Benfica

EMEL em Benfica não cria lugares de estacionamento, só o torna pago!

 

Comunicado benficaComunicado à população

 

Face aos problemas de estacionamento e mobilidade em Benfica, a Comissão de Freguesia de Benfica do PCP destaca quatro factos:


1. As recentes decisões da Junta de Freguesia de Benfica sobre a entrada da EMEL;


2. Os lugares de estacionamento existentes hoje na freguesia não são suficientes para todos os carros de quem cá reside;


3. Esta situação agrava-se quando quem trabalha na cidade e reside fora da freguesia tem a necessidade de estacionar nos já diminutos lugares existentes, para apanhar posteriormente transportes públicos para os seus locais de trabalho;


4. A entrada da EMEL não vem criar mais lugares de estacionamento na freguesia, só o vai tornar pago;

 

Assim, o PCP em Benfica considera que:

Continuar...

Benfica e S. Domingos de Benfica preparam a IX AORL

 

PlenarioNo âmbito da preparação da IX Assembleia da Organização Regional de Lisboa do Partido Comunista Português, de 16 de Fevereiro de 2019, realizou-se no sábado, dia 12 de Janeiro, no Centro de Trabalho de Benfica o Plenário da Organização de Benfica e a Assembleia Electiva da Organização de S. Domingos de Benfica, que contou com a participação de Vasco Aleixo, membro da Direcção da Cidade de Lisboa do PCP para a análise e discussão do Projecto de Resolução Política da IX Assembleia da Organização Regional de Lisboa, debate vivo e enriquecedor que foi seguido da Eleição de delegados da Organização de São Domingos de Benfica à IX AORL.

Acção de rua em Benfica, com a participação de João Ferreira

 

Benfica JF

Foi com uma dinâmica distribuição do documento sobre a especulação imobiliária e o direito à cidade que a organização do PCP de Benfica, com a participação de João Ferreira, vereador do PCP na CML, saiu à rua num contacto com a população e comerciantes, ouvindo, registando problemas e esclarecendo as propostas do PCP para a cidade e para o país.

 

Lembrando que a cidade vive hoje um grave problema no que respeita à habitação e que os responsáveis são PS/PSD e CDS, pela política de favorecimento da especulação imobiliária, da liberalização das rendas e da brutal lei dos despejos, concretizam em matéria de habitação a política de direita que hoje só continua no país, nomeadamente na cidade de Lisboa, por vontade e opção política do PS.

Almoço em Benfica, com o PCP uma Política Patriótica e de Esquerda

almoco20181201No passado dia 1 de Dezembro realizou-se no CT de Benfica um almoço sobre a Política Patriótica e de Esquerda, que contou com a participação de Manuel Gouveia, membro do Comité Central.

Na sua intervenção foi caracterizada a política geral do actual governo PS com traços profundos da política de direita, contra a qual o PCP se tem, historicamente, batido por romper, política que continua a trazer graves consequências para a vida dos trabalhadores, utentes dos serviços públicos, de transporte, de saúde e população em geral. Foram referidos os exemplos da legislação laboral do PS, situação dos comboios, metro e autocarros, os correios e no sector da saúde o compadrio deste, e de outros, governos na proliferação do sector privado, assim como a dependência face às imposições da UE e do euro, garrote ao desenvolvimento do país, traços que definitivamente pertencem à política de direita que rejeitamos.

Foram ainda valorizados os avanços na conquista de direitos e rendimentos, conseguidos pelo desenvolvimento da luta dos trabalhadores e a acção directa do PCP, nomeadamente no Orçamento de Estado para 2019. Avanços que só foram possíveis hoje porque o PS não tem força na Assembleia da República para prosseguir um caminho de aprofundamento da política de direita. Avanços pela luta e acção do PCP que contrastam com os limites à reposição de direitos, por opção política do PS.

Entre os positivos avanços conseguidos da nova fase da vida política nacional e a Alternativa Patriótica e de Esquerda proposta pelo PCP, ainda há um longo caminho a percorrer, o caminho da ruptura com a política de direita, política que esteve na base da contra revolução e que tem sido levada a cabo há várias décadas pelos governos PS, PSD e CDS.

O almoço terminou com a lembrança da preparação da IX Assembleia da Organização Regional de Lisboa.