CDU exige: Outro Rumo para a Azambuja!

A CDU da Azambuja, num seu Encontro Concelhio realizado em Aveiras de Cima, aprovou uma moção (cujo texto completo se encontra em Ler Mais) onde se denuncia as consequências da dupla execução da política de direita sobre o concelho, partindo do Governo e da Câmara.

Continuar...

PCP contra encerramento da GNR em Manique do Intendente

O PCP, em comunicado à população, protesta contra a pretensão do Governo PS de encerrar a GNR do Manique do Intendente, no concelho da Azambuja, e apela às populações para resistirem a mais esta gravosa medida do Governo.

Continuar...

Aumento de 10% na Água da Azambuja é inaceitável!

Perante a decisão da maioria absoluta do PS na Câmara da Azambuja de aumentar em 10% a factura da água já em Janeiro, e a actual prática de cobrar taxas de saneamento a populações que nem sequer estão ligadas à ETAR, a CDU da Azambuja expressa o seu protesto exige a radical mudança destas políticas.

Continuar...

Comunicado à população de Alcoentre

Comunicado à população de Alcoentre

Os sucessivos Governos na Assembleia da Republica têm adoptado uma postura de privatização em todos os sectores desde a saúde à educação, áreas da responsabilidade do Estado e direitos conquistados ao longo dos anos.

Também nos correios há a intenção de encerrar o posto, empurrando assim para a Junta de Freguesia a responsabilidade. O PCP considera que as populações têm o direito a ter um posto de correios ao seu dispor, nalguns casos assumindo uma grande importância no que toca ao recebimento das pensões através deste serviço.

A Câmara Municipal de Azambuja, pretende encerrar 3 escolas na freguesia de Alcoentre e concentrar as crianças todas numa só escola na sede de freguesia. Assim, a intenção que existe de momento é de encerrar a Escola Básica 1 de Casais Boiças, de Quebradas e de Tagarro.

O PCP na Assembleia Municipal de Azambuja votou contra esta proposta, mas a maioria PS aprovou o encerramento destas escolas, dificultando assim as condições de vida destas populações.

O Governo PS já anuncia que as escolas com menos de 20 estudantes que também deviam encerrar e passar as crianças para outras freguesias ou concelhos.

Na freguesia de Alcoentre, mais propriamente na localidade de Tagarro, não existem sinais verticais (de transito) condicionando o transito às regras principais de prioridade.

O PCP exige que:

se mantenham as escolas destas localidades em funcionamento;

se mantenha em funcionamento o posto de correios servindo a população;

se regularize o transito rodoviário em Tagarro.

Comunicado aos Trabalhadores da Azambuja

Comunicado aos trabalhadores

O PCP saúda os trabalhadores pela grande manifestação no passado dia 2 de Março em Lisboa, convocada pela CGTP.

Em Portugal, continua a aumentar o custo de vida degradando assim as condições de vida dos trabalhadores, desde o aumento do preço da electricidade aos aumentos dos bens essenciais como o pão (20%).

A taxa de desemprego é das maiores desde de 1974, atingindo no distrito de Lisboa 8.5 % de desempregados. Os n.º ainda irão aumentar mais, tendo em conta que já encerraram mais fabricas, como a Opel entre outras.

O Governo PS, anuncia já a intenção de apresentar um projecto de lei sobre a flexi-segurança, o que vai trazer ainda mais despedimentos, porque o que na realidade este projecto tem como intenção é liberalizar o despedimento.

Os lucros da Banca Portuguesa continuam a aumentar, sendo que numa hora daria para pagar o Salário Mínimo Nacional a 500 operários. Pois temos o oposto, que 1 em cada 5 portugueses vive na pobreza ou seja 20% da população.

O Governo PS aprova medidas de protecção ao grande capital desfavorecendo assim os direitos dos trabalhadores portugueses, marginalizando as populações encerrando hospitais, maternidades, Centros de Saúde e esquadras da PSP e da GNR.

O PCP tudo fará para denunciar estas políticas de direita do Governo PS e apela à luta e mobilização dos trabalhadores para travar todas estas medidas.

Privatização da Rede de Águas e Esgotos no concelho de Azambuja

Privatização da Rede de Águas e Esgotos no concelho de Azambuja

A Comissão Concelhia de Azambuja do Partido Comunista Português vem denunciar novamente à população que o Partido Socialista quer privatizar as águas no concelho de Azambuja.

No próximo dia 14 de Fevereiro (quarta-feira), na sessão de Camara Municipal de Azambuja vai ser votado o caderno de encargos para abrir o concurso para a entrega das aguas do concelho aos privados.

O PCP vai votar contra porque entendemos que a água sendo um bem comum não pode ser entregue a privados e não acautela o interesse dos consumidores nem dos trabalhadores do Municipio.

A concessão das aguas aos privados vai trazer aumentos aos municipes porque como sabemos só interessa o lucro.

Durante varios anos a Camara Municipal de Azambuja teve como estrategia enfraquecer o sector das aguas e facilitar a concessão a privados. Á medida que os funcionarios iam sendo reformados nunca foram substituidos, utilizando o argumento que não existiam operarios suficientes entregaram os ramais a empreiteiros sem qualificação, acabando por ser os funcionarios deste sector a arranjar o serviço mal feito pelo dito empreiteiro.

Valorizamos e apoiamos a iniciativa dos trabalhadores da Camara Municipal em recolher um abaixo-assinado a exigir que as aguas continuem no dominio publico.

Valorizamos também a iniciativa da criação de um movimento de utentes pela população em defesa deste bem essencial à vida.

O PCP apela à população que esteja presente na reunião da Assembleia Municipal, no próximo dia 22 de Fevereiro pelas 21H, no Auditório da Casa do Povo de Aveiras de Cima para mostrar o desagrado por esta medida do PS.

Azambuja, Fevereiro 07

Azambuja - Reflexos da Política do Governo PS no Concelho

Comissão Concelhia de Azambuja do PCP

Nota de Imprensa


A Comissão Concelhia de Azambuja do PCP condena as políticas praticadas pelo Governo PS, medidas estas que em nada têm beneficiado os trabalhadores quer a nível nacional ou a nível do concelho de Azambuja.

Veja-se a situação do concelho de Azambuja a nível de desemprego. Em Dezembro de 2006 a fabrica da Opel encerrou trazendo para o desemprego cerca de 1150 operários, a maior parte são do concelho de Azambuja.

De acordo com os dados do Instituto do Emprego e da Formação Profissional, no final de Dezembro de 2006, o concelho de Azambuja contava com 1104 desempregados cerca de 11%, sendo muito superior à média nacional.

Mas estes números ainda poderão vir a agravar-se sendo que a maior parte dos trabalhadores da Opel só em Janeiro se foram inscrever no IEFP.

O emprego existente é precário e com baixos salários, atirando para o desemprego ainda mais trabalhadores e favorecendo a exploração do trabalhador.

O Governo PS já vai anunciando que irá apresentar um projecto de lei sobre a "flexi-segurança", o que só irá agravar as condições de vida dos trabalhadores, pois este projecto permitirá que os trabalhadores sejam despedidos sem justa causa, liberalizando assim o despedimento.

O Governo PS, nestes dois anos de governo tem aprovado políticas de direita contra os trabalhadores, defendendo os interesses dos grupos económicos.