Trabalhadores exigem ao Governo: Fim imediato das tentativas de repressão e despedimento na Carris!

mini-capa_carris.jpgRealizou-se hoje, 1 de Julho, uma concentração de activistas sindicais do Sector dos Transportes, em solidariedade com os trabalhadores da Carris vítimas de processos disciplinares para despedimento por terem aderido à grande greve do sector dos transportes do passado dia 27 de Abril. Intervieram na iniciativa os 4 sindicatos da Carris (STRUP/CGTP-IN, SITRA/UGT, SNM e ASPTC), bem como Arménio Carlos da Executiva da CGTP-IN e Libério da USL/CGTP-IN. Presente igualmente na iniciativa, o deputado do PCP Bruno Dias expressou a activa solidariedade do PCP com estes trabalhadores e com a luta, e informou da iniciativa já tomada na Assembleia da República. Presentes ainda diversos representantes de outros Sindicatos dos Transportes e Comunicações e de CT's do Sector.

Todos os presentes coincidiram numa ideia central: o Governo e a Administração da Carris têm de arquivar imediatamente estes processos, sem o que terão de enfrentar a luta de todos os trabalhadores e sindicatos dos transportes e comunicações.

Ler Requerimento do PCP em PDF

PCP contacta trabalhadores da CarrisBus

mini-usarcarrisbus.jpgCom a participação do deputado do PCP na Assembleia da República Bruno Dias, realizou-se uma acção do PCP de contacto com os trabalhadores da CarrisBus, empresa do Grupo Carris. Na iniciativa, o PCP pode constatar as consequências da recusa da Administração à contratação colectiva, bem como um vasto conjunto de outras reivindicações apresentadas pelos trabalhadores. O PCP, dando nota das iniciativas parlamentares já realizadas em torno desta Empresa, deixou o apelo claro ao reforço da unidade e luta como único caminho para combater a exploração, apelando muito concretamente à participação na Manifestação de 29 de Maio.

Greve na Carris: Forte adesão responde à chantagem e repressão patronal

mini-carris20100427.jpgOs trabalhadores da Carris cumprem hoje um dia de greve, contra o congelamento salarial e em defesa do direito à contratação colectiva. Enfrentando um vasto conjunto de ilegalidades por parte do Governo e da sua Administração (desde a retirada de prémios aos adererentes à greve até à substituição de trabalhadores em greve), a greve registou uma significativa adesão, superior à da luta de 19 de Março, numa acção que prosseguirá com determinação.

PCP solidário com motorista da CarrisTur alvo de represálias por denunciar irregularidades

O trabalhador Francisco Manuel Murteira Nunes, motorista da CarrisTur, alertou oportunamente a ACT para injustiças e ilegalidades que ali ocorriam, ainda hoje não totalmente resolvidas, nomeadamente acumulações de turnos e de horários em que são colocados a conduzir autocarros, com as nocivas implicações no repouso, na saúde, na vida familiar e na segurança rodoviária. Meses mais tarde, parte do problema teve resposta por parte da empresa mas, na primeira oportunidade, esta notificou-o secamente da intenção de não lhe renovar o seu contrato. Consciente de que o único “crime” que cometeu foi o de denunciar e não se submeter à injustiça, à exploração e à violação da legalidade, este trabalhador continua a lutar pelo seu posto de trabalho. Na AR, o PCP questionou o Governo sobre esta injustiça através do MOPTC e do MTSS.

Ler pergunta ao MOPTC em PDF

 

Ler pergunta ao MTSS em PDF

 

Luta na Carris com adesão a rondar os 50%, apesar da repressão e da intimidação do Governo patronato

mini-19032010.jpgRealizou-se hoje uma jornada de luta dos trabalhadores da Carris, pelo cumprimento do AE e pelo aumento de salários. Os plenários com recolha de material contaram (no seu conjunto) com a presença de centenas de trabalhadores e realizaram-se ao abrigo de um pré-aviso de greve para o período das 8 às 12 horas da manhã. Os trabalhadores tiveram de enfrentar uma intensa pressão e intimidação do patronato, que somou à prática ilegal de retirada de prémios a imposição de serviços mínimos ilegais, a troca de turnos e outras acções similares. Nos plenários, os trabalhadores mandataram os sindicatos para dinamizar novas formas de luta. A Célula do PCP na Carris saúda a luta dos trabalhadores, e expressa a sua confiança que é possível reforçar ainda mais a unidade e luta dos trabalhadores da empresa, no único caminho que pode impedir o actual brutal ataque aos direitos e salários de quem trabalha: a luta!

