Sobre Engels

Engels morreu há 120 anos
O Militante lembra Engels no aniversário da sua morte


A notícia necrológica que reproduzimos a seguir, por ocasião dos 120 anos da morte de Friedrich Engels, foi redigida por Lénine no tempo decorrido entre a morte de Engels em 5 de Agosto de 1885 e a sua prisão em Dezembro de 1885, e publicada, não antes de Março de 1896, nos n.os 1-2 da compilação não periódica Rabotnik [O Trabalho] editada fora da Rússia por iniciativa de Lénine.

Lénine sempre atribuiu à obra de Engels uma importância fundamental. Expressou-a de modo particularmente incisivo na Bibliografia no final do artigo que em 1914 escreveu sobre K. Marx: «Para apreciar correctamente as concepções de Marx, é absolutamente preciso tomar conhecimento das obras do seu mais próximo companheiro e colaborador, Friedrich Engels. É impossível compreender o marxismo e dar dele uma exposição completa sem ter em conta todas as obras de Engels.» (Oeuvres, t. 21, p. 87.)

Como o leitor terá oportunidade de verificar, no seu texto, Lénine acentua a contribuição de Engels como co-fundador do socialismo científico, teoria que radica na análise das contradições materiais de um mundo em devir e apela a agir pela sua transformação tomando partido pelo proletariado na sua luta de classe contra a burguesia exploradora.

Na concepção cientificamente fundamentada de Marx e Engels encontrou Lénine a arma teórica e o guia para a acção revolucionária nas condições da Rússia tsarista que culminaria com o triunfo em Outubro de 1917 da primeira revolução socialista da história e da qual se comemora este ano o 88.º aniversário.

Revolução que no seu decurso de mais de 70 anos marcou de forma indelével toda a história mundial posterior - pelo seu exemplo de clarividência, valentia e tenacidade revolucionárias, pelas suas grandiosas realizações no interesse dos trabalhadores e dos povos da URSS e que se repercutiram na conquista de direitos pela classe operária e os trabalhadores dos países capitalistas (que as políticas neoliberais hoje procuram retrogradamente destruir), pelo apoio solidário e internacionalista à luta emancipadora dos povos oprimidos pelos países imperialistas e, também, pelos seus erros e derrotas que requerem aprofundado estudo e reflexão, particularmente numa perspectiva de futuro revolucionária.

Para os revolucionários de todo o mundo, o nome de Lénine juntou-se por direito próprio ao de Marx e de Engels. Tendo em conta, como eles o fizeram, as condições históricas concretas em que nos foi dado viver e lutar, cabe-nos a nós, com razão e paixão revolucionárias, dar criativamente continuidade ao seu legado.

Artigo de Lenine sobre Friedrich Engels

"O Militante" - N.º 279 Novembro/Dezembro 2005