Associações de Pais do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira reúne com eleitos do PCP para apresentar as suas preocupações relativamente ao funcionamento das escolas

 

Escola Vergílio FerreiraA deputada à Assembleia da República Alma Rivera, acompanhada pela vereadora Deolinda Machado, Fábio Sousa, presidente da JF Carnide e eleitos do PCP nas Freguesias do Lumiar e Alvalade, estiveram reunidos na semana passada com associações de pais do Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira, aferindo as preocupações destes no que respeita ao funcionamento das escolas.

 

Existe uma flagrante falta de professores: por exemplo, na EB São Vicente de Telheiras, em 740 alunos, 400 estão com falta de professores; na Escola Secundária Vergílio Ferreira, em 1200 alunos, 446 têm falta de professores. Estão, portanto, há um mês sem terem disciplinas como Inglês, TIC, História, Matemática e outras. Esta situação está profundamente ligada à desvalorização das carreiras dos professores e o facto de aos professores substitutos não serem asseguradas as condições remuneratórias para garantirem leccionar as disciplinas em falta. Por outro lado, no Agrupamento de Escolas Vergílio Ferreira faltam mais de uma dezena de assistentes operacionais, sendo que actualmente não está a ser cumprido o rácio e mesmo com o preenchimento do mesmo continuaria a ser insuficiente o número de AO's para dar resposta às exigências e necessidades das escolas.

 

Foram levantadas ainda outras preocupações no que respeita à segurança das crianças pela impossibilidade destas não poderem permanecer nas escolas, não existindo outras alternativas e ainda sobre a proibição dos pais poderem entrar na escola, a ausência de reuniões de encarregados de educação que pode contribuir para o afastamento entre as escolas e famílias.

 

Outra preocupação demonstrada pelos pais refere-se os impactos na saúde emocional das crianças decorrente das várias situações, nomeadamente em relação ao novo modelo de funcionamento das escolas.