PCP contacta trabalhadores da CarrisBus e CarrisTur onde grassa a precariedade

mini-bus01.jpgNo quadro da campanha do PCP contra a precariedade laboral que esta semana decorre, o deputado do PCP Bruno Dias contactou com trabalhadores da CarrisBus na Musgueira e com trabalhadores da CarrisTur no Aeroporto. Em ambas as visitas pode constatar o escândalo de duas empresas públicas onde a precariedade grassa e onde o patrão governo bloqueia a contratação colectiva. Perante os trabalhadores, o PCP assumiu o compromisso de levar a situação destas empresas à Assembleia da República, e deixou o apelo ao reforço da luta por um trabalho com direitos.

Carris: PCP contra a demagogia do Governo, pelos direitos dos trabalhadores!

capa_carrisbustur.jpgA Célula do PCP na Carris prossegue a sua acção. Damos aqui nota do comunicado em distribuição aos trabalhadores da CarrisBus e CarrisTur, no quadro da campanha nacional do PCP, onde se apela à luta contra o bloqueio da contratação colectiva nestas empresas pelo Governo, e de um requerimento onde o Grupo Parlamentar do PCP desmascara a demagogia da resposta do Governo à questão que o PCP não se cansará de denunciar: como explica o Governo que haja numa empresa pública uma discriminação dos membros das ORT's como a que se pratica na Carris?

Ler Comunicado aos trabalhadores da CarrisBus e CarrisTur

Ler Requerimento nº2 sobre a Liberdade Sindical na Carris

Contratação Colectiva na CarrisBus e CarrisTur: bloqueio liminar expõe verdadeiras intenções do PS

As administrações da CarrisBus e da CarrisTur bloquearam toda a contratação colectiva na Empresa, ao recusarem as propostas apresentadas pela FECTRANS, e recusarem mesmo trabalhar um AE com base no da Carris de onde estas empresas resultam. Fica assim exposto novamente que a conversa do Governo PS sobre a aposta na contratação colectiva aquando da discussão do Código de Trabalho era só mesmo isso: conversa. Pois até nas empresas tuteladas directamente pelo Governo o Código está a ser usado para bloquear a contratação colectiva. O PCP apresentou na AR requerimentos ao Governp sobre esta questão, mas não tem ilusões que é na luta - e só na luta - que os trabalhadores destas empresas conquistarão o direito à contratação colectiva.

Ler Requerimentos ao MTSS e ao MOTCOP ,

Tribuna Pública da Carris denuncia condições de trabalho na Empresa

mini-tpublica.jpgOs dirigentes e delegados do STRUP, os membros da CT e alguns trabalhadores disponíveis participaram nesta Tribuna Pública de denúncia da degradação das condições de trabalho, materializada pela intenção da CML de remoção do quiosque da Estrela, uma instalação de grande utilidade para os trabalhadores se resguardarem das intempéries, disporem da instalação sanitária ali existente, e para tomarem pequenas refeições enquanto aguardam pelas rendições das carreiras 28 e 25 de eléctricos que ali ocorrem. Exigiram da CML e do Conselho de Administração da Carris a preservação desta instalação assim como a criação de condições nos inúmeros locais de rendição, que o C.A. fez proliferar, sem instalações sanitárias e sem condições para aguardar pelas rendições.

PCP pela liberdade sindical e de organização na Carris

O PCP denunciou na Assembleia da República a ilegalidade cometida pela Admnistração da Carris, que socorrendo-se de uma "habilidade", promove a penalização pecuniária da acção sindical e das comissões de trabalhadores, comportamente ilegal e anticonstitucional que é agravado pelo facto de se tratar de uma empresa tutelada pelo Governo.

Ler requerimento em PDF