serviço provocados pela falta de trabalhadores, como o PCPjá denunciou em requerimentos (aqui e aqui) colocados na AR.

EMEF: Comboios parados, trabalhadores despedidos, utentes à espera!

staapoliniaoficinaOs comboios amontoam-se nas oficinas de Santa Apolónia na sequência da decisão do Governo de despedir 10 trabalhadores precários na passada semana. Uma situação escandalosa, pois estes trabalhadores estavam inscritos no Programa de regularização das situações precárias, e fazem tanta falta que a própria empresa pediu ao Governo para os contratar. Mas o Governo continua cego à realidade operacional das empresas e exclusivamente preocupado em submeter-se aos critérios economicistas, custe o que custar ao país essa cegueira. Hoje, 30% da frota está parada e a degradar-se, mas o governo poupa uns tostões para amanhã gastar uns milhões. O PCP confrontou o Governo na Assembleia da República.

Ler Requerimento em PDF

PCP confronta Governo e apela à luta dos trabalhadores

emefprecarios10julNo dia 10 de Julho foi consumado o despedimento de 10 trabalhadores precários da EMEF de Santa Apolónia. Dez trabalhadores que fazem falta, dez trabalhadores que estão inscritos no programa de regularização da precariedade, dez trabalhadores que já deviam estar efectivos há anos. O PCP, no requerimento na Assembleia da República que se anexa, confrontou o Governo com esta decisão da Administração que acabou de nomear para a CP e para a EMEF e exigiu a imediata contratação destes trabalhadores. E apela à luta dos trabalhadores da empresa.

Ler Requerimento em PDF

PCP visita oficina da EMEF em Santa Apolónia

emef sapol20170619O SNTSF e a CT da EMEF convidaram todos os grupos parlamentares a uma visita às oficinas da EMEF. Em Lisboa, essa visita foi à oficina de Santa Apolónia, onde esteve presente a deputada Rita Rato do PCP (foto), não tendo qualquer outro partido aceite o convite. O PCP aproveitou a ocasião para reafirmar a sua oposição à separação da EMEF em duas empresas, e a sua exigência da integração imediata na EMEF dos trabalhadores alugados às ETT.

PCP contacta trabalhadores da ex-CP Carga e confronta Governo

No dia 12, o PCP contactou directamente os trabalhadores da Medway (ex-CP Carga) na sede da Av. da República. Na sequência desse contacto, o PCP confrontou o Governo com a tentativa de imposição de contratos de cessação aos trabalhadores, exigindo que o Governo intervenha quer fazendo valer os direitos dos trabalhadores e das suas ORT, quer impondo à multinacional as obrigações assumidas no momento da privatização.

Ler Requerimento em PDF

Comboios parados, trabalhadores desempregados, utentes desesperados: é tempo de romper com este caminho!

cpmanutencaoO PCP questionou o Governo sobre a situação na frota da CP Lisboa, com 8 comboios parados a degradarem-se num quadro em que faltam composições ao serviço e quando o país tem uma elevada taxa de desemprego e o Estado se recusa a contratar os trabalhadores necessários para esta e outras necessidades do país. Aos que fogem à solução dos problemas do país com a frase «e o dinheiro?», salientamos que o problema não é ele ser pouco, é estar a ser desviado, aos milhares de milhões para PPP, CMEC, SWAPS e outras coisas criptícas que escondem a transferência para o grande capital de recursos públicos.

Ler Requerimento em PDF

Por um Sector Ferroviário forte ao serviço do povo e do país!

20170527 rnqf 4Realizou-se no Entroncamente a Reunião Nacional de Quadros Ferroviários do PCP, com o lema «Com os Trabalhadores, um Sector Ferroviário Forte ao serviço do Povo e do País». Um Encontro onde se abordou o processo de pulverização do Sector Ferroviário Nacional pelos sucessivos Governos PS/PSD/CDS, onde se valorizou a resistência e a luta dos ferroviários, onde se sublinhou o papel do sector ferroviário no desenvolvimento do país, onde se apontaram as linhas de ruptura com a actual política indispensáveis para tal possa acontecer. Um Encontro onde se destacou a importância da organização dos ferroviários, e a necessidade de reforçar a sua mais antiga e importante organização: as células do PCP!

Ler Documento de Trabalho em PDF

Reestruturação da EMEF prepara a sua privatização!

20170502ferroviariosO PCP está a distribuir aos ferroviários um comunicado sobre a reestruturação da EMEF que estão a tentar impor. O PCP sublinha que a separação da empresa em duas tem como objectivo contornar as objecções técnicas colocadas pelo Tribunal de Contas à realização de uns contratos entre a CP e a EMEF que só fazem falta... ao processo de privatização. O PCP apela à vigilância, à unidade e à luta dos ferroviários contra esta reestruturação.

Ler Comunicado em PDF

PCP avança com apreciação parlamentar para reverter fusão do GISAF e do GPIAA

Cumprindo um dos compromissos assumidos na Audição Pública sobre «Segurança e Fiabilidade na Ferrovia» (na foto), o PCP apresentou hoje um Projecto de Apreciação Parlamentar ao Decreto-Lei do Governo que fundiu o GISAF e o GPIAA, ou seja, que decidiu fundir a investigação de acidentes ferroviários e aeronáuticos. Uma medida errada, perigosa e que omite a necessidade de aumentar o investimento nesses organismos em vez de prosseguir as poupanças cegas que acabarão por sair muito caras ao país, e que a Assembleia da República deve agora anular.

Ler Projecto de Apreciação Parlamentar 

Editado Boletim do Sector Ferroviário: Prioridade à segurança e fiabilidade

bol ferr abril 17aEstá em distribuição o Boletim de Abril do Sector Ferroviário do PCP. Nele se abordam questões como a Audição do Partido sobre «Segurança e Fiabilidade na Ferrovia», a precariedade na EMEF, a situação da reposição do primado da contratação colectiva e a reversão dos roubos por via do OE e do DL 133/13, a inauguração do R1 do Alfa Pendular, e ainda se inclui um artigo com perguntas e respostas sobre as alterações ao Regulamento Geral de Segurança RGS 1.

Ler Boletim em PDF