Contra a privatização do Sector Empresarial Local

mini-2012-05-25 PlenarioSEL_003Cerca de 300 participantes num plenário convocado pelo STAL e pelo STML denunciaram que, caso avancem os objectivos do governo, «mais de metade das actuais empresas do Sector Empresarial Local serão liquidadas, pelo que estamos perante uma imposição inadmissível, que assume mesmo contornos criminosos, pois uma grande parte destas empresas prestam serviços públicos essenciais cujo objectivo não é nem poderá ser nunca a rentabilidade, necessitando sempre de ter suporte nos orçamentos municipais». E reafirmaram a sua determinação em lutar contra um projecto-lei que «procura tornar praticamente obrigatória a privatização de centenas de empresas municipais, promove o despedimento de milhares de trabalhadores e cria condições para a proliferação de negociatas e da corrupção, à semelhança do que o país tem assistido nos últimos anos com as ruinosas parcerias publico-privadas».

«Paz Sim! Nato Não!» na Marcha promovida pelo CPPC

 

mini-DSC 1173

Dando continuidade aos objectivos e aos compromissos da Campanha “Paz Sim! NATO Não!”, realizada em Portugal, ao longo de 2010, a qual traduziu e expressou a vontade e o desejo do povo português de paz e da abolição desta organização bélica, militarista e agressora, e no momento em que uma nova Cimeira da NATO ameaça os povos, o CPPC promoveu hoje uma Marcha em Lisboa.

Ler Intervenção CPPC

Ler Posição do PCP

Manifestação do 25 de Abril em Lisboa "Abril de Novo com a Força do Povo"

25Abril2012

Nos 38 anos do 25 de Abril o povo saiu à rua para comemorar Abril. Num quadro de inquietude profunda, de retrocessos sociais, de ataque ao que foi Abril e as suas conquistas, estas manifestações significam que Abril, independentemente do grau de destruição que esta direita quer fazer, continuará perene nos seus valores e integrará este Portugal de futuro.

Ver Galeria Fotográfica

Empresas do Sector Empresarial do Estado na Fiequemetal em luta!

 

mini- MG_8957

A Fiequimetal, os sindicatos e representantes dos trabalhadores da Valorsul, da EPAL, da Baía do Tejo, da Amarsul, da INCM, da Empresa de Electricidade da Madeira e da Simtejo levaram a cabo, hoje dia 18 de Maio, uma concentração frente ao Ministério das Finanças, no Terreiro do Paço, onde participaram mais de duas centenas de trabalhadores - uma acção que  reclamou a reposição dos salários e respectiva actualização, a reposição dos subsídios de férias e de Natal, e o cumprimento dos acordos colectivos de trabalho e dos direitos em vigor. Ficou decido por todos os trabalhadores presentes, a vontade de continuar a luta até que as suas reivindicações sejam satisfeitas, ficando assente que voltarão àquele local com mais força e determinação. Reafirmando, desde já, a sua presença na manifestação nacional em Lisboa, convocada pela CGTP-IN, já no próximo dia 16 de Junho.

Os portugueses vão defender o Serviço Nacional de Saúde

mini-capasaude14abril

Hoje, em mais de uma dezena de cidades, foi dia de luta em defesa do SNS e do direito dos portugueses ao acesso aos cuidados de saúde. Jerónimo de Sousa, presente na manifestação em Lisboa, acusou o Governo de não respeitar a Constituição da República ao combater a universalidade do direito à saúde e tornar o seu acesso tendencialmente mais caro